abr
01
Posted on 01-04-2010
Filed Under (Multimídia, Newsletter, Olivia) by vitor on 01-04-2010

BOA NOITE!!!

======================================================================

O Lapinha: Amigos, essa casa é tudo de bom e promete grandes e belos momentos. Tive a oportunidade de conhecer o espaço – inaugurado recentemente, mas já aberto para o publico e com uma programação de primeira – na última sexta, dia 26. No palco, rolou o show Imbora, de Zé Renato, como sempre, maravilhoso. Zé Renato é hoje a voz mais afinada e bonita da Música Popular Brasileira. Notícia animadora.

O centro do Rio de Janeiro continua fervilhando de boas opções, poderia acontecer o mesmo com o nosso em Salvador, uma pena.

Segundo os responsáveis pelo lugar, Lapinha é a primeira e única casa de shows dedicada à MPB no bairro carioca, fortemente associado ao renascimento do samba e choro há uma década e, na verdade, boêmio em sua gênese. Com petiscos e drinques saborosos, palco aconchegante, ótimo sistema de som, instrumentos novinhos em folha e uma programação impecável, o piano-bar foi inaugurado com festa na noite de 10 de março. Sob os holofotes, Leny Andrade e Nei Lopes, juntos para convergir num show a musicalidade da Zona Sul e da Zona Norte cariocas com tempero latino.

“O Lapinha será uma casa única e pioneira. Seu compromisso é inverter a lógica que norteia as casas de show, hoje limitadas à simples divulgação da produção musical”, afirma a flautista e produtora Tereza Quaresma. “E nós queremos mostrar grandes nomes da música nacional como o público nunca viu, num ambiente íntimo, despojado e aberto à criação”, instiga ela, que tem como sócios o pesquisador e crítico musical Hugo Sukman, o produtor Luís Pimenta e o maestro Ruy Quaresma.

COMO CHEGAR
Lapinha
Av. Mem de Sá, 82 (esquina com Rua do Lavradio)
Reservas: (21) 2507.3435
100 lugares

(Maria Olívia, jornalista, acaba de retornar do Rio de Janeiro)

D. Geraldo:queda de pressão

========================================================
DEU NO PORTAL TERRA

O Cardeal Arcebispo de Salvador e Primaz do Brasil, Dom Geraldo Majella, passou mal durante a missa dos Santos Óleos na manhã desta quinta-feira, 1º, por volta de 9h20, na Catedral Basílica, no Terreiro de Jesus. Ele teve uma queda de pressão durante a homilia e precisou deixar o altar da igreja.

Dom Geraldo ficou cerca de 30 minutos na sacristia da Catedral, enquanto Dom Gregório Paixão assumiu a homilia. Depois do susto, o Cardeal voltou a presidir a celebração que marca a renovação dos votos pelos integrantes do clero da Arquidiocese. Religiosos de várias igrejas participam da missa.

Essa é a segunda vez que Dom Geraldo passa mal durante a programação da Semana Santa. No ano passado, teve um leve mal-estar que o impediu de participar da celebração da Sexta-feira da Paixão.

Na missa de hoje, que começou às 8 horas, foi benzido o óleo utilizado nas celebrações de batismo, crisma e unção dos enfermos durante todo o ano.

Ainda nesta quinta acontece a missa de Lava-pés, às 19 horas, também na Catedral. Esta celebração relembra o ato de humildade de Jesus Cristo de lavar os pés dos apóstolos. Após a cerimônia, serão retirados panos, flores e toda a decoração dos altares da igreja em sinal de luto pela morte de Cristo.

abr
01
Posted on 01-04-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 01-04-2010

Ivete:”que mico!”

===============================================================
DEU NA UOL E NO TWITTER DE IVETE

A cantora baiana Ivete Sangalo explicou em seu Twitter na noite desta quarta-feira (31) uma gafe cometida durante sua apresentação na final do “BBB10”.

Na ocasião, ela dedicou a música “Agora Eu Já Sei” aos participantes Lia e Cadu e disse que torcia para que eles ficassem juntos após o programa.

“Fiquei de cara quando soube que ele tinha namorada”, escreveu Ivete.

Durante o programa, os dois afirmaram que eram apenas amigos. Ao sair da casa, Cadu foi beijado por uma “pessoa especial”, que o esperava fora do reality show.

“Ele saiu e a beijou, e eu bem abestada só me perguntava… Oxe, num era Lia?”, continuou a cantora.

“Num via o ‘BBB’ todo dia porque o plantão começa cedinho, mas acompanhava tudo, exceto o fato de ele ter uma gata aqui fora”, justificou.

“Eu sou muito tapada, tipo todo mundo sabia menos eu”, disse.

“Eu até tento ler todos os sites de fofocas, mas não tenho tempo. Daí fico sozinha no meu mundo do eu sozinho”, brincou a cantora.

Ela contou ainda que, após o fim da apresentação, conheceu o namorado da participante Lia.

“Eu disse, bem meiga… ‘É… Parabéns, viu? Boa sorte com Lia…’ Ai que mico”, escreveu.

abr
01

===================================================================

MARIA OLÍVIA

No ano em que completaria 90 anos, o poeta João Cabral de Melo Neto é homenageado com mostra multimídia no Centro Cultural da Justiça Eleitoral. Aberta ao pública desde o dia 3 de março, UM POEMA POR DIA está dividida em quatro temas: Vida e infância; Amigos e Vida profissional; Paixões e Museu do Tudo. “O título da mostra é um dos últimos títulos escritos por ele para um ‘possível’ novo livro”, conta a curadora da exposição, Inez Cabral, filha de João Cabral de Melo Neto.
A mostra conta com fotos, projeções, exibição de vídeos, entrevistas com o escritor, curiosidades e, principalmente, textos originais : manuscritos, poemas e cartas – em parte inéditos – do acervo pessoal da família, aberto por Inez especialmente para a mostra. Vi a exposição e recomendo a quem tiver a oportunidade de estar no Rio de Janeiro. Observem e curtam a participação de Arnaldo Antunes recitando os poemas de Cabral, imperdível !
De quarta a domingo, das 12 às 19 horas, no Centro Cultural da Justiça Eleitoral, na Rua Primeiro de Março, 42, Centro, Rio de Janeiro. Entrada gratuita.

Maria Olívia é jornalista, acaba de retornar do Rio de Janeiro

abr
01
Posted on 01-04-2010
Filed Under (Artigos, Ivan) by vitor on 01-04-2010

Em seu artigo desta quinta-feira na Tribuna da Bahia, o jornslista Ivan de Carvalho fala do mais novo impasse nas fileiras governistas no terreno movediço da sucessão: As bancadas do PR querem entrar numa coligação em que esteja o PT e amplos setores do PT não querem o PR nas coligações proporcionais em que estejam os petistas. Bahia em Pauta reproduz o texto de Ivan.

(VHS)

====================================================================

=================================================================

Problemas no governismo

Ivan de Carvalho

A chapa governista para as eleições majoritárias já está praticamente pronta. É a primeira. O vocábulo praticamente é cabível, como se verá. Declarações feitas ontem pelo governador Jaques Wagner confirmam o que todo mundo já sabia e sinalizam fortemente para o único ponto sobre o qual ainda pairavam leves dúvidas – a participação, nela, do senador César Borges, candidato à reeleição.

À reeleição concorre também o governador. A escolha do candidato a vice já está oficializada: trata-se do ex-governador Otto Alencar. Para companheira de chapa de Wagner está formalmente confirmada Lídice da Mata, faltando até ontem apenas uma espécie de oficialização. No caso, do formal para o oficial a diferença é irrelevante.

A palavra “praticamente” foi usada por causa do senador César Borges. É que as declarações do governador passam a idéia de que a participação de Borges em sua chapa é coisa consumada, mas nos bastidores consta que existem alguns “detalhes” a acertar. Entre estes, a candidatura de Waldir Pires ao Senado e a resistência dele e de um grupo do PT ao ingresso de César Borges na chapa.

E o importantíssimo detalhe das coligações para as eleições proporcionais de deputados federais e estaduais, estas mais ainda que aquelas. As bancadas do PR querem entrar numa coligação em que esteja o PT e amplos setores do PT não querem o PR nas coligações proporcionais em que estejam os petistas. Fazem cálculos eleitorais e concluem que seriam garfados.

Terá sido por esta razão que um site noticiou que nas negociações para a chapa majoritária as coligações proporcionais foram deixadas para definição em negociações “pelos partidos da base do governo”. Sem os pulsos fortes do governador e do senador César Borges, de tal “arrumação” poder-se-ia esperar o caos. Terá sido também por esta razão que o deputado federal José Rocha, do PR, declarou a outro site que a decisão do PR quanto a quem vai se aliar foi adiada para “o dia cinco ou seis de abril”, após, após, portanto, o ministro Alfredo Nascimento deixar o cargo e voltar ao exercício da presidência nacional do PR. E explicitou que, por exemplo, “o governador ainda não falou” sobre as coligações proporcionais.

A verdade é que o PT acha que será fortemente prejudicado se fizer coligações proporcionais (principalmente a estadual) com o PR e este faz questão dessas coligações e, digamos, de “garfar” o PT, num jogo de compensações que é a essência da política que vem sendo feita na Bahia. Você dá, mas você toma. Perdão, para que não hajam mal entendidos – as ajudas têm que ser amplamente recíprocas.

Especialmente porque toda a estratégia do governador aponta para um esforço de ganhar as eleições em turno único, evitando o segundo turno, no qual, neste momento, só Deus e seus mais íntimos anjos e santos seriam capazes de prever o que aconteceria. Dilma pode ganhar e então seria uma coisa ou outra. Serra pode ganhar e então seria uma coisa, sem outra. E o tempo no rádio e TV seria igual para as duas partes.

Já que abordamos a questão do segundo turno, um atilado e experiente analista político supõe que Luiz Bassuma, candidato do PV ao governo, terá de oito a dez por cento dos votos, e isto seria a garantia de que haverá segundo turno, enquanto Marina, candidata a presidente do mesmo partido, chegará aos 15 por cento. À observação sobre a pequena estrutura do PV e o tempo quase inexpressivo que terá na tevê e no rádio, ele replica: “É, mas Marina e o PV vão explorar ao máximo a Internet. Você vai ver”.

  • Arquivos