abr
13

Sergio Guerra:as pesquisas não conferem

===================================================

Deu na revista digital Terra Magazine

ELIANO JORGE

O presidente do PSDB, o senador Sérgio Guerra, afirmou que seu partido não leva em consideração as duas mais recentes pesquisas que apontam empate técnico entre os presidenciáveis José Serra, tucano, e Dilma Rousseff, petista.

– Não é nada de pessoal, mas pesquisas do Sensus e do Vox Populi, nos últimos tempos, têm estado muito diferentes dos nossos acompanhamentos, das nossas pesquisas e das de outras instituições. Não estamos trabalhando com elas.

Alegando distorções dos resultados em comparação com outras sondagens, Guerra prefere não comentar os números dos dois institutos. “Não sei se é uma questão de metodologia, mas elas não conferem”.

Ele baseia-se num parâmetro favorável ao seu pré-candidato. “Mantemos uma boa margem sobre a ex-ministra Dilma”, assegura, sem arriscar porcentagens. “A gente tem levantamentos quase diários, acompanhando o Brasil todo. Não tem nenhum movimento importante (recentemente)”.

O resultado

A última pesquisa eleitoral da Sensus Consultoria e Pesquisa, divulgada nesta terça-feira, 13, aponta empate técnico entre os pré-candidatos à presidência da República do PT, Dilma Rousseff, e do PSDB, José Serra. O tucano aparece com 32,7% das intenções de voto, contra 32,4% da petista.

O deputado Ciro Gomes, do PSB, soma 10,1%, e a senadora Marina Silva, do PV, possui 8,1% da preferência do eleitorado.

O percentual de votos brancos e nulos foi de 7,7%, e 9,1% das pessoas ouvidas não souberam indicar uma opção ou não responderam. A pesquisa, encomendada pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada de São Paulo, foi realizada entre os dias 5 e 9 de abril, em 136 municípios de 24 Estados, e ouviu 2 mil pessoas.

A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. O levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral, sob o número 7594/2010, em 5 de abril.

Deu na coluna Semana, assinada pelo jornalista Ricardo Boechar, na revista Isto É
======================================================

Escuta
Operação Gautama

Uma nova crise chegou a Brasília. Na tarde da quinta-feira 8, a Polícia Civil da Bahia prendeu o detetive Paulo Roberto Miranda, acusado de comandar um esquema de grampos telefônicos ilegais, utilizado para extorquir muitos dos envolvidos na Operação Gautama. Na casa do araponga foi encontrado um arsenal de documentos e fitas que poderá explodir a candidatura de muita gente graúda, inclusive ex-ministros.

abr
13
Posted on 13-04-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 13-04-2010

Serra(PSDB) e Dilma (PT): colados

==========================================================

Deu na Folha

Pesquisa Sensus encomendada pelo Sintrapav (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Construção Pesada de São Paulo) a ser divulgada hoje aponta empate técnico na corrida presidencial entre o tucano José Serra (32,7%) e a petista Dilma Rousseff (32,4%). É o resultado mais apertado já obtido.

De acordo com a sondagem, Ciro Gomes (PSB) teria 10,1%, e Marina Silva (PV), 8,1%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. Segundo dados apresentados ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), sob o registro de número 7594/2010, o levantamento foi feito entre os dias 5 e 9 de abril em 24 Estados, com 2.000 entrevistas.

Reportagem publicada no sábado passado pela Folha (íntegra disponível para assinantes do UOL e do jornal) mostrou que, no registro do TSE, consta outro contratante: o Sindecrep (sindicato de trabalhadores em concessionárias de rodovias) de São Paulo –que não a encomendou. A Sensus afirmou se tratar de um erro, corrigido em seguida.

Outras pesquisas

Pesquisa divulgada no dia 4 de março pelo instituto Vox Populi e encomendada pela rede de televisão Bandeirantes mostrava Serra na liderança com 34% dos votos, mesma porcentagem registrada em janeiro. Já Dilma tinha quatro pontos percentuais, subindo para 31% das intenções de voto, segundo o levantamento.

Ciro aparece com 10% e Marina com 5%. Votos nulos e brancos somam 7% e 13% dos pesquisados não quiseram ou não souberam responder.

A pesquisa do Vox Populi foi registrada sob o número 7337/2010 e realizada entre os dias 30 e 31 de março, com 2.000 eleitores. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

Já no dia 27 de março, em pesquisa realizada pelo Datafolha, Serra aparece com nove pontos de vantagem sobre Dilma. O tucano tem 36% e a petista 27% das intenções de voto. Na pesquisa realizada em fevereiro, Serra tinha 32% e Dilma 28%.

Ciro Gomes (PSB) ficou com 11% (tinha 12% em fevereiro). Marina Silva (PV) está estacionada e manteve os 8% obtidos no mês passado. Em um eventual segundo turno, o tucano venceria a petista por 48% contra 39%.

A pesquisa, registrada sob o número 6617/2010, foi realizada nos dias 25 e 26 com 4.158 eleitores. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

(Informações da coluna Painel, da Folha de S. Paulo)

abr
13

Jadwiga Kaczynska não sabe que um dos seus gémeos morreu sábado num acidente aéreo na cidade russa de Smolensk. A mãe de Lech e Jaroslaw Kaczynski, de 83 anos, encontra-se internada nos cuidados intensivos do hospital militar de Varsóvia, capital polaca, na sequência de problemas cardíacos e arteriais muito graves.

“Tendo em conta o seu estado de saúde, o seu filho Jaroslaw não quer que ela tenha conhecimento da morte de Lech”, declarou, à AFP, o porta-voz daquele hospital polaco, Piotr Dabrowiecki, acrescentando que a situação da idosa “é grave mas estacionária. Ela dorme e retoma a consciência de tempos a tempos”.

A saúde da mãe foi o que levou Jaroslaw a não ir com Lech. O chefe do Estado polaco seguia num avião Tupolev-157 com mais 95 pessoas que iam participar nas comemorações do 70.º aniversário da morte de 20 mil polacos às mãos dos soviéticos. O aparelho caiu na floresta de Katyn, o mesmo local onde há sete décadas ocorreram os fuzilamentos.

Lech e Jaroslaw falaram ao telefone meia-hora antes do acidente, disse à Ria Novosti Adam Bielan, eurodeputado polaco e membro do partido dos gémeos, o conservador Lei e Justiça. O ex-primeiro-ministro perguntou ao irmão se já tinha chegado ao destino, tendo ele respondido que ainda não, mas que não faltava muito.

A queda do aparelho é atribuida ao faco de o piloto ter ignorado os avisos meteorológicos feitos pelo controladores russos. Além do chefe do Estado polaco seguiam no avião os líderes dos quatro ramos das Forças Armadas da Polónia, o presidente do banco central e do comité olímpico, um ex-presidente, bispos, vários secretários de Estado, deputados e senadores e ainda a mulher de Lech, Maria Kaczynska, cujo corpo foi ontem identificado e só hoje chegará a Varsóvia.

O seu corpo e o do marido serão velados pelos polacos no palácio presidencial da capital , estando as cerimônias fúnebres previstas para sábado ou domingo. As autoridades estudam três lugares possíveis para o enterro: a catedral de São João, o cemitério de Powazki ou a catedral de Wawel, esta última na cidade de Cracóvia, onde repousam todos os reis e presidentes da Polónia.

O trauma sofrido por Jaroslaw pela morte do seu irmão gémeo “constitui um choque emocional muito maior do que entre irmãos que não são gémeos verdadeiros. É como se alguém lhe tivesse amputado um dos seus membros”, disse, à AFP, Witold Malinowski, da Universidade da Pomerânia.

( Com informações do portal TSF , de Portugal)

abr
13
Posted on 13-04-2010
Filed Under (Artigos, Ivan) by vitor on 13-04-2010

Wagner: complicações no horizonte

=================================================
Em sua coluna diária na Tribuna da Bahia o jornalista político Ivan de Carvalho segue em suas análises sobre as repentinas e complicadas manobras nas articulações de forças para a disputa do governo do Estado.

A grande reviravolta até aqui é, segundo o colunista, o que para muitos parece a inesperada inclusão do senador César Borges, presidente estadual do PR, na chapa majoritária encabeçada pelo deputado e ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, peemedebista candidato a governador, que causa desde o domingo grande impacto no meio político.

Na Bahia, de imediato, veremos o governador reformatar sua chapa, que tinha um lugar vago para o senador César Borges, diz Ivan no texto que Bahia em Pauta reproduz.
(VHS)

================================================
OPINIÃO POLÍTICA
REFORMATAÇÃO SUCESSÓRIA

Ivan de Carvalho

A para muitos inesperada inclusão do senador César Borges, presidente estadual do PR, na chapa majoritária encabeçada pelo deputado e ex-ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, peemedebista candidato a governador, causa desde o domingo grande impacto no meio político.
Na percepção praticamente geral dos políticos, especialmente nos segmentos parlamentares, a primeira grande conseqüência é a de que o ingresso do PR nas coligações lideradas pelo PMDB empurrará as eleições de governador e vice para uma decisão no segundo turno, contrariando a estratégia que o governador Jaques Wagner tentava montar, a de reeleger-se já no primeiro turno.
Ficando a decisão para o segundo turno, tem-se como certo que, se nele estiverem o governador e o ex-ministro Geddel Vieira Lima, o DEM, cujo presidente estadual e candidato a governador é o ex-governador Paulo Souto, apoiará Geddel. A alternativa de apoiar o candidato do PT está descartada.
Talvez não se possa dar como certo, mas pode-se estimar como quase certo que a recíproca será verdadeira. Se o segundo turno for disputado pelo governador Wagner e pelo ex-governador Paulo Souto, o PMDB e os partidos de sua coligação, incluindo o PR, apoiarão este último no segundo turno.
Este cenário baiano – do qual não pode ser excluído o Partido Verde, com seus candidatos a governador, deputado Luiz Bassuma e a senador, deputado Edson Duarte, cujas presenças reforçam a garantia de que haverá segundo turno – tem seus cruzamentos com a sucessão federal, na qual estará José Serra, da aliança PSDB-DEM-PPS e Dilma Rousseff, a candidata da aliança liderada pelo PT.

Mas isto é assunto para outra ocasião.Na Bahia, de imediato, veremos o governador reformatar sua chapa, que tinha um lugar vago para o senador César Borges. Há informações de que o ex-governador Waldir Pires estaria descartado para preencher a vaga. Uma hipótese em exame é o deslocamento do ex-governador Otto Alencar, do PP, da candidatura a vice, que já estava oficializada, para a disputa pelo Senado, permanecendo a deputada e ex-prefeita Lídice da Mata, do PSB, como candidata à outra cadeira em jogo na Câmara Alta. Neste caso, para candidato a vice-governador poderia entrar o presidente da Assembléia Legislativa, deputado Marcelo Nilo, que vem sendo sondado (eu até diria que foi convidado), não havendo ainda tomado a decisão.

Outra hipótese para a reformatação da chapa de Wagner seria simplesmente por na vaga antes reservada a César Borges o deputado Walter Pinheiro, do PT e ex-candidato a prefeito de Salvador. Registre-se, no entanto, que isto não é pacífico no PT. Se eleito senador, Pinheiro seria candidato natural petista a governador em 2014 e há no PT quem gosta e quem não gosta da idéia. O PT é um vespeiro.

Em tempo: 1) Há um esforço para que se forme na Assembléia um bloco integrado pelo PMDB e PR. Aí há uma boa dose de agonia, pois dos seis deputados estaduais republicanos, quatro têm apoiado o governo Wagner. 2) Está previsto para o dia 22 o lançamento oficial da candidatura do ex-prefeito de Feira de Santana, o democrata José Ronaldo, a senador na chapa de Paulo Souto. Falta apenas obter a garantia da presença de José Serra para confirmar a data do evento, que deverá ocorrer em Feira.

abr
13
Posted on 13-04-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 13-04-2010


===========================================================
“Roda Viva”, a música para começar o dia no Bahia em Pauta, não precisa de mais explicações alem do significado de sua própria letra.

Bom dia! É preciso recomeçar por maior que seja o golpe.

(VHS)

  • Arquivos