abr
17
Posted on 17-04-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 17-04-2010

Lady Laura:despedida

===============================================================
Um dia depois da apresentação memorável de Roberto Carlos no Radio City, em New York, comemorativa dos 50 anos de carreira , a mãe do cantor , Laura Moreira Braga, conhecida como Lady Laura, morreu neste sábado. Ela tinha 95 anos e estava internada na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Copa D’Or, no Rio de Janeiro, em tratamento de uma infeccção pulmonar, desde o dia 31 de março.

O portal Folha Online assinala que o apelido, que rendeu uma homenagem em forma de música do rei, não era o único. Os amigos mais íntimos a chamavam de Lalá. Nascida na cidade de Mimoso, em Minas Gerais, Lady Laura não gostava de dar entrevistas. “É que não sou celebridade, famoso é o meu filho”,  justificou à revista “Contigo” em 2004, em uma das raras conversas com a imprensa.

Segundo contou, foi ela quem apresentou a Roberto Carlos os primeiros acordes do violão. Também foi ela quem o levou para uma de suas primeiras apresentações públicas, em uma rádio de Cachoeiro de Itapemirim, onde o filho nasceu.

Segundo Folha Online, Lady Laura disse também na entrevista que amava os filhos “com a mesma intensidade” –além de Roberto Carlos, ela teve outros três filhos com Robertino Braga, que morreu em 1980.

Uma das aparições com o filho mais famoso foi em 1987, quando Roberto Carlos foi tema do enredo da escola Unidos do Cabuçu, no Carnaval do Rio de Janeiro. Ela passou pela avenida como destaque em um carro alegórico.

“Agora quero sair de porta-bandeira, rodopiando na pista”, disse na ocasião à Folha.

Sobre a música “Lady Laura”, gravada pelo filho em 1978, ela disse que escutá-la pela primeira vez “foi uma alegria imensa” e que “a música e a letra são presentes que jamais me sairão da memória”.

A canção não foi a única homenagem que Roberto Carlos prestou à mãe. “Dona Laura”, “Lady Laura I”, “Lady Laura II” e “Lady Laura III” são os nomes dos quatro barcos que já pertenceram ao cantor.

O último ganhou as manchetes dos jornais no final da década de 80 por uma reforma que não terminou até o começo dos anos 90 e pela suspeita de ter sido usado para contrabando de armas antes de chegar às mãos do rei.


=====================================================================
BOA NOITE
!!!

abr
17
Posted on 17-04-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 17-04-2010

Dimas:reconecimento nacional

==================================================================
DEU NO “JORNAL ELETRÔNICO” DA SEFAZ SOBRE A MORTE DE DIMAS, AUDITOR FISCAL E MODERADOR DO BLOG BAHIA EM PAUTA.

===========================================================
A Secretaria da Fazenda, com muito pesar, lamenta a perda do querido colega Dimas Josué Melo da Fonseca, falecido na manhã de segunda-feira (12). Dimas tinha 55 anos e era pai de dois filhos. O sepultamento foi realizado no mesmo dia de seu falecimento, no Cemitério Jardim da Saudade.
Engenheiro Eletricista pela Universidade Federal da Bahia, Dimas iniciou suas atividades profissionais como programador da COELBA, em 1976. Ainda no setor técnico, ocupou o cargo de analista de sistemas da Dow Química, coordenador de Informática da Secretaria de Minas e Energia e da Secretaria de Governo do Estado da Bahia, gerente da PRODEB e coordenador de Informática da Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo, dentre outras atribuições.
Em 1994, ingressou na Sefaz através de concurso para auditor fiscal. Na Secretaria, participou da criação do Comitê de Inteligência Fiscal e do desenvolvimento do Programa de Modernização da SEFAZ, Projetos BID 1 e BID 2. “Dimas atuou nos dois projetos integrantes do Promosefaz, sendo um dos membros mais destacados da equipe responsável pela formulação e desenvolvimento do programa. Suas contribuições, devido principalmente a sua especialização, conhecimento e experiência que acumulou na área de tecnologia da informação, foram decisivas para a construção do novo Modelo de Informática da Sefaz. Merecem registro neste período, a entrega, o comprometimento e o empenho despendidos, virtudes, aliás, que sempre pautaram a atuação de Dimas na Secretaria”, explica Celso Tavares, auditor fiscal da Sefaz e então coordenador técnico do projeto.
Integrou ainda, como membro titular, a Comissão Especial de Informática do Governo do Estado e o Conselho Estadual de Informática. Foi também professor concursado da Universidade Estadual de Feira de Santana e atuou como instrutor em diversos cursos.
Em mensagem enviada para toda a Secretaria, a assessora da SAT (Superintendência de Administração Tributária), Nilma Oliveira, destacou que “seu legado de dedicação, profissionalismo e inarredável compromisso com a ética ficará entre nós, a nos inspirar no exercício desta tão dignificante carreira. A Sefaz perde um grande profissional, os colegas perdem um grande amigo”, disse.
Ultimamente, Dimas trabalhava na Gerência de Automação Fiscal (GEAFI), da Diretoria de Planejamento da Fiscalização (DPF). Na GEAFI, entre outros projetos, o colega desenvolveu, em parceria com a equipe da Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI), um programa para retirar as NF-es (Notas Fiscais Eletrônicas) do sistema corporativo da Sefaz e manipular as suas informações através do programa MS-Access, possibilitando consultas, cruzamento de dados e elaboração de relatórios. Denominado de Gerador de Banco de Dados de NF-e, o programa pioneiro ficou pronto em dezembro de 2008 e começou a ser utilizados em fevereiro de 2009.
No último mês de dezembro, em evento realizado no Hotel Fiesta para lançamento do Projeto Brasil ID, o colega recebeu uma placa do ENCAT, das mãos do secretário da Fazenda, Carlos Martins, e do auditor e coordenador do ENCAT, Eudaldo Almeida, como forma de homenageá-lo pelos serviços prestados para modernizar a administração tributária.

HOMENAGENS DO PAÍS A DIMAS
Do Paraná:
“ Paulo, fiquei muito triste em saber da morte do Dimas. Apesar de não ter tido muito contato com ele, a gente acaba sentindo uma sensação ruim em saber… Nas reuniões em que participei com ele, sempre se mostrou uma pessoa de muito conhecimento e muito a ensinar. Creio que é uma perda muito importante para o fisco da Bahia, assim como para todos os GT em que participava.”
Sivoney Almeida
SEFA/PR
——————————————————————-
Prezado Paulo,
Transmita os meus sentimentos a família do amigo Dimas.
grande abraço aos amigos da Sefaz/BA,

José Paulo Filgueira Neto
Banco Central do Brasil

====================================================
De Minas Gerais:
Triste esta surpresa que a vida nos oferece … a morte…
Nós esperamos que ela seja postergada para sempre … mas infelizmente chegou a hora do nosso Ilustre Dimas …
Neste momento é oportuna a reflexão sobre o nosso papel na vida.
Dimas, com certeza, contribuiu para um futuro melhor. Dedicado, competente, “brigador” pelas suas opiniões, AMIGO … … …
Só tenho a agradecer por ter tido oportunidade de conviver e aprender com este companheiro, exemplo de “Servidor”.
Que Deus o abençoe, o guarde e ilumine sua família para suportar esta dor!

Renato O. Delucca
SEF/MG
========================================================
Do Espírito Santo:
Ao Dimas:
Que sejam a Luz Divina e a Paz de Espírito companheiras permanentes, bom guerreiro baiano.
Dimas, fique em Paz!!!
Demuner
Equipe SINTEGRA – ES – JAD.
Secretaria de Estado da Fazenda – ES.
==========================================================
Da Paraíba:
Caros colegas, não conhecia Dimas, mas vejo que era muito querido pelos colegas do grupo. De forma que me solidarizo com o pesar do grupo e peço a Paulo que transmita à família os sinceros votos de solidariedade cristã.
Atc,

José de Alexandre A. da Silva
Representante Sintegra da Paraíba
===========================================================
Da Paraíba:
Meu Caro Paulo é com muito pesar que recebo esta notícia, a partida de um grande amigo, transmita nosso sentimento de dor.

Ramiro Rodrigues Estrela
Auditor Fiscal Tributário Estadual
Assessor do Secretário Executivo
Secretaria de Estado da Receita da Paraíba

Do Rio Grande do Norte:

Paulo Medrado,

Por favor, transmita a família nossa solidariedade e apoio por este momento tão difícil e delicado.

Antônio Gonçalves da S. Junior
Auditor Fiscal do Tesouro Estadual.
SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO DO RN

De Santa Catarina:
Prezado Paulo,
Nossas condolências. Solicitamos que voce, se possível, apresente nossos sentimentos à família do Dimas, em nome do GT15.
Os membros mais novos do SINTEGRA não sabem, mas o Dimas foi um dos grandes líderes do Sintegra. Inteligente, batalhador, “encrenqueiro” às vezes, mas um lutador incansável em prol das suas idéias e das necessidades do Grupo. Grande parceiro nas reuniões e fora delas.
Saudações,

Vânio de Oliveira Matos
Coordenador do GT15-Sintegra
(48) 3216-7543
===========================================================
De São Paulo:
Caro Amigo Paulo
Receba e transmita à família do nosso querido Dimas os pêsames pelo obito do mesmo.
Valentin
===================================================
Do Acre:
Prezado Paulo,

É consternado que recebo a notícia do falecimento do Dimas.
Não tive oportunidade de melhor conhecê-lo mas isso não me impede de reconhecer a sua valorosa contribuição e empenho ao projeto SINTEGRA.
Que Deus conceda o necessário conforto aos seus familiares e amigos!

José Roberto Gomes de Sousa
Secretaria de Estado da Fazenda e Gestão Pública
Fiscal da Receita Estadual
Rio Branco-Acre.
=================================================
Do Piauí:
Paulo,
Por favor, transmita a família os sentimentos da SEFAZ Piauí e nosso agradecimento pela sua dedicação e empenho que com que sempre levou os projetos por onde passou.

Luiz Antonio Baptista da Costa Leite
Coordenação de Estudos Econômico-fiscais
Líder dos Projetos NF-e e EFD na SEFAZ – PI

====================================================
Do Rio de Janeiro:
Paulo,

Favor transmitir nossos sentimentos à família.
Uma perda para todo o sintegra e os demais projetos nacionais.
Ivo Duchovny Boruchovitch
=========================================================
Do Mato Grosso do Sul:

Nosso sincero sentimento pela perda do grande colega Dimas, em todos os grupos sua falta será notada.
Marcelo e Colegas da UEE/MS
=======================================================
De Pernambuco:
É com enorme pesar, me solidarizo com os colegas/amigos/família,
Grande abraço,

Nelson Tenório
Sistemas GAF/GMF
===========================================================
De Sergipe:
Prezados,

Consternados, recebemos essa notícia. Perdemos um exímio profissional.

ERIVALDO SANTOS
Auditor Técnico Tributário
UEE/SEFAZ/SE
=========================================
Do Pará:
Perdemos um grande amigo…
Manifestamos a nossa profunda tristeza e solidariedade à família.
A SEFA-PA agradece a valoroza contribuição do colega Dimas em vários
projetos dos quais ele participou.

Atenciosamente,

Márcio José Albuquerque Carvalho
Coordenador Fazendário

==========================================

Do Rio Grande do Sul

Caros amigos, ainda é difícil acreditar que isto aconteceu.
 Grande amigo Dimas.
É com profundo pesar que recebo esta notícia.
Faraco

abr
17
Posted on 17-04-2010
Filed Under (Artigos, Ivan) by vitor on 17-04-2010

Geddel e João:marcha para o interior

===========================================================
O PMDB baiano embarca para o interior. Estarão em Itabuna, hoje, o candidato a governador pelo PMDB, deputado e ex-ministro Geddel Vieira Lima, o senador César Borges, presidente estadual do PR e candidato à reeleição na coligação liderada pelo PMDB, o prefeito de Salvador, João Henrique, também deste partido e o presidente estadual da legenda, Lúcio Vieira Lima.É este um dos temas do artigo do colunista político Ivan de Carvalho, hoje, na Tribuna da Bahia, que BP reproduz.
(VHS)

PMDB e sucessão

Ivan de Carvalho

1. Estarão em Itabuna, hoje, o candidato a governador pelo PMDB, deputado e ex-ministro Geddel Vieira Lima, o senador César Borges, presidente estadual do PR e candidato à reeleição na coligação liderada pelo PMDB, o prefeito de Salvador, João Henrique, também deste partido e o presidente estadual da legenda, Lúcio Vieira Lima.
Eles vão ao encontro do prefeito Azevedo, do DEM, por conta de ato relacionado com recursos liberados para a prefeitura local quando Geddel ainda era ministro da Integração Nacional.
Para não dar guarida à arriscada, mas não descartada hipótese de tão importante caravana ser uma iniciativa para coroar eventual adesão do prefeito à aliança peemedebista no processo sucessório estadual ou pelo menos uma preliminar disto, limito-me a duas observações laterais.
A primeira é a consumação, em ação de campo, da aliança acertada nos gabinetes entre o PMDB e o PR, que produz uma mexida profunda no processo, ao tempo em que a aliança peemedebista dá uma demonstração forte de seu interesse em Itabuna e nos votos do importante município.
A segunda observação é a de que trata-se da primeira demonstração pública da continuidade e profundidade do apoio do prefeito de Salvador à candidatura de Geddel e às demais da chapa majoritária liderada pelo PMDB depois que sua mulher, a deputada Maria Luiza Carneiro, fez, esta semana, o seu surpreendente e polêmico pronunciamento na Assembléia Legislativa, criticando Geddel e anunciando sua desistência de concorrer a uma cadeira na Câmara federal, como pretendia. Ela não será também candidata à reeleição. Um filho do casal, porém, disputará – certamente será eleito – uma cadeira na Assembléia Legislativa.
2. Três partidos que poderão apoiar o candidato a presidente da República pela coligação PSDB-DEM, o governador de São Paulo, José Serra, poderão também integrar a aliança liderada pelo PMDB na Bahia – partido que apóia Dilma Rousseff, do PT, para presidente.
O primeiro deles é o PPS. Já está decidido que apoiará a candidatura de Serra. Na Bahia, até certo ponto por causa de uma antiga pinimba de seu presidente nacional, Roberto Freire, com o ex-senador Antonio Carlos Magalhães, mas também por motivos regionais, o PPS está seriamente inclinado a ingressar na aliança liderada pelo PMDB.
O segundo é o PSC. Este partido tem uma facção que deseja apoiar a candidata do governo, Dilma Roussseff, mas os sinais existentes não sugerem que tal facção consiga prevalecer. A tendência mais forte é o PSC formar na aliança que sustenta a principal candidatura de oposição e tem o ex-prefeito de São Paulo, ex-ministro do Planejamento e da Saúde, ex-senador e ex-governador paulista como candidato a presidente. Mas na Bahia o PSC já apóia a candidatura de Geddel a governador, que por sua vez apóia a candidata Dilma Rousseff – aquela que resolveu esta semana, para surpresa geral, se declarar católica – a presidente.
O terceiro partido é o PTB. Na Bahia, já está apoiando, faz tempo, a candidatura de Geddel Vieira Lima. No âmbito nacional, está dividido. A direção executiva, presidida pelo ex-deputado Roberto Jefferson – aquele que denunciou o Mensalão, mas também é réu no processo que corre no STF – esforça-se para levar o partido (que apóia o governo de Lula no Congresso) a fazer aliança com José Serra. A maioria da bancada no Congresso tenta neutralizar esse esforço e prefere apoiar a candidata oficial à presidência da República.

abr
17
Posted on 17-04-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 17-04-2010


DEU NA UOL

A pesquisa Datafolha realizada nos dias 15 e 16 deste mês traz José Serra com 38% e Dilma Rousseff com 28%. No segundo pelotão, Marina Silva surge com 10% e Ciro Gomes registra 9%.

O dado mais relevante é que a diferença entre o tucano Serra e a petista Dilma é de dez pontos percentuais. No levantamento anterior, do final de março, era de nove pontos. Ou seja, a variação ficou estritamente circunscrita à margem de erro, que é de dois pontos -para mais ou para menos.

Desde o último levantamento do Datafolha, houve um evento com grande exposição na mídia. O PSDB fez uma megafesta no dia 10 deste mês para lançar oficialmente o nome de Serra ao Planalto.

Apesar da presença forte no noticiário, o tucano se manteve mais ou menos onde estava. Trata-se de uma notícia positiva para os lulistas. Dilma também se segurou no mesmo patamar de intenção de votos. E pode até argumentar que em fevereiro, depois de ter sido lançada oficialmente como pré-candidata, aproveitou para se consolidar acima dos 25% nas pesquisas.

Além da estabilidade de Serra e de Dilma, o Datafolha também confirma uma tendência: Ciro Gomes, do PSB, está em fase de desidratação. Tinha 13% em dezembro e foi oscilando para baixo até os 9% atuais. Pela primeira vez, ficou numericamente atrás de Marina Silva, do PV, embora do ponto de vista estatístico eles estejam empatados.

Sob inspiração de Lula, o PSB parece mesmo disposto a rifar a candidatura de Ciro. A se confirmar esse cenário, o quadro sucessório ficará restrito a Serra e Dilma polarizados na frente, Marina como uma terceira via isolada e uma porção de nanicos atrás.

A não ser que os nanicos e Marina Silva ganhem músculos eleitorais, a tese da polarização entre PSDB e PT se consolida rapidamente. Cresce a chance, portanto, de uma decisão no primeiro turno.

abr
17
Posted on 17-04-2010
Filed Under (Artigos, Vitor) by vitor on 17-04-2010

Serra:passageiro da chuva em Salvador…

…e Bronson no cinema

================================================================

ARTIGO DA SEMANA

COMÍCIO RELÂMPAGO X MASTURBAÇÃO SOCIOLÓGICA

Vitor Hugo Soares

Quando desembarcou em Salvador esta semana, debaixo do maior aguaceiro, o pré-candidato do PSDB à presidência da República, José Serra, parecia aquele personagem representado por Charles Bronson em “Passager de La Pluie” (Passageiro da Chuva), “cult” dos anos 70, dirigido pelo francês René Clement, cujo lançamento nacional vi no antigo Cine Condor, no Rio de Janeiro, de passagem pela cidade.

Enigmático ao desembarcar no aeroporto, que pouco depois teria seus acessos bloqueados pelas águas que transbordaram dos rios Ipitanga e Joanes, o político paulista, a exemplo de Bronson ao descer do ônibus na cidadezinha do filme, deixava evidente: tinha algo relevante em seus planos políticos a experimentar ou a desvendar na Bahia naquela tarde e noite, apesar do dilúvio.

Havia anotado um dia antes em Terra Magazine: Serra, mesmo insistindo na jura de ainda não estar em campanha para ocupar o lugar de Lula no Palácio do Planalto, voaria para o Nordeste, começando pela capital baiana, para inaugurar a estratégia que deve marcar sua campanha nos próximos meses.

Estimulado pelos seus principais conselheiros – com marqueteiro no meio, evidentemente – Serra resolveu que precisava sair do ninho em São Paulo e fazer a viagem rapidamente – apesar dos perigos contidos nas previsões meteorológicas para a região. Antes mesmo de pousar em Minas, no começo da semana que vem, para, ao lado do governador Aécio Neves, dar o que até então o alto comando tucano anunciava como “a grande largada”.

Eureka! O que se viu na última quarta-feira em Salvador foi o ressurgimento (com modelo renovado e mais apropriado ao tempo e a hora da política do País), dos antigos “comícios relâmpagos” dos anos de ditadura, utilizados então pelo chamado Movimento Estudantil (ME), União Nacional dos Estudantes à frente. Em síntese: deslocamentos rápidos para pontos estratégicos, com a finalidade de surpreender os adversários, a conversa restrita ao essencial, pouco discurso e o máximo de ação possível.

No caso em pauta, talvez só o nordestino Lula, em seus melhores tempos de juras de amores baianos, poderia ter feito igual, ou melhor. À ex-ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT, ainda parece faltar chão e iniciativa própria quando não tem o padrinho e mais vigoroso defensor de sua candidatura por perto.

No vácuo, como o durão Bronson em “Passageiro da Chuva”, Serra, ex-presidente da UNE, pegou o avião em São Paulo desafiando as previsões de temporais para a Bahia, convencido de que, como na época dos “comícios relâmpagos”, não havia tempo a perder com divagações ou “masturbação sociológica”, antiga prática partidária e administrativa que enlouquecia tucanos mais velozes como o falecido ex-ministro das Comunicações de FHC, Sergio Mota, o Serjão.

A agenda baiana e nordestina foi escolhida a dedo e às pressas, como exigia a nova estratégia a ser testada. Primeiro uma visita às Obras Sociais de Irmã Dulce, a quase santa freira, morta em 1992, que criou e deixou o mais importante trabalho de assistência e caridade em Salvador. Em seguida, uma passada pelo Mercado Modelo, para as fotografias e filmagens em um dos mais populares cartões-postais locais, ao lado de capoeiristas, artesãos e figuras típicas do lugar. Além, é claro, de políticos da terra, como o ex-governador Paulo Souto (DEM), que tenta retornar ao Palácio de Ondina; ex-prefeito tucano Antonio Imbassahy, ex-governador Nilo Coelho e o deputado Jutahy Magalhães, um de seus principais escudeiros no Estado há tempos.

Finalmente, o “comício relâmpago” de maior repercussão política. A entrevista de mais de meia hora na Rádio Metrópole ao experiente âncora radiofônico e ex-prefeito, Mario Kertész, no programa de maior audiência e repercussão da capital. Tempo que Serra não jogou fora e preencheu com respostas sobre sua trajetória de vida e antigas ligações políticas com a Bahia, desde o histórico Congresso Internacional dos Estudantes do Mundo Subdesenvolvido, meses antes do golpe de 64, e depois a fundação da Ação Popular, criada na Bahia. “Muito do que aprendi de política devo ao movimento estudantil e à Bahia”, disse Serra, à moda de Lula em campanhas passadas.

E ainda acenou para o socialista Ciro Gomes (PSB), um de seus mais duros críticos: “Ciro tem pinimba comigo, mas é mão única. Eu não tenho nada que me oponha a Ciro”

Depois, ainda debaixo de chuva, pegou o avião em Salvador e viajou para mais um “comício relâmpago”. Desta vez no Ceará dos Gomes.

Vitor Hugo Soares é jornalista – E-mail: vitor.soares1@terra.com.br

  • Arquivos