abr
12
Postado em 12-04-2010
Arquivado em (Artigos, Vitor) por vitor em 12-04-2010 22:36

 

Dimas (2005)

Dimas e Marcia (2004)

Bahia em Pauta está de luto nesta segunda-feira.

Dor profunda pela perda de Dimas Josué Melo da Fonseca, moderador competente e dedicado e uma das pilastras humanas de sustentação desde seus primeiros dias. Um gigante de dedicação e generosidade, mas também de extrema competência técnica e doação , que sempre fez o BP caminhar e crescer, ajudando e estimulando a todos de sua equipe, a começar por este editor, mesmo tendo de enfrentar sofrimentos pessoais e limitações decorrentes do longo e delicado tratamento de saúde.

Dimas – engenheiro e auditor fiscal do estado da Bahia – morreu na manhã de hoje em sua residência, cercado de cuidados pela equipe médica que o atendia, e de amor, afeto e muita admiração de parentes e amigos. Ao lado da mulher e guerreira Marcia (também colaboradora deste blog) e dos filhos Natascha (médica) e Tiago (engenheiro). O enterro dos mais concorridos no Jardim da Saudade, no começo da noite chuvosa , foi outra demonstração comovente do quanto Dimas era querido e admirado.

No dia 11 de novembro, data em que Dimas fez 55 anos, Bahia em Pauta publicou que moderador era pouco para definir Dimas Josué da Fonseca. Pelo papel que cumpriu desde o começo, neste site-blog baiano de olho no mundo, ele foi um permanente pilar de sustentação, que possibilitou e estimulou progressos seguidos ao BP.

Repetimos, agora sem a sua presença: Dimas era pilar, no sentido mais literal do termo, ou em seu sentido definidor de um ser humano. Era uma figura estrutural, vertical, usada normalmente para receber os esforços de uma edificação e transferi-los para outros elementos, como as fundações. Na arquitetura, costuma estar associado ao sistema laje-viga-pilar.

Isso era Dimas em pessoa, o aniversariante que Bahia em Pauta homenageava naquela data e pranteia hoje nestas palavras de reconhecimento e gratidão. Mestre dos software e dos hardware, imbatível nos números e cálculos, sempre magnânimo, corajoso seguidor e arauto da ciência, leitor compulsivo e apreciador incansável de filmes e vídeos de ficção científica, vertical e ético sempre, amante da boa mesa, do vinho, da música, do mar.

BP disse no aniversário: “Dimas é ser inesgotável”. Não retira uma vírgula sobre esse gigante guerreiro no dia de sua morte e sepultamento. A ele, onde estiver agora , nosso tributo e nossos agradecimento, alem do compromisso deste site blog de ser fiel à sua memória e ensinamentos.

(Vitor Hugo Soares, em tributo pessoal e de todos os que fazem Bahia em Pauta)

Be Sociable, Share!

Comentários

Regina on 12 Abril, 2010 at 23:45 #

Com pesar, encaminho minhas palavras de solidariedade as familias Fonseca/Dourado, em especial a Marcia, Natascha e Tiago pela partida tão prematura do grande amigo Dimas. Uma suavidade em pessoa, gentil e inteligente como poucos. Dimas foi um exemplo que perdurara nas nossas mentes e corações para sempre. Uma vez, alguém que elogiava os filhos dele dizia de suas proezas nas escolas e no comportamento e eu rebati dizendo que eu não me surpreendia e esperava isso por serem filhos de Dimas e Marcia! Dedicação integral e plena ergueram os pilares dessa grande familia. Deus os proteja hoje e sempre.
Com carinho,
Regina e familia.


Ramiro Estrela on 13 Abril, 2010 at 9:29 #

Procurei palavras, procurei até nos poemas versos que demonstrassem minha dor. Não encontrei notas que pudesse expressar o quanto sinto pela perda do amigo DIMAS. Apesar da fé não consigo me consolar com seu retorno. Os bons momentos, foram tantos. Trabalhamos muito em projetos que resultaram em grandes ações fiscais nos nossos Estados, e tantos foram os feitos, como o SINTEGRA, PASSE SINTEGRA, NF-e e SPED. Até breve companheiro do amigo de sempre Ramiro Estrela-Auditor Fiscal Tributário -Paraíba


Mariana Soares on 13 Abril, 2010 at 9:45 #

A morte, para mim, por maior que seja a minha fé em Deus, e ela é enorme, e por mais que me expliquem, os espíritas, o seu sentido, é uma grande e odiosa intrusa, que chega sem nos pedir licença e nos leva sempre, sem dó nem piedade, aqueles que amamos e de quem precisamos tanto para continuar nesta vida.
Dimas era uma figura, realmente, como disse o nosso editor, reta e extremamente tranquila e pacífica. Nos deixa, sem dúvida, um legado de pacificidade, amor e muita generosidade, além do exemplo da sua luta dígna pela vida.
Á Márcia, Natascha, Thiago, Socorro, D. Alice, Sr. Fonseca e todos os seus irmãos, cunhados, amigos e parentes, deixo aqui o meu carinho, grande e afetuoso abraço de solidariedade neste momento de tão grande dor.


douglas dourado on 13 Abril, 2010 at 11:57 #

Existem ou acontecem fatos que as palavras não conseguem expressar os sentimentos. Foi-se nosso querido Dimas numa segunda- feira chuvosa e melancolica, deixando entre nós legados inesqueciveis, como de marido exemplar, pai amoroso, o chamado paizão, grande profissional, tecnico competente, um amigo, e um ser humano generossimo, mas essas são palavras que não definem o GRANDE e nem vou tentar dizer mais nada a nao ser OBRIGADO guerreiro. Descanse em paz e esteja sempre presente em Espirito conosco pois sempre estaremos com voce. Sua presença será constante em nosso meio. Tchau irmão.


rosane santana on 13 Abril, 2010 at 12:01 #

Caro Vitor,
Associo-me a voce neste momento de homenagem a Dimas, figura que aprendi a admirar, atraves de voce, Margo, Marcia e os filhos Tiago e Natasha. Efeito de minha inabilidade com as maquinas, acabei por grava-lo em sua casa, sem o saber, com a camera do meu computador, recem-chegada dos Estados Unidos, fato que ontem causou-me agradavel supresa, depois do choque inicial devido a noticia de sua morte. Estã na pequena fita registrada, o espirito de curiosidade, o seu interesse pelas novidades, sua vivacidade e sua generosidade com todos que lhe sao proximos. Sua presenca ha de se perpetuar por tudo que voce disse no texto acima. E, sobretudo, por que, aprendi com a vida, que as pessoas fundamentais, jamais sao esquecidas com o passar do tempo. Ao contrario, ao tempo, que alguem ja disse senhor da razao, cabe sempre vivifica-las em nossa memmoria, tornando cada vez mais claras, cristalinas a sua grandeza e a importancia em nossas vidas, de tal forma que nos vemos, em açlguns momentos, a invocar nossos mortos, como santos, para que nos ilumine nesse lado de ca, em meio as calmarias e tempestades. Tenho certeza que Dimas assim o foi para todos que com ele conviveram, sobretudo seus filhos e sua amada Marcia, seus irmaos, a quem o homenageio na figura de Socorro, que conheco, e aos pais, a quem os filhos, por mais que neguem, sempre trazem consigo em todas as coisas, nos minimos detalhes, na corrente eterea e invisivel da vida. Em alguma parte, creio, onde ele esta, certamente como vocë disse, estara sempre a orientar e servir de bussola. um grande abraco a todos,rosane


Olivia on 13 Abril, 2010 at 16:14 #

Dizer mais o que, ‘gentem’ (como gosta de repetir nosso queridíssimo Carmel) ? Vitor, Regina, Mariana, Rosane, Douglas, Ramiro e uma legião de amigos tudo já disseram. Só Chiico Buarque de Holanda, com sua sensibilidade enorme, para aplacar tanta ‘onda’ braba. Vida que segue, companheiros.


João Justiniano da Fonseca on 13 Abril, 2010 at 22:38 #

Meus queridos amigos. Vocês falam do Dimas homem. Inteligente, bem formado e muito bem preparado para a vida. Trabalhador dedicado e sem cansaço, responsabilidade e seriedade no patamar mais alto. Falam do colega afetuoso e amigo, da pessoa humana. Quem quer que haja conivido com ele, manterá a imagem de um grande homem, de uma pessoa humana extraordinária.
Dona Alice e eu, que o tivemos nos braços à hora do nascimento e acompanhamos no dia a dia até o momento em que tomou vôo e seguiu seu destino, podemos contar do menino, do adolescente, do moço até a oportunidade de entrega-lo aos cuidados, ao zelo, amor da Marcia. Um casal que melhor se ajuste e mutuamente se ampare, que mais se ame, não chegará a acima do que foram Márcia e Dimas. No abraço ao Tiago no instante em que chorávamos seu pai eu lhe disse:
– Agora a responsabilidade é sua, a posição de honrar o nome que recebeu e a memória de seu pai.
Dimas, meus amigos, jamais deu cuidados e preocupações aos pais, nunca saiu da linha – aliás, isso é um louvor que nos orgulha, a D.Alice e a mim, deixar ofererecido aos nossos filhos, todos eles. Sempre andaram o caminho da retidão e do respeito a si próprios, da honra, da dignidade.
Uma particularidade especial. O Dimas se destacava como a pessoa mais forte, de maior capacidade de decisão entre a meninada da casa. Conquistou a posição de líder da irmandade. Houve um tempo em que, quando os meninos, a seguir, os adolescentes precisavam tomar uma decisão comum, sua era a palavra forte, conclusiva.
Quantas vezes, eu chegava do trabalho por volta das dezessete horas e o encontrava jogando bola com a meninada da vizinhança. A primeira palavra:
– Dimas, e a tarefa da escola?
Parece que ouço neste momento a resposta:
– Já sei, pai.
Entrávamos e ele me passava o trabalho realizado. Deve muito disso à sua mãe professora, que fazia banca com os filhos, um pouco a mim, que sem nada saber daquilo, dava uns palpites.
Este meus amigos, meus parentes Vitor Hugo e irmãs, o meu Dimas. Uma inteligência e uma facilidade de entendimento que me espantava. A vocês pessoalmente, que vêm duas vezes do mesmo sangue, eu poderia referir nossa origem, dizer do tronco do qual procedemos.
A saudade ficará conosco, certamente até o dia final de cada um.


Cida Torneros on 14 Abril, 2010 at 0:57 #

Meus sinceros sentimentos à equipe do BP pela perda do Dimas, e à sua família, uma vez que uma vida humana é tesouro que enriquece aos que com ela cruzam pela caminhada misteriosa da existência neste planeta. Que Deus os fortaleça a todos e que o Dimas siga pela estrada da Luz Eterna. Sinceramente,
Cida Torneros


Graça Azevedo on 14 Abril, 2010 at 11:31 #

Cheguei a uma conclusão: Deus leva os muito bons primeiro e às vezes com muita pressa.
Solidária a vcs todos do BP e à familia.


Paulo Deodoro Medrado Sobrinho - Auditor Fiscal do Estado da Bahia on 14 Abril, 2010 at 12:07 #

Ao amigo, mestre, irmão…Dimas Fonseca.
A dor é grande pela sua partida tão prematura. Vai o grande amigo, fica seu legado.
Agradeço por ter me acolhido, pela oportunidade de fazer parte de sua vida, de beber de seu conhecimento. Grande figura humana, excepcional profissional. Saudades!
Á Márcia, Natasha e Tiago, o meu profundo pesar. Que Deus conforte seus corações.
Dimas, meu grande amigo, não direi adeus, pois sei que um dia iremos nos reencontrar. E sei que o reencontrarei assim: cercado da luz de Deus, a quem só os merecedores podem experimentar!


Alice Cristina on 14 Abril, 2010 at 13:28 #

Meu irmao amado, Dimas foi certamente um pilar na minha vida. Foi minha referencia e modelo. Aprendi demais com ele, e se fosse contar todos os momentos aonde ele teve uma influencia direta nas minhas decisoes de vida, eu escreveria algumas paginas. A mais burlesca foi a minha decisao de carreira. Eu queria fazer Engenharia Quimica, mas quando ele me questionou se eu queria mesmo era arrumar um marido, pois nao acharia emprego como engenheira quimica, eu tive que provar que essa nao era minha intencao, e escolhi engenhria eletrica. Depois a influencia de Analista de Sistemas….e por ai vai…
Paciente e carinhoso mentor, me ensinou muito em termos de logica de programacao quando trabalhamos juntos na SME.
Apesar de eu estar longe dele e de toda a familia por quase 16 anos, estou sentindo um vazio imenso, e mais solitaria do que nunca. Simbolico? So o fato de saber que ele estava presente em algum lugar para tirar alguma duvida, dar algum conselho num momento de indecisao era precioso. Gostaria muito que ele pudesse ter a mesma influencia na vida do meu filho e seu afilhado, mas nao houve muito tempo para tal. Mas ficaram as estorias para serem contadas e serem exemplo para o meu quase rapaz, Aiury.
Saudades, saudades e muitas saudades…Mas a vida continua e vamos sempre nos lembrar do grande irmao e amigo que perdemos.
Dimas, muita paz aonde quer que voce esteja. Beijos e muitos beijos


Nilma Oliveira - Auditora Fiscal do Estado da Bahia on 14 Abril, 2010 at 14:08 #

Seu legado de dedicação, profissionalismo e inarredável compromisso com a ética ficará entre nós, a nos inspirar no exercício desta tão dignificante carreira fiscal.

A SEFAZ perde um grande profissional, os colegas perdem um grande amigo !.

Saudades..


Graça Tonhá on 14 Abril, 2010 at 21:11 #

A coragem e a dignidade com que Dimas enfrentou a sua doença, sempre me fizeram enxergá-lo maior do que consegue ser a maioria das pessoas. Como sabem os que o conheciam, o “mestre” sempre dinâmico e inquieto, curtia a vida, desfrutando do maximo que esta pode oferecer. Acredito que fez e teve a maioria das coisas que almejou. Motivado e vibrante estava sempre defendendo com determinação suas idéias e opiniões, às vezes com impulsividade e muita emoção, a qual mesclava com a racionalidade que lhe era tão presente.

Atento à gravidade do seu quadro e às limitações que a patologia lhe impunha, à mesma nunca se mostrou submisso, ao contrario, procurou conhecê-la e entende-la para quem sabe, vencê-la ou torná-la menos impactante. A estas e outras tantas qualidades admiráveis, já mencionadas por tantos, somava-se um enorme CORAÇÃO. E talvez fosse exatamente isto que o tornara tão especial.

Na quinta-feira santa fui visitar Dimas depois de alguns dias que estive fora da cidade. Encontrei-o bastante debilitado fisicamente, num momento inicial imaginei que o “querido guerreiro” estava se entregando… Engano. Ele falou da satisfação com o meu retorno e de pronto perguntou-me se minha filha (sobrinha que ele tratava com muito carinho) havia resolvido uns probleminhas pendentes em São Paulo; diante de minha resposta positiva, me encarou com serenidade, demonstrando contentamento. Neste instante tive certeza: pessoa com tamanho desprendimento, e tão grande coração não se entrega, nunca parte de fato. Jamais esquecerei este que foi um dos nossos últimos diálogos verbais. Nunca o havia sentido tão forte; tão gente; tão vivo.

Obrigada amigo e cunhado por mais esta lição!


Maria do Socorro Fonseca on 14 Abril, 2010 at 21:18 #

A dor da perda de um irmão amigo como Dimas, é imensurável. Ele era tudo o que foi dito aqui e muito mais.
Dimas, meu muito querido irmão, só nos serve de consolo o fato de sabermos que você descansou depois de uma longa e dolorosa enfermidade e que você partiu na manhã de uma segunda feira outonal (12 de abril), como queria, em casa, tranquilamente, ao lado da esposa, a quem tanto amava e dos dois filhos, de quem tanto se orgulhava. (Você me disse há bem pouco tempo, em alto e bom som, que os filhos eram o seu orgulho e legado que deixaria para a posteridade).
Márcia foi a sua companheira no verdadeiro e real sentido da palavra, assim como você o foi para ela, desde que começaram a namorar e logo casaram, no mesmo ano, em 1978. Amorosa, dedicada e incansável, graças, sobretudo ao seu apoio, você se foi serenamente, teve uma morte digna: nada de hospital, de UTI com entubações – ficou em casa, como era a sua vontade e também a de todos nós, cercado do nosso carinho todo o tempo. Sem se queixar, sem se revoltar, lutou bravamente até o último momento. Ao menos, tudo terminou como você desejava; dizia também não querer morrer sem saber quem era e ficou lúcido até o fim.
Quem sabe meu irmão, se houver outra vida, como querem alguns, certamente o que não vai lhe faltar – pelo contrário – é gente que gosta muito de você para recebê-lo e orientá-lo em seu novo estado, especialmente o nosso também muito querido irmão Saulo, a quem éramos tão ligados! E, no caso de tal vida existir, todos nos reuniremos um dia! Esse seria outro grande consolo para nós. Até breve então! (Eu não acredito piamente nisso, mas também não desacredito de todo).
Muita paz para você e força para todos nós que por esse mundo continuaremos.
Saudades, muitas saudades!
Obrigada aos amigos pelas mensagens carinhosas. A família Fonseca confirma, comovida, o quanto era querido o nosso Dimas!


Manoel Fonseca on 15 Abril, 2010 at 0:30 #

Dimas meu irmão, não sei se você ainda continua lendo o Bahia em Pauta, mas com certeza já lê meus pensamentos todos, minhas aflições, minhas recordações e lembranças deste os tempos em que éramos meninos. Neste espaço, muito já foi dito sobre você, suas qualidades, virtudes, mas talvez todos nós vamos ficar lhe devendo a descrição do tamanho da sua bondade e do seu coração. Você mesmo sem saber ou falar sentia que era como um segundo pai para mim, pela proximidade, pela presença, proteção e liderança exercida lá em casa, desde os tempos dos Barris. Talvez pela nossa pouca diferença de idade, o irmão mais próximo que eu tinha mesmo antes da perda do nosso querido Saulo, pela confiança que depositávamos um junto ao outro, pela orientação, por sua sabedoria, você, assim como Saulo, sempre foi um exemplo a ser seguido. Eu tenho e guardarei sempre comigo muitas e muitas lembranças maravilhosas, e, como você disse no seu poema, eu agora tenho lembranças e saudades suas “desde o tempo que eu ia nascer”. Dimas, onde quer que você esteja meu querido irmão estarei sempre com você.


Alice Cristina on 16 Abril, 2010 at 13:18 #

Saudades, saudades, vazio, amor, carinho, compreensao, competencia, FORCA, apoio, lideranca, inteligencia, companheirismo, e muito mais…qualidades nao faltavam no meu irmao…tenho certeza que ele esta em paz e nos acompanhando de longe…obrigado a todos, mas acho que ainda vou sentir vontade de escrever mais…


Tatiana on 16 Abril, 2010 at 17:39 #

Carinho, gratidão, admiração e saudade são os sentimentos associados a memória do meu querido tio Dimas. Sempre demonstrou preocupação com meu bem estar e me ajudou até mesmo quando nem sabia que o estava fazendo. Soube viver o tempo que Deus lhe deu e regressou à vida eterna.


Monica Pinhanez on 19 Abril, 2010 at 10:43 #

Um dia, eu despenquei em Salvador, vinda dos EUA, para fazer uma pesquisa na secretaria da Fazenda.
Alice, irmã do Dimas, tinha recomendado seu irmão. O Dimas e a família dele me receberam de braços abertos, generosos e amigos. Dimas sabia tudo e conhecia a todos. Sem ele, não sei o que teria sido minha pesquisa. Ele tinha todos os contatos e conexões. E todos estavam disponíveis para ele. Todos os dias da minha estadia por lá, ele me levava para a Sefaz e me apresentava aos colegas, me passava informação. Ele me abriu portas com imensa generosidade pela qual eu me sinto imensamente grata. Minha pesquisa em Salvador só foi possível por causa dele e de sua família. Quando estive lá, há dez anos, ele já estava doente. Mas que força e que coragem. Que generosidade! Talvez ele não tenha sabido, nem sua família, mas ele me inspirou a escrever e a rever várias posições com relação à minha pesquisa. Eu o admiro muito e sua família deve ter orgulho de tê-lo tido como filho, irmão, pai, marido, amigo.


Eronita M. A Fonseca Filha on 19 Abril, 2010 at 23:06 #

Dimas, nesse momento é muito difícil referir-se a você como alguém que já se foi, sua ausência deixou um imenso vazio em nosssos corações, e todo o esforço para preenche-lo é em vão. Vai ser difícil ir para Guarajuba e não contar com sua presença física (a espiritual, tenho, certeza estará sempre nas nossas vidas), com sua alegria e eterna indisposição para um joguinho de buraco, mas uma disposição vigorosa para ajudar, para espalhar alegria.

Saudades eterna de sua prima (irmã de coração).
Nitinha


Aldete on 20 Abril, 2010 at 11:17 #

Por que na vida existe a morte???
Fisicamente não pude estar presente, mas Márcia, Natascha, Tiago, minha Tia Alice, podem ter certeza que estava com vocês nesses momentos de saudades e dor. Sabe que eu nunca disse: Dimas, meu primo, te amo. Isso tem um peso enorme. São tantas lembranças e recordações boas do meu primo, nenhuma em absoluto ruim. Ele é imortal dentro de nós. Primo, se você estiver nos acompanhando, te digo agora: TE AMO MUITO


Shirley on 8 Março, 2011 at 22:33 #

This is your best topic yet!

http://www.you-sexcam.org/


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos