mar
23
Posted on 23-03-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 23-03-2010


====================================================================
A música para para terminar esta terça-feira de sobressaltos e temores, mas que termina com notícias mais animadoras para este site blog, seu editor e os que participam mais diretamente da aventura ( as vezes ventura) de pensar e realizar o Bahia em Pauta , é Smile, de Chaplin, aqui na interpretação única de Michael Jackson.

Vai para Belmont, na área da Baia de San Francisco, onde o roqueiro, colaborador e amigo do BP, Pablo Vallejos, acaba de passar por maus bocados em decorrencia de peças pregadas pela saúde. Regina, a mãe, outra colaboradora da primeira hora do BP, não saiu do pé da cama do filho no hospital, que guerreira e generosa que é preferiu não assustar ninguém antes de ter uma notícia que alivia para dar.

Vamos a ela, no e-mail mandado para os irmãos no Brasil, mas a notícia merece ser compartilhada com mais gente: “com alegria, transmito a noticia de que Pablo já se encontra em casa em plena recuperação. Para os que ainda não sabem, ele foi operado de urgência com uma obstrução no intestino. No transcorrer da operação ocorreram incidentes que aguçaram a periculosidade do quadro, como a perfuração da bexiga e a extração do apêndice. Como ele foi levado a um hospital onde não tinha histórico e o quadro era de muita urgência, essas coisas acontecem.
Pablo se mostrou, mais uma vez, ser um valente e esta se recuperando de uma maneira surpreendente. Ele me pediu varias vez para comunicar a vocês sobre sua situação, mas eu me encontrava em estado de choque e tinha que cuidar de tudo, não tinha cabeça para mais nada.
Estamos esperançosos de que a reforma do sistema de saúde, recém aprovada, venha nos beneficiar na assistência econômica, pois a conta é assustadora”.

Regina: É sempre bom ter esperanças renovadas. Mas o melhor é ver o bravo Pablo em plena recuperação. Logo, logo ele estará seguindo pelos Estados Unidos , como sempre gostou de fazer, a primeira boa banda de Rock que passar aí pela Califórnia.

“Smile” para Pablo, com Michael Jackson que o fez gostar tanto de música Pop.
SAUDE E BOA NOITE!!!

(Vitor Hugo Soares e equipe do Bahia em Pauta)

mar
23

Obama abraça vice ao promulgar lei/EPA

====================================================================

Presidente dos EUA, Barack Obama, disse que a reforma que permitirá a 32 milhões de norte-americanos terem acesso aos serviços de saúde foi procurada por «gerações de americanos ao longo dos anos».

Nesta terça-feira o presidente norte-americano promulgou a reforma do sistema de saúde, que permitirá alargar os cuidados de saúde a 32 milhões de cidadãos dos EUA que até aqui não tinham acesso a estes serviços.

«Com a chegada da primavera, saudamos o início de uma nova era nos EUA. Esta lei vai pôr em andamento as reformas pelas quais lutam gerações de americanos ao longo dos anos», explicou Barack Obama, ao promulgar esta lei.

Numa cerimónia realizada na Casa Branca, Obama, que assinalou os esforços feitos por outros presidentes neste sentido, lembrou ainda o caso da sua mãe, que morreu de câncer e que «até aos últimos dias teve de discutir com as seguradoras».

(Com informações do portal português TSF)

Wagner, Cesar Borges e Lula em Juazeiro/TM

==================================================================

Bob Fernandes

DEU NA REVISTA DIGITAL TERRA MAGAZINE

O senador e ex-governador César Borges (PR), fiel aliado de Antonio Carlos Magalhães ao longo de décadas na Bahia, recebeu o convite do governador Jaques Wagner (PT) para integrar sua chapa do Senado nas eleições 2010. O acordo, inicialmente alvo de resistência no PT e partidos à esquerda foi assimilado. No dia 22, PT, PSB, PCdoB e PDT se reuniram e apoiaram a decisão do governador por uma “chapa competitiva”

O problema, e a falta de acerto até agora, está na composição das coligações para deputados federais e estaduais que incluam o PR, partido que Borges preside no Estado.

– O governador nos procurou, conversamos, mas as negociações ainda estão em andamento, não houve um fechamento formal – garante César Borges, que confirma convite de Wagner para disputar uma das vagas para senador:

– O governador convidou, manifestou o desejo da minha presença na chapa…

A composição das duas candidaturas da base governista ao Senado e da vice de Wagner pode atrair também os aliados Lídice da Matta (PSB), deputada federal e ex-prefeita de Salvador, e Otto Alencar (PP), ex-governador com trajetória vinculada a ACM.

Resta uma incógnita: E Waldir Pires, que se dispõe a ser candidato ao Senado pelo PT, e que se dispõe a ir à Convenção se o partido quiser?

– Nós já conversamos sobre tudo isso, mas faltam os acertos para as proporcionais e, principalmente, falta uma palavra final, formal, o anúncio por parte do governador – sintetiza o senador César Borges.

A ENTREVISTA DE CESAR BORGES

Terra Magazine – Senador, por tudo que se sabe, se ouve, é informado, já estaria fechada sua presença numa chapa majoritária na Bahia, como candidato ao lado do governador Jaques Wagner, do PT, candidato à reeleição?
César Borges – O governador nos procurou, conversamos, mas as negociações ainda estão em andamento, não houve um fechamento formal. O governador manifestou o desejo da minha presença na chapa, mas há questões que temos que avançar ainda…

Que questões são essas?
A questão das coligações proporcionais, da eleição para deputados estaduais e federais.

Como política é, muitas vezes, algo intrincado, complexo para os cidadãos que não a vivem, daria para o senhor detalhar essa questão?

Não dá para ser candidato sem ser parceiro, não há como fazer uma coligação que não inclua todos os setores de um partido. Eu presido na Bahia o PR, temos os companheiros candidatos a deputado federal e estadual e, assim, uma combinação, um acerto político-partidário para uma campanha deve incluir a todos.

Ou seja…
…o PR tem hoje quatro deputados federais e podemos fazer cinco, tem seis estaduais e queremos fazer sete. Para isso é preciso que a composição eleitoral pretendida inclua também essa questão…

Em que pé está a coisa?
O governador nos procurou, conversei com o partido nacionalmente e, como o PR integra a base que dá sustentação ao governo Lula, fui autorizado a prosseguir nas negociações. Foram muitas conversas de todas as partes, mas agora chegou o momento em que é preciso definir as coisas…

Se bem entendi, a coligação está definida no macro, digamos assim…
…o macro que você diz seria a candidatura majoritária?

Sim, senador, mas até mais do que isso: está definido o desejo de ambas as partes de chegar a um acordo e está definido que o senhor será candidato ao senado…

Nós já conversamos sobre tudo isso, mas faltam os acertos para as proporcionais e, principalmente, falta uma palavra final, formal, o anúncio por parte do governador.

Ao que se diz tudo seria fechado ainda esta semana. É este o prazo final?
Formalmente, o prazo final é o da convenção…

…em junho?
…que é em junho, mas é muito importante o anúncio formal e o anúncio por parte do governador muito antes disso.

E quando seria?
O governador, pelo que soube, se manifestou essa semana dizendo que até o final deste mês teria suas decisões…

Para esse prazo falta, portanto, uma semana…
Isso.

O senhor diria que está bem encaminhada a negociação, com sua presença na chapa de Jaques Wagner como candidato a senador?
Eu diria que está encaminhado, “bem encaminhado” estará quando tudo, o resto, estiver acertado, combinado.

mar
23
Posted on 23-03-2010
Filed Under (Artigos) by vitor on 23-03-2010

A Bahia precisa?

======================================================

OPINIÃO/ÁGUA

Um dia depois da celebração da água, que mobilizou milhares de pessoas em todo o planeta, é alentador dar de cara com a reflexão do economista e cientista político Riccardo Petrella, que em entrevista declarou que o direito à água para todos não é “uma prioridade das classes dirigentes mundiais. Sua prioridade é saber quem vai ganhar, no decurso dos próximos 15 anos, a batalha para a conquista e a supremacia do mercado de um bilhão de novos carros ‘verdes’, bem como aquela das novas moradias ‘verdes’”.

Pelo mundo afora, muitas manifestações chamaram a atenção contra a privatização e contaminação da água. A Coordenadora Andina de Organizações Indígenas (CAOI) rechaçou a privatização da água, reafirmando o compromisso de promover a adoção de uma Declaração Universal de Direitos da Mãe Terra. O comunicado da CAOI afirmou que a despeito da sua importância para a vida dos seres vivos, a água continua a ser um bem explorado e mercantilizado pelos Estados “como parte da imposição do seu uso para atividades extrativas, como a mineração, que não só a monopoliza e consome em enormes volumes, como também contamina irreparavelmente suas fontes”.

Pode parecer romântico e utópico falar coisas assim atualmente, mas o que seria do planeta sem utopias?

Na Bahia, infelizmente, a lei que obriga as escolas da rede pública estadual a fazer atividades educativas no Dia Estadual da Água, não é cumprida. Ainda assim, estudantes de muitos colégios participaram do X Grito da Água, que coloriu as ruas de Salvador na tarde ontem. A alegre caminhada, promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores em Água e Esgoto (Sindae), com a participação de um grupo de índios pataxó, baianas e representantes de diversas organizações, foi do Campo Grande até a Praça Castro Alves, animada por um trio elétrico com banda de forró, grupos de dança e bonecos gigantes.

Um dos temas em destaque da agenda de protestos foi a energia nuclear, com manifestações de repúdio à instalação de usina nuclear na Bahia, desfilando em balão, faixas e alegorias. Por isto mesmo, o ato contou também com a participação de representantes de movimentos e entidades de Caetité, onde uma mineração de urânio é acusada de contaminar a água consumida por moradores das proximidades da unidade industrial que dá início ao ciclo de produção de energia nuclear.

O X Grito da Água também aconteceu no interior, onde os sertanejos, afetados pela escassez de água e pelos impactos sócio ambientais da mineração de urânio e ferro, realizaram manifestação em Guanambi em torno do tema “Água e meio ambiente vamos preservar sem privatizar”. Cerca de 300 pessoas, de Caetité, Malhada, Pindaí e Guanambi sairam em passeata da Praça da Matriz, com faixas, discursos e cantos até a sede da CODEVASF, onde ocorreu a “Bênção da Água, com entrega de documentos com as reivindicações das populações, que padecem com as perspectivas de agravamento da falta de água, por causa da ação das mineradoras que atuam na região. A Comissão Paroquial de Meio Ambiente de Caetité, a Caritas Regional NE, a CPT-Sudoeste, o Movimento Paulo Jackson – Ética, Justiça, Cidadania e o Sindae colaboraram para a realização do evento.

A entrevista especial sobre a água, com o italiano Riccardo Petrella, pode ser lida em:

http://racismoambiental.net.br/2010/03/a-privatizacao-da-agua-nega-o-direito-humano-de-ter-acesso-a-ela-entrevista-especial-com-riccardo-petrella/

Confira e veje que nem tudo está perdido

===================================================================

Luiz Fontana, parceiro do Blogbar, faz das suas mais uma vez: veja a mensagem que ele postou no BP acompanhada de um vídeo preciso de Pernambuco e seu conjunto:

“Caro VHS: Nessa vidinha de garimpar especiarias, resolver publicar algumas é natural

Aqui, o que espero ser o início de uma série.

Pernambuco e seu conjunto, “Ginga de Urubu”, do tempo que sapatos eram “bico fino”

mar
23
Posted on 23-03-2010
Filed Under (Newsletter) by vitor on 23-03-2010

Relações azedam na China


=================================================================

O jornal PÚBLICO, um dos diários mais influentes de Portugal assinala em sua edição online, que o regime de Pequim reagiu nesta terça-feira de forma azeda à “totalmente errada” à decisão da Google de fechar o seu site de de busca – o mais acessado do mundo na WEB – em território chinês, onde estava sujeito a uma censura muito restritiva.

O jornal europeu destaca que o Ministério dos Negócios Estrangeiros asseverou que o Governo vai responder a esta decisão “de acordo com a lei”, depois de a empresa norte-americana ter anunciado na véspera que vai passar a redirecionar os seus utilizadores clientes para um outro portal, não censurado, em Hong Kong.

Segundo Público, esta medida compromete seriamente a imagem internacional do país, traduzindo-se numa declaração clara de uma das mais importantes empresas no mundo de que não está mais disposta a cooperar com o sistema de censura na Internet do Governo chinês.

Um porta-voz do ministério, Qin Gang, disse em conferência de imprensa esta manhã que a decisão da Google constitui “um ato isolado” de uma empresa, o qual não deverá afetar as relações entre a China e os Estados Unidos a não ser que a mesma seja “politizada” por Washington.

Um outro responsável do Governo chinês, com responsabilidades sobre o ciberespaço, afirmara antes que “a Google violou a promessa escrita que fizera ao entrar no mercado chinês, ao decidir deixar de filtrar os resultados do seu motor de pesquisas e culpando a China com insinuações de que somos responsáveis por alegados ataques de hacking”.

“Tudo isto está totalmente errado. Opomo-nos determinadamente à politização de assuntos comerciais e expressamos à Google o nosso desagrado e indignação pelas suas acusações e conduta injustificadas”, avaliaria a mesma fonte, citada mas não identificada pela agência noticiosa estatal chinesa Xinhua.

A Google avisara em Janeiro passado que iria deixar de censurar o seu site na China, em resposta a uma série de muito sofisticados ataques de pirataria informática a algumas contas de email de seus utilizadores. Segundo a empresa norte-americana estes ataques foram feitos a partir da China, onde a Google já várias vezes se manifestara desagradada com as regras de censura que lhe eram impostas pelo Governo.

Mas para a grande maioria dos internautas chineses o redirecionamento do google.cn para o não censurado google.com.hk não produzirá efeitos muito significativos, uma vez que o Governo dispõe de um sistema de firewalls que bloqueiam à partida praticamente todas as possibilidades de acesso a conteúdos considerados “sensíveis” pelo regime – como menções ao Dalai Lama ou à Praça de Tiananmen.


===============================================================
O artigo do jornalista Ivan de Carvalho na Tribuna da Bahia analisa nesta terça-feira a afirmativa feita ontem pelo governador Jaques Wagner no programa “Que venha o povo” do jornalista Casemiro Neto, na TV Aratu, que pretende “esta semana bater o martelo” da chapa que liderada por ele concorrerá às eleições majoritárias por um coligação encabeçada pelo PT. No texto que Bahia em Pauta reproduz, Ivan assinala que o senador César Borges conseguiu paralisar o processo de composição das chapas do governo, do PMDB e do DEM-PSDB. “Todos aguardam sua decisão”. Confira.

(VHS)

===================================================

NA BATIDA DO MARTELO

Ivan de Carvalho

 

O governador Jaques Wagner afirmou ontem, no programa “Que venha o povo”, do jornalista Casemiro Neto, TV Aratu, que pretende “esta semana, bater o martelo” da chapa que liderada por ele concorrerá às eleições majoritárias por uma coligação encabeçada pelo PT.
Importa muito assinalar que a afirmação foi feita em resposta a uma pergunta do jornalista sobre a aliança entre o governador petista e o senador republicano César Borges e a inclusão deste na chapa majoritária, a ser completada com os nomes do conselheiro do TCM e ex-governador Otto Alencar, que para isto se filiaria ao PP, e com a vice-prefeita Lídice da Mata, deputada federal pelo PSB.

O governador reagiu muito positivamente à integração do senador César Borges e seu partido, o PR, à aliança governista, disse que hoje ou até amanhã pretendia um contato com o senador e foi aí que observou que esta semana pretende “bater o martelo” na questão da chapa majoritária.

O que não impede de, quando bater, o martelo fazer um barulho, não digo superior ao previsto, mas superior ao desejável. É que haverá descontentes. O equilíbrio político ou ideológico (cada um use a terminologia que preferir, nessa era de ideologias mortas) da chapa acabou prevalecendo, pondo-se Jaques Wagner e Lídice da Mata num prato da balança e César Borges e Otto Alencar no outro prato. Claro que nenhum dos quatro políticos é igual ao outro, há diferenças de pensamento e de história, mas há duas duplas (Wagner-Lídice e César-Otto) que tem ideário e história mais próximos, entre seus integrantes.

Havia no PT um movimento forte – mas não dominante – para que se impedisse a participação de César Borges na chapa majoritária e nela se incluísse Waldir Pires. Claro que o saudável e, diria, já legendário ex-governador de 83 anos representava uma parte da “esquerda” do PT inconformada com o “carlista” ou “ex-carlista” César Borges. Mas o governador Wagner pensava, nos seus cálculos políticos e eleitorais – ele diz que considera favorável a posição eleitoral do governo e dele, mas que “com eleição não se brinca” – uma aliança mais ampla. Esta observação ele a teria feito a Waldir Pires, no encontro que tiveram para tratar de candidaturas ao Senado.
E foi esta a posição que “com muita clareza” comunicou à cúpula do PT da Bahia e a partir da qual “houve o debate”. Dirigentes partidários, a exemplo de Jonas Paulo, irão aprofundar esse debate ou posição junto às bancadas federal e estadual do PT, tudo muito rapidamente para que se possa “bater o martelo” logo.

Há quem, em outros partidos, ponha dúvidas quanto à adesão de César Borges à aliança liderada pelo PT. “Pode acontecer. Mas considerar fato consumado é apressado. César conseguiu paralisar o processo de composição das chapas do governo, do PMDB e do DEM-PSDB. Todos aguardam sua decisão. Há injunções de toda ordem. E de qualquer forma haverá descontentes e isso vai resultar em críticas”, disse ontem, no anonimato, um experiente político não governista, acrescentando: “César tem que considerar a origem do seu próprio eleitorado, o que é vital, e as resistências internas no PT. Em Ilhéus, na presença do presidente Lula e do governador Wagner, o ministro Geddel, na época aliado a ambos, sofreu uma vaia organizada por Geraldo Simões, que era secretário da Agricultura de Wagner. Agora você imagine…”.

Eu não vou imaginar nada. Se o senador quiser imaginar, que o faça.

  • Arquivos