abr
15
Postado em 15-04-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 15-04-2010 13:11

Maria Luiza; sem aviso prévio

=============================================================
Afogado em problemas é pouco para definir a situação política, administrativa e doméstica do prefeito de Salvador, João Henrique Carneiro (PMDB), até aqui um dos principais aliados do deputado e ex-ministro Geddel Vieira Lima e talvez o maior beneficiário no País dos carregamentos de verbas despejados pelo ministério da Integração Nacional na Bahia.

Como se não bastassem as inundações, mortes, desabamentos e desastres causados pelos temporais diluvianos dos últimos dias em Salvador, Região Metropolitana e Recôncavo Baiano, João está a braços com um abacaxi político-doméstico sem tamanho para descascar. A deputada estadual e primeira dama da capital, Maria Luiza Barradas (PSC) sem adiantar uma palavra ao marido – em casa ou em qualquer outro lugar, como ela própria revela em entrevista à revista digital, Terra Magazine – subiu esta semana à tribuna da Assembléia Legislativa para avisar, alto e bom som, que não apoia a candidatura de Geddel para o governo da Bahia “de jeito nenhum”.

Tudo está contado nos mínimos detalhes na entrevista que a deputada deu ao jornalista baiano Claudio Leal, postada com destaque na revista digital Terra Magazine que incendeia não apenas o PMDB e chamusca o marido, mas causa polemica das mais ardidas em todos os terreiros caldeirões da política baiana. (Postado por Vitor Hugo Soares)
============================================================

TERRA MAGAZINE assinala na apresentação da entrevista:

“Maria Luzia não suporta Geddel, que apoia seu marido, que deu um “telefonema carinhoso” para Geddel, apesar de amar a Maria Luiza. Se você não entendeu, os baianos também não.
A primeira-dama de Salvador, a deputada estadual Maria Luiza Barradas (PSC), subiu à tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia e atacou o ex-ministro peemedebista Geddel Vieira Lima, padrinho político de seu marido, o prefeito João Henrique (PMDB). Sem deixar recado em casa, ela declarou que não seria mais candidata por rejeitar qualquer aliança com Geddel – e o compara ao estilo do ex-senador ACM.
“Estou estupefato”, desabafou João com interlocutores. Mas a primeira-dama deu uma de samba de Zé Keti: “Pode me prender/Pode me bater/Pode até deixar-me sem comer/Que eu não mudo de opinião”. Em entrevista a Terra Magazine, ela reafirma as divergências e explica por que não contou antes ao prefeito:
– Se eu falasse pra ele, talvez eu cedesse à solicitação dele de não fazê-lo. Mas eu estaria traindo a mim mesma, a minhas convicções, a meus princípios, a meus valores… Tenho certeza que pelo caráter, pela pessoa que ele é, ele faz qualquer coisa por Salvador. Até mesmo suportar o insuportável…
Acusada de mandar mais que o prefeito e influenciar na escolha do secretariado, ela não desmente a fama – “como esposa, a gente opina” – e revela que o único problema é assumir o poder de primeira-dama-de-ferro:
– Quero dizer, com toda sinceridade, que se eu mandasse, pessoas que estão não estariam lá, eu não faria algumas coisas da forma que são feitas. Não tô não querendo abdicar qualquer coisa. E não me incomoda o fato de as pessoas pensarem isso. Eu só não quero assumir isso”.

Achou pouco? Pois tem muito mais na conversa da deputada e primeira dama Maria Luiza com a TM .

( terramagazine@terra.com.br )

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos