abr
20
Postado em 20-04-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 20-04-2010 17:03

Tradição em hidrelétricas

===============================================
O consórcio Norte Energia, encabeçado pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) foi o vencedor do leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte, com um deságio superior a 5%.
Chesf, Construtora Queiroz Galvão, Galvão Engenharia, Mendes Júnior, Serveng, JMalucelli Construtora, Contern Construções, Cetenco Engenharia e Gaia Energia e Participações formam o consórcio vencedor para a polêmica mega-construção da quarta maior hidrelétrica do mundo
O analista especializado Guilherme Barros assinala em seu Blog que a vitória do consórcio Norte Energia no leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte surpreendeu o especialista e diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura, Adriano Pires.
Para ele, segundo Barros, o leilão da usina começou a chamar a atenção logo após a desistência dos grupos Camargo Corrêa e Odebrecht como potenciais investidores do projeto.

Depois, disse Pires, o surgimento do consórcio formado por empresas sem tradição na construção de hidrelétricas, no caso o grupo vencedor, e a tarifa de R$ 78 apresentada hoje também foram surpreendentes.
O consórcio Norte Energia é formado pelas empresas Chesf, Queiroz Galvão, Galvão Engenharia, Mendes Júnior, Serveng, JMalucelli Construtora, Contern Construções, Cetenco Engenharia e Gaia Energia e Participações
“Acho que teremos mais surpresas adiante. O leilão de hoje só foi viabilizado por conta da série de benefícios que o governo concedeu”, afirmou.
Segundo Pires, o próximo capítulo de Belo Monte deverá ser o ingresso dos fundos de pensão para viabilizar o investimento.
“Pelo que se fala no mercado a tarifa de R$ 78 vai demandar mais incentivos do governo”, disse.

Para os defensores do resultado do leilão, no entanto, nenhuma empresa brasileira tem mais tradição em construção de hidrelétricas que a Chesf, pioneira no setor, e cuja primeira usina planejada no governo de Getúlio Vargas foi inaugurada no começo dos anos 50 pelo então presidente Café Filho, em dia histórico para Paulo Afonso, para a Bahia, para o Nordeste e para o País.

(Postada por Vitor Hugo Soares, com informações do portal MSN e do Blog do Guilherme Barros).

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos