mar
26


========================================================
Clip com Cena antológica de “Radio Days”, filme de Woody Allen, na cena em que a dona de casa americana em New York dança ao som de “South American Way” que o radio retransmite na voz de Carmem Miranda. É a música para terminar a noite quente desta sexta-feira em Salvador. Para ver, ouvir, rever muitas vezes e dançar junto. Atenção para a cena final em que o marido e o cunhado fazem o vocal enquanto a mulher dança. Sensacional!(vhs)

BOA NOITE!!!

mar
26

DEU NO PORTAL UOL

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Eros Grau manteve o juiz Fausto de Sanctis à frente das ações envolvendo o empresário Daniel Dantas, investigado por crimes financeiros pela Polícia Federal (PF) na Operação Satiagraha. Dantas recorreu ao STF contra decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) tomada no início do mês, que cassou liminar concedida pelo ministro da Corte Esteves Lima pela paralisação dos processos decorrentes da Satiagraha.

Na liminar, o ministro havia determinado, em dezembro de 2009, a paralisação de todas as ações penais abertas contra o empresário que tivessem a participação do juiz Fausto de Sanctis, suspeito de parcialidade. Na prática, com a decisão, o ministro do STJ havia suspendido os efeitos da Operação Satiagraha, deflagrada em 2008, para investigar crimes financeiros praticados por um grupo supostamente comandado por Daniel Dantas, dono do Grupo Opportunity.

“Tal e qual sublinhado no acórdão do Superior Tribunal de Justiça, a exceção de suspeição resulta de relação subjetiva instalada entre magistrado e partes. A complexidade da questão e a impossibilidade de cotejo, em sede de medida cautelar, das razões da impetração com os elementos constantes dos autos (compostos de aproximadamente duas mil laudas) recomendam o indeferimento da liminar”, disse o ministro do STF Eros Grau em sua decisão.

Ele remeteu o recurso da defesa de Daniel Dantas para parecer do Ministério Público Federal antes que seja submetido ao plenário do STF.

Na denúncia apresentada ao TRF-3, em São Paulo, o Ministério Público sustenta que Dantas, sua irmã, Verônica Dantas, e o presidente do Banco Opportunity, Dório Ferman, constituíram “um verdadeiro grupo criminoso empresarial, cuja característica mais marcante fora transpor métodos empresariais para a perpetração de crimes, notadamente delitos contra o sistema financeiro, de corrupção ativa e de lavagem de recursos ilícitos”.

mar
26
Posted on 26-03-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 26-03-2010



“Meio de Campo”, de Gilberto Gil é a música para começar a sexta-feira no Bahia em Pauta , bem de acordo com o espírito proposto por Janio no texto que BP publica hoje. Confira.

(VHS)

mar
26
Posted on 26-03-2010
Filed Under (Artigos, Janio) by vitor on 26-03-2010

Ronaldo: o fenômeno festeja

==========================================================

CRÔNICA/ COMPORTAMENTO

ARTILHEIROS, DANÇAS E DEBOCHES

Janio Ferreira Soares

Tudo bem que o futebol mudou, mas eu acho que estão exagerando nas comemorações ludopédicas. Nada contra artilheiros extravasando suas emoções com danças e deboches pós-gols, apesar de eu preferir o velho soco no ar acompanhado de abraços – como faziam Pelé, Tostão e Zico -, ou alguma provocação política, no estilo Reinaldo e Sócrates, que sempre erguiam o punho fechado após balançar as redes. Mas hoje, quando os jogadores já entram em campo maquiados e prontos para performances diante das câmeras das tevês, ensaiar coreografias parece ser tão importante quanto um treino tático.

Tomemos como exemplo o jovem time do Santos, que está resgatando o jeito alegre de jogar bola e, por tabela, as grandes goleadas. No último domingo, ao aplicar 9 x 1 no adversário, várias danças foram apresentadas até que, a partir do sétimo gol, os jogadores começaram a se abraçar como nos velhos tempos. Certamente, não acreditando em tal placar, os meninos da Vila ensaiaram poucos gingados. É por isso que eu sugiro aos clubes a contratação dos profissionais baianos que ensinam aquelas danças que estouram nos carnavais, para que não haja essa, digamos, quebra de harmonia. Antecipadamente aconselho algumas adaptações de acordo com cada jogador.

Adriano, por exemplo, poderia comemorar os seus gols com a dança da motinha amassada, em homenagem aos últimos acontecimentos com sua pacata noiva. Já Ronaldo Fenômeno, para relembrar, festejaria os seus comendo sanduíches escondidos debaixo da camisa, enquanto Dentinho, de batom e peruca, chegaria por trás com uma fanta litro dentro do calção, dançando um arrocha, é claro. E o que dizer de Vagner Love puxando de suas tranças o fuzil do traficante que o escoltou durante uma festa num morro, metendo bala numa foto do deputado Ibsen Pinheiro no placar eletrônico, no rap do pré-sal?

Tudo isso me faz lembrar do camarada que todo dia enfiava o braço na traseira do elefante da Globo para limpar os seus dejetos, e dizia, orgulhoso: “o importante, meu caro, é que estou no show bussines!”.

Janio Ferreira Soares, cronista, é secretário de Cultura e Turismo da cidade de a Paulo Afonso, no Vale do São Francisco

  • Arquivos