mar
17
Postado em 17-03-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 17-03-2010 23:15

Mães e esposas de presos protestam em Cuba/EPA

=================================================
DEU NO PORTAL TSF (LISBOA)

Um grupo de mulheres e mães de presos políticos foram carregadas, nesta quarta-feira, pela polícia cubana, quando faziam um protesto público em Havana. As chamadas “Damas de Branco” recordam, durante esta semana, o sétimo aniversário da Primavera Negra, quando dezenas de opositores ao regime foram presos.

Ontem já se verificava um ambiente de tensão entre os apoiadores do regime e as manifestantes. Contudo, esta quarta-feira, como testemunhou um reporter da agência France Press, algumas mulheres foram agarradas e transportadas pelas autoridades cubanas para veículos.

A TSF falou com uma das manifestantes que contou que «eramos cerca de 50 mulheres de branco que nos dirigimos para a igreja de Santa Barbara, em Havana, em protesto para exigir a libertação dos 53 presos».

«A nossa marcha foi surpreendida por cerca de 300 pessoas» acusadas de serem «organizadas pelo Governo de Fidel e Raul Castro», e mais 200 polícias.

«A marcha parou depois junto à casa de Orlando Fundora», outro dos dissidentes em greve de fome, «a ideia era pedir-lhe para interromper o protesto. Foi aqui que a polícia e os homens partidários de Fidel nos puseram à força dentro de dois autocarros. Mas nós não queríamos e oferecemos resistência», revelou a manifestante.

«Pelo menos dez mulheres tiveram de receber tratamento hospitalar», como contou a manifestante, que acrescentou que «o dia foi marcante, triste e vergonhoso para o país».
polícia cubana.Sete anos depois da Primavera Negra, 53 dos 75 opositores ao regime continuam presos.

(Com informações do portal TSF e France Presse)

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos