abr
06
Postado em 06-04-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 06-04-2010 16:21

Em visita ao Rio de Janeiro o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira, em conversa com jornalistas no Hotel Copacabana Palace, que as consequências pelo excesso de chuvas no Rio de Janeiro acontecem mais em ocupações inadequadas, localizadas em áreas de risco. Admitiu, no entanto, que as famílias relutam em deixar as encostas.Segundo o Grupo de Salvamento do Corpo de Bombeiro já são 82 os mortos da tragédia. Mais de 90 estão desaparecidos.

“Os administradores públicos devem levar em conta que não é possível que as pessoas ocupem áreas inadequadas para morar. É preciso antever isso, tomar cuidado para não acontecer. Pensar em outros locais para as pessoas morarem”, disse Lula a jornalistas após reunião com o governador do Rio, Sergio Cabral (PMDB), no hotel Copacabana Palace.

“Se você pegar todas as enchentes brasileiras, elas atingem sempre as pessoas pobres, que moram em locais inadequados”, completou.

Na entrevista, Lula disse mais de uma vez que esta é a maior quantidade de chuva que atingiu o Rio. “Não existe ser humano no mundo, no planeta terra, que consiga enfrentar uma mudança de clima como essa, que é a maior da história do Rio de Janeiro”, afirmou.

A chuva que atinge o Rio pelo segundo dia seguido deixou mais ou menos 50 mortos na região metropolitana, sendo 26 deles só na capital, onde aulas foram canceladas e a população está sendo orientada a permanecer em casa e deixar áreas de risco. A maioria das mortes ocorreu em decorrência de deslizamentos de terra, segundo os bombeiros.

“Quando há uma chuva dessa magnitude, a única coisa que resta fazer ao prefeito, ao governador e à Defesa Civil é pedir para que as pessoas saiam das áreas de encosta, saiam da área de risco e esperar a chuva parar para que a gente possa começar a resolver os problemas”, disse Lula.

Lula, que cancelou parte de sua agenda na cidade do Rio em função do temporal, relatou que o governo federal está realizando investimentos em drenagem no Rio e que vai trabalhar junto com o governador Cabral e o prefeito Eduardo Paes para colocar mais dinheiro em infraestrutura no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC2).

(Com informações do portal MSN, Agencia Reuters, Globo News e TV Band)

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 6 Abril, 2010 at 16:39 #

Aqui a confissão de má conduta:

“…e esperar a chuva parar para que a gente possa começar a resolver os problemas”, disse Lula.”

Note-se o tempo do verbo, futuro e condicional, afinal autoridades se ocupam nop presente e no passado com suas eternas reeleições, troca de cargos, favores, e, ao que estampam manchetes, aqui e acolá, fortunas repentinas, filhos afortunados, e discursos vazios.

Nesse jogo, inundações do Rio(situação) x enchentes de Sampa (oposição), quem perde é o eleitor, que vota e contribui compulsoriamente, tanto na urna quanto no fisco.

De novo, apenas licitações, o que implica em novas e solertes meias, cuecas, competindo com sizudos envelopes pardos.

Como disse Lula:

“…vai trabalhar junto com o governador Cabral e o prefeito Eduardo Paes para colocar mais dinheiro em infraestrutura no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC2).”

Amém!!!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos