abr
05
Postado em 05-04-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 05-04-2010 10:52

DUAS NOTAS SOBRE A ÁGUA DE CAETITÉ

1-DEU NA REVISTA
==============================================================

Na coluna Holofote, assinada por Fábio Portela, a VEJA publica na edição desta semana a a seguinte notícia:

A história da água é cascata

No fim de 2008, o Greenpeace fez uma gritaria danada na Bahia para denunciar uma situação que parecia aterradora: todo o lençol freático de Caetité – único município do país onde há uma mina de urânio – estaria contaminado por radiação. O governador Jaques Wagner (PT) encampou a denúncia e, em dezembro, o Instituto de Gestão das Águas e Clima da Bahia interditou boa parte dos poços na cidade. Resultado: foi preciso contratar um serviço de caminhões-pipa para abastecer de água potável os 3.000 habitantes da zona rural de Caetité. A prefeitura, paupérrima, já gastou 170.000,00 reais nisso. Agora, a Comissão Nacional de Energia Nuclear, órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia responsável por medições oficiais, foi até Caetité e descobriu que a radioatividade das águas é menor que a de estâncias turísticas como Poços de Caldas e Araxá (MG), Águas de Lindoia (SP) e Guarapari (ES). Ou seja: não faz nenhum mal à saúde. Mesmo assim, em Caetité, o povo segue sem água.

=====================================================================
Paulo Souto e Caetité:  “água pura”

================================================================
2- PAULO SOUTO ACUSA

Nascido em Caetité, geólogo, ex-governador da Bahia e nome do DEM para disputar a volta ao Palácio de Ondina nas eleições deste ano sai em defesa do município que abriga a única mina de urânio do país, e acusa o governo Wagner de prejudicar a população de Caetité “com falsa denúncia de contaminação da água”

Paulo Souto afirma em material distribuido por sua assessoria, ao comentar a nota de VEJA:

“Na condição de filho de Caetité, cidade em que nasci e que, nesta segunda-feira, dia 05 de abril, completa 200 anos de emancipação, não posso deixar de manifestar meu repúdio à irresponsável e precipitada atitude do Governo Estadual que, através do Ingá (Instituto de Gestão das Águas e Clima da Bahia), encampou a infundada denúncia do Greenpeace de contaminação do lençol freático de Caetité, causando uma série de transtornos à população da cidade, principalmente, para a parcela mais carente da zona rural. Sem falar nas despesas desnecessárias de R$ 170 mil, que tiveram de ser arcadas pela prefeitura na contratação de carros pipas para manter o abastecimento de água potável na cidade. O governo deu mais uma prova de insensatez na condução dos rumos de nosso povo”.

Be Sociable, Share!

Comentários

Leleto on 5 Abril, 2010 at 14:06 #

Paulo Souto tá com lorota para ganhar o voto dos caetiteenses. Só fez nascer lá e nos primeiros de vida o seu pai foi transferido para o Sul da Bahia. Wagner seguiu apenas a orientação do Ingá.
Leleto nascido e criado em Caetité.


Bart on 5 Abril, 2010 at 14:22 #

Leleto, o Wagner é chefe do Ingá. Se o ingá mente, e é desmentido pelo Cnem, cabe ao Wagner tomar uma decisão. Mas o governador prefere ficar calado. Isso é o quê? Culpa? Omissão? Você escolhe.


Verdadeiro Filho da Cidade on 8 Abril, 2010 at 16:54 #

Gostaria de manifestar, na minha semi-ignorância,
a minha revolta, pela forma que estão tratando desse assunto.
Somos como galinhas e ficamos a mercer dos donos do
galinheiro, do cachorro e da raposa que fazem o que bem intender.
Enquanto sofremos de todas as formas. Pois o veículos de comunicação
dizem tentar nos ajudar e acabam aumentando ainda mais esse sofrimento,
não dando as informações corretas aos seus leitores sobre o que é CAETITÉ.
Mais também somos culpados pois talvez elegemos pessoas incapazes de cuidar e defender
essa que é por enquanto uma cidade tranquila e maravilhosa.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos