mar
25
Postado em 25-03-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 25-03-2010 19:49

“L`Osservatore Romano”,  jornal oficial do Vaticano, reagiu, nesta quinta-feira, de forma crítica às últimas notícias sobre casos de pedofilia a que o cardeal Joseph Ratzinger, atual Papa Bento XVI, terá alegadamente fechado os olhos.

O New York Times escreveu, quarta-feira, que apesar de várias denúncias feitas por bispos norte-americanos sobre um padre que teria abusado de 200 menores, Ratzinger, à época prefeito da congregação para a doutrina da fé, não tomou nenhuma medida.

Hoje , o L’Osservatore Romano disse que o jornal norte-americano omitiu fatos e manipulou informação.

O órgão oficial do Vaticano denunciou o que considera ser uma evidente e ignóbil tentativa de atingir o Papa a qualquer preço e acusou alguns jornais de passar uma imagem deturpada da Igreja Católica «como se fosse a única responsável pelos abusos sexuais, o que não corresponde à realidade».

O cardeal português D. Saraiva Martins, que falou esta quinta-feira aos jornalistas no Vaticano, também considerou que há uma maquinação para «atacar a Igreja», ainda que reconheça que a Igreja não pode tolerar pedofilia nas suas fileiras.
O prefeito emérito da Congregação para a Causa dos Santos denuncia assim o que diz ser uma conspiração com um objectivo muito claro, recusando, no entanto, dizer quem será o responsável por este alegado plano.

Enquanto defende «tolerância zero» para padres pedófilos, o cardeal português entende as razões que levaram alguns bispos a esconder casos de abuso sexual de crianças.
Citado pela agência Reuters,  D. José Saraiva Martins disse que tal como numa família, a Igreja Católica não lava a roupa suja em público.
Sendo também um dos mais próximos conselheiros do Papa,
Saraiva Martins defende os sacerdotes, afirmando que 99 por cento vivem uma vida de sacrifício e de compromisso com a sociedade e, portanto, é «injusto» apresentá-los «como se todos» fossem pedófilos.

O cardeal apela assim a um maior rigor na escolha de candidatos ao sacerdócio e à formação contínua dos sacerdotes.

(Com informações do portal TSF, Lisboa)

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 25 Março, 2010 at 22:01 #

Caro VHS

Uma leitura rápida nos jornais de hoje e, especialmente, o Le monde, nos apresenta um cenário digno de filmes de Almodóvar.

Na Irlanda, ao que parece, um esquema para abafar casos envolvendo 14.500 crianças entre 1970 e 2000.

Nos Estados Unidos, uma pesquisa. de 2004, identifica 4.400 padres pedófilos e 11.000 crianças molestadas entre 1950 e 2002.

Na Alemanha de Ratzinger, dois terços das 29 dioceses estão abrangidas pelas queixas.

Nosso Brasil varonil, padece “surpreso” com o caso de Alagoas, levado ao ar pelo SBT.

O melhor quadro, ao que parece, é o da França, até pelo simples fato de 30 membros do clero estarem atrás das grades por crimes ligados à pedofilia.

Agora, a conduta da Igreja, noticiada de aplicações de “penas” administrativas, e tratamento “interno” na própria Igreja, parece ser no mínimo, uma ofensa aos fiéis, sobretudo aos que foram atingidos por essa, nada restrita, “epidemia”.

Os números, acima elencados, constam da matéria sob o título “Le Vatican face aux scandales de pédophilie”, ma edção de hoje do Le Monde, fr.

Talvez, teólogos como Christine Pedotti, “cofondatrice de la Conférence catholique des baptisé(e)s de France”, um movimento que critica a extrema centralização e falta de democracia na Igreja Católica, entrevistada na edição de hoje do Libération, fr, mereça atenção, sobretudo, quando alega, sentir medo, de que possa existir uma correlação entre o celibato dos padres, frustração sexual e pedofilia. Assunto desenvolvido por Donald B. Cozzens, no livro “Le nouveau visage des prêtres”, 2002, Bayard Presse, sendo o autor um padre americano que foi Vigário Geral.

VHS, cá entre nós, já é hora do Papa Bento XVI iniciar, numa demonstração de humildade, não mais uma penitência, mas sim um profundo exame de consciência, e a consequente cauterização dessas horrendas cicatrizes.

Ou, liberem o Vaticano para novas produções de Almodóvar.


renato chiera on 6 Abril, 2010 at 19:59 #

não estou de acordo..precisa ser menos levianos em falar de numeros..a pedofilia tem raizes nas familias ..pais .padrastos e tios que aproveitam das crianças..não sao os pádres padofilos o maior problema..embora sejam uma vergonha que a igreja deve encarar.
Me parece que esta em questao não tanto a defesa das crianças mas o taque a igreja.pois é a unica que tem autoridade e coragem parafalar e indicar uma direção neste mundo perido e sem referencias…alguns que atacam a pedofilia dos padres defendem que menores tem direito de ter relações com adultos ..entao como fica? os padres sao 400 mil no mundo e uma infima minoria é atingida por este problema…porque se quer atacar o papa? ele é o unico no mundo que tem coragem de denunciar e anunciar e mostrar o caminho.Aquilo que ele fala vale tambem para os padres..me parece que existe um complõ que usa dados e manipula sem criterio esem provas e denuncia fatos de trinta anos atras com fatos de hoje..iso não é honestidade intelectual e não ajuda..precisa encarar este problema da pedofilia e abusos sobre menores ..mas o problem amaior não sao os padres..eu sei disso pois tarbalho com menores usados e abusados as. Claro que a igreja deve tambem encarar o problema no seio dela e ser humilde reconhecer que ela é feita de homens pecadores embora seja santa pois nela mora o Espirito santo .A igreja deve encarar o problema sa afetividade dos apdres com maior seriedade..mas a realidade da padofilia se aninha numa mentalidade permissiva edonista que proclama que tudo vale e que casal de homosexuais pode adotar meninos….. nao sejamos fariseus e encaremos o problema com mais seriedade e não vejamos numa exteram minoria de padres doentes a cuasa da pedoflia no mundo..Tenhamos respeito as crianças..eu trabalho com elas ha 25 anos..e posso tesetemunhar muita coisa


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos