O jingle da Globo: campanha subliminar ou coincidência?

===============================================

DEU NA FOLHA ON-LINE

O responsável por coordenar a campanha de Dilma Rousseff (PT) na internet, Marcelo Branco, disse nesta segunda-feira pela manhã em seu Twitter que o jingle de comemoração dos 45 anos da TV Globo (apresentado domingo no final do Fantástico) embute, de forma disfarçada, propaganda pró-José Serra (PSDB).
“Eu e toda a rede”, escreveu Branco em resposta ao comentário de que estaria enxergando na peça mensagem subliminar de apoio ao tucano.

De acordo com Branco, que corrobora tese difundida em sites de apoio ao PT, a mensagem estaria embutida no “45”, o número do PSDB, e em frases do jingle como “todos queremos mais”, o que seria, de acordo com os petistas, referência ao slogan “o Brasil pode mais” dito por Serra no lançamento de sua pré-candidatura.

Desde a noite de ontem a Globo passou a veicular campanha em que atores, jornalistas e apresentadores da emissora comemoram os 45 anos em que a TV está no ar, data a ser completada na próxima segunda feira.
Em determinado trecho da peça, os atores falam: “Todos queremos mais. Educação, saúde e, claro, amor e paz. Brasil? Muito mais.”
A reportagem procurou a assessoria da Globo para comentar as declarações de Branco, mas o ramal da emissora não atendeu por volta das 12h30

=====================================================
GLOBO esclarece em nota

“O texto do filme em comemoração aos 45 anos da Rede Globo, que começou a ser veiculado ontem à noite, foi criado – comprovadamente – em novembro do ano passado, quando não existiam nem candidaturas, muito menos slogans eleitorais.

Qualquer profissional de comunicação sabe que uma campanha como esta demanda tempo para ser elaborada. Mas a Rede Globo não pretende dar pretexto para ser acusada de ser tendenciosa e está suspendendo a veiculação da campanha na televisão”.
(Publicada no Blog do Noblat)

abr
19
Posted on 19-04-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 19-04-2010

=============================================


DEU NA REVISTA

Na coluna Brasil confidencial, assinada pelo jornalista Octávio Costa, a ISTO é desta semana publica:
================================================

VIROU ONÇA
O ex-ministro Geddel Vieira Lima comemorou a aliança com o senador Cesar Borges (PR), candidato à reeleição em sua chapa. Mas comprou uma briga com a deputada Maria Luiza Carneiro (PSC). Ela perdeu espaço para se candidatar à Câmara e botou a boca no trombone

abr
19
Posted on 19-04-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 19-04-2010

Novo impasse no projeto de construção da mega-hidrelétrica de Belo Monte. O juiz federal Antonio Carlos Almeida Campelo, da subseção de Altamira (PA), concedeu na tarde desta segunda-feira nova liminar que suspende o leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará, marcado para esta terça-feira.

O portal MSN registra que Campelo é o juiz que concedeu em 8 de abril a primeira liminar suspendendo o leilão, medida que foi derrubada na sexta-feira passada pelo presidente do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, desembargador Jirair Meguerian.
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que ainda não foi comunicada da nova liminar concedida pela Justiça do Pará suspendendo o leilão de concessão de Belo Monte.

Assim como na primeira decisão, o juiz de Altamira determinou que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) anule a licença prévia concedida para a construção da usina, que terá capacidade instalada de produção de 11.233 megawatts (MW) de energia. Essa capacidade a colocará como a terceira maior hidrelétrica do mundo a partir de 2016, para quando está previsto a sua entrada em operação. A decisão de Campelo pode ser questionada no TRF da 1ª Região, em Brasília.

abr
19

Masri em imagem do exercito americano

=============================================
O Exército dos Estados Unidos confirmou a morte do suposto líder da Al-Qaeda no Iraque, identificado como Abu Ayyub al-Masri, e do chefe do grupo iraquiano da organização, Abu Omar al-Baghdadi.

A morte dos dois, numa operação de uma equipa de forças especiais iraquianas apoiada por tropas dos EUA, tinha sido anunciada pelo primeiro-ministro, Nouri al-Maliki.

Maliki disse aos jornalistas que Masri, que se imagina ser um egípcio mas sobre o qual quase nada de sabe, e Bagdad foram mortos em Thar-Thar, uma zona rural a oeste de Bagdad.

“O ataque foi realizado por forças terrestres, que cercaram a casa, e também através do uso de mísseis”, afirmou Maliki. “As forças dos EUA também participaram.”

(Com informações do portal TSF, de Portugal)

abr
19
Posted on 19-04-2010
Filed Under (Aparecida, Artigos) by vitor on 19-04-2010

Que importam os anos?

============================================ CRÔNICA/TEMPO,TEMPO…

A vida começa aos 60?

Aparecida Torneros

A quarta-feira parecia pequena para o tanto de coisas que ela tinha a resolver. Uma passada no intituto de depilação, coisa importante para garantir a textura macia da ausência de pelos no corpo exposto ao sol da praia que ela planejava ir no fim de semana. O cuidado com a manicure, mãos e pés tratados e devidamente esmaltados numa cor café, que em sua pele clara realçava tão bem.
Não podia esquecer de apanhar as duas calças compridas novas naquela loja onde fizera umas comprinhas básicas e que tinham ficado de fazer novas bainhas. O salão de cabeleireiro, tintura, corte e escova, coisas fundamentais, pois na quinta, bem cedo, lá estaria ela, mais uma vez, apresentando o seminário anual da federação de médicos, onde teria o prazer de conviver por dois dias, com os temas relativos à saúde e a preocupação com a mídia que divulga ou distorce assuntos tão delicados, de grande responsabilidade na informação ao público em geral.
No cair da noite, ainda bem, a esperava o profissional da grife francesa de cosméticos e maquiagem, para um tratamento especial, e algumas novas recomendações para a pintura de um rosto sempre cuidado, expressivo e luminoso, segundo as bulas explicativas dos produtos que ela compraria sem lamentar custos, refletindo que ecominazaria, pois devia ser muito mais cara uma cirurgia plástica.
Ela decidira, por foro íntimo, nunca vir a fazer uma dessas, por motivos estéticos. Preferia cuidar da pele, da alimentação, dos exercícios físicos, da emoção ( fazia psicanálise há 12 anos) para manter-se ativa, bonita e feliz consigo mesma.

O dia corria, a quarta parecia pequena, todavia, ao chegar em casa, ainda assistiu um pouco de televisão, repassou o texto do que ia falar ao microfone do dia seguinte, enrolou os cabelos para que brilhassem soltos na manhã do dia seguinte, passou o creme de limpeza, o hidradante, não esqueceu do anti-rugas em volta dos olhos, releu mais um capítulo do seu atual livro de cabeceira ( Mulheres que correm com os lobos), orou algo em agradecimento pela alegria de viver, deu uma ligadinha para dizer boa noite à mãe de 83 anos, deixou recado na secretária eletrônica do filho de 32, pensou no seu namorado distante ( de 42) , mas que esperava reencontrar no fim de semana, se conseguissem conjugar agendas, pois o moço avisara das ondas fortes e do seu intento de surfar aproveitando o clima propício, o que, a ela, dava uma pontinha de orgulho, por sabê-lo tão cheio de vida e tão amante da natureza.

Então, ajeitou-se na cama, plena de deveres cumpridos, satisfeita pelas promessas de um amanhã comprometido de afazeres, adormeceu e sonhou que era mesmo uma menina saltitante descobrindo os segredos da vida. Ao acordar, cedinho, disse para si própria…” agora eu sei, a vida começa aos 60!” E correu para o seminário, calçando uns sapatos salto 10, elegante, feliz, observando o sol que a iluminava e o céu azul que lhe premiava com a certeza da desimportância de contar os anos, já que sua alma era tão jovem quanto o brilho dos seus olhos.

Cida Torneros, escritora, jornalista, mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Mulher Necessária.

abr
19
Posted on 19-04-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 19-04-2010

DEU NA REVISTA

Na coluna Holofote, assinada por Fábio Portela, a revista Veja desta semana publica:

=============================================

Bahia explosiva

Candidato à reeleição na Bahia, o governador Jaques Wagner, do PT, tem enfrentado um início de campanha conturbado. Primeiro, o PMDB, que ele esperava ver em sua chapa, decidiu lançar candidato próprio ao governo, o ex-ministro Geddel Vieira Lima. Depois, o PR também abandonou o barco. Agora, Wagner terá outro problema pela frente: explicar o aumento da violência na Bahia em sua gestão. De 2006 para 2009, os homicídios dolosos no estado aumentaram 48%, chegando a 4 777. A Bahia já responde por 10% de todos os homicídios brasileiros. Para combater a explosão do crime, o secretário de Segurança Pública, César Nunes, anunciou que a estratégia é “partir para cima dos bandidos”.

abr
19
Posted on 19-04-2010
Filed Under (Newsletter, Olivia) by vitor on 19-04-2010

Darin em filme arrebatador

=========================================
CINEMA PREMIADO

O Segredo dos Seus Olhos

MARIA OLÍVIA

Com muita propriedade, o filme O Segredo dos Seus Olhos arrebatou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro na última edição do famoso premio. Contrariando todas as apostas – e torcida – que consideravam A Fita Branca como vencedor, o filme argentino O Segredo dos Seus Olhos, dirigido por Juan José Campanella (o mesmo do belíssimo O Filho da Noiva), é simplesmente sensacional, não cabem mais palavras.

A trama fala sobre um crime sem solução há 25 anos que atormenta o personagem Benjamín Espósito (Ricardo Darín). Ele, então, decide voltar ao passado, que trará lembranças de amor, morte e amizade, que farão repensar seu presente e futuro.
A película que mistura amor e assassinato foi escrita pelo próprio Darín, que, no filme, vive o homem disposto a escrever um livro sobre as memórias da época e acaba descobrindo como o passado interfere tão diretamente em sua vida presente.

Em Salvador, para variar, o Segredo dos Seus Olhos chega com atraso. Vá correndo assistir, antes que saia de programação, tudo é possível na terra de Glauber Rocha. Apenas duas sessões: Às 19 horas no Unibanco (Glauber Rocha, Praça Castro Alves) e 21horas no Cine Vivo (Shopping Passeo, no Itaigara). O Bahia em Pauta indica, mil ‘estrelas’ para o filme argentino.

Maria Olívia é jornalista

abr
19
Posted on 19-04-2010
Filed Under (Artigos, Ivan) by vitor on 19-04-2010

Muita onda nas pesquisas

——————————————————-
Em seu artigo desta segunda-feira, na Tribuna da Bahia o jornalista político Ivan de Carvalho chama a atenção  para o cuidado dobrado que se deve ter na leitura de resultados de pesquisas eleitorais nesta fase de pré-candidaturas e muita confusão e jogo de interesses, camuflados ou não.
O colunista assinala que os resultados de uma nova pesquisa do Datafolha, realizada entre os dias 15 e 16 deste mês, que desmoraliza o “empate” apontado pelo Sensus sob encomenda do Sintrapav. O Datafolha atribui a Serra, na modalidade de intenções de voto estimuladas (mesma pela qual o Sensus obteve o tal empate), o percentual de 38 por cento, reservando a Dilma Rousseff 28 por cento. A diferença é de dez pontos percentuais e em nada se assemelha a um empate.

Está assim reforçada o que já é mais do que uma simples hipótese, mas uma suspeita antiga que vem se adensando a cada eleição, diz Ivan de Carvalho no texto que Bahia em Pauta reproduz.
(VHS)

===========================================

OPINIÃO POLÍTICA

Cuidado com as pesquisas

Ivan de Carvalho

Quando foram divulgados os resultados da última pesquisa Sensus para presidente da República, apontando empate entre José Serra (32,7 por cento) e Dilma Rousseff (32,4 por cento) – algo sem precedentes na história das pesquisas eleitorais de institutos conhecidos para o pleito de outubro deste ano, abstive-me de comentá-los.
Eu os considerei suspeitos. Nada ocorrera no intervalo de tal pesquisa e outras anteriores, recentes, de diversos institutos, que pudesse explicar o surpreendente empate. Nelas, Serra, do PSDB, aparecia sempre com uma considerável vantagem sobre a candidata do PT, embora esta se apresentasse numa contínua, mas não abrupta escalada. Um empate poderá, evidentemente, acontecer, ou até uma ultrapassagem, mas essas são possibilidades para o futuro, próximo ou distante. Ou para nunca, o que também não pode ser descartado.
A pesquisa Sensus foi criticada, por exemplo, pelo jornal Folha de S. Paulo, certamente com a assessoria do Instituto Datafolha, há muito o de maior credibilidade entre os políticos e que integra o mesmo grupo empresarial do jornal citado. A Folha observou que o Sensus praticou uma inversão nas perguntas. Ao invés de iniciá-la indagando ao eleitor entrevistado em quem votaria para presidente, perguntou primeiro sobre a avaliação que fazia do governo Lula.
Quando perguntado sobre o voto para presidente, observou a Folha, o eleitor poderia se sentir constrangido a dizer que votaria na candidata governista, uma vez que é muito alta a aprovação de Lula. E também – acrescento – para não parecer incoerente perante o entrevistador. Houve ainda outras críticas, a exemplo do currículo político de Serra, no qual constava apenas “governador de São Paulo”, quando se sabe que é muito mais vasto.
Mas o que mais me fez considerar suspeitos os resultados do Sensus foi o fato de a pesquisa ter sido encomendada pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada no Estado de São Paulo (Sintrapav), uma instituição sem a menor tradição de encomendar pesquisas eleitorais, pelo menos de âmbito nacional. Em outros âmbitos, não sei nem vi nunca notícia de nenhuma. O que teria levado esse sindicato a navegar por mares nunca dantes por ele navegados? Sinceramente, rejeitei os resultados e a pesquisa como imprestáveis.
E se abordo hoje essa pesquisa do Sensus é somente porque no fim de semana foram divulgados os resultados de uma nova pesquisa do Datafolha, realizada entre os dias 15 e 16 deste mês, que desmoraliza o “empate” apontado pelo Sensus sob encomenda do Sintrapav. O Datafolha atribui a Serra, na modalidade de intenções de voto estimuladas (mesma pela qual o Sensus obteve o tal empate), o percentual de 38 por cento, reservando a Dilma Rousseff 28 por cento. A diferença é de dez pontos percentuais e em nada se assemelha a um empate.
Está assim reforçada o que já é mais do que uma simples hipótese, mas uma suspeita antiga que vem se adensando a cada eleição – a manipulação de resultados de muitas das pesquisas eleitorais lançadas no mercado eleitoral.

  • Arquivos