Lula: “Coisa boa não interessa”

=============================================

DEU NO DIÁRIO DE NOTÍCIAS (PORTUGAL)

“A imprensa brasileira, por hábito ou por desvio, não gosta de falar de obra inaugural. Coisa boa não interessa, o que interessa é desgraça”. A declaração do presidente Luis Inácio Lula da Silva foi feita nsta segunda-feira numa cerimónia de inauguração de um complexo desportivo e de um centro de atendimento à saúde na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, onde foram concluídas apenas 20 por cento das obras previstas, segundo publica a edião online do Diário de Notícias, de Lisboa.

Faltando cerca de oito meses para as eleições presidenciais, menos de um quarto do total das obras na comunidade foram concluídas, assinala ainda na edião de hoje, o jornal português.

O projecto é do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e teve início há dois anos.”Eu só queria dizer que é um desvio de comportamento não aceitar as coisas boas. Quase nenhuma obra merece matéria, o que merece é um erro que a gente cometa”, criticou Lula.

“Se a Rocinha foi motivo de vergonha, a Rocinha hoje é motivo de orgulho. É verdade que na Rocinha deve ter algum bandido, mas quem é que disse que não tem bandido nos prédios chiques de Copacabana ou em outros lugares mais importantes”, questionou o Presidente.

No discurso, Lula da Silva ressaltou ainda que há ainda muito por fazer.

“O que é grave é que os perseguidos são sempre os pobres dos morros e não os ricos. O problema é que os pobres foram abandonados durante séculos. As pessoas precisam é apenas de oportunidade”.

Com investimentos de 231,2 milhões de reais (92,8 milhões de euros) na maior favela da América Latina, foram concluídos o equivalente a 42 milhões de reais (16,8 milhões de euros).

Em Fevereiro, Lula da Silva já adiantou que no dia 26 de Março vai ser lançado o PAC 2, a segunda edição do Programa.

O chefe de Estado brasileiro visita ainda hoje as obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

O empreendimento da Petrobras de 8,4 mil milhões de dólares está com as obras atrasadas. Em Julho do ano passado, o Tribunal de Contas da União (TCU) questionou as obras por ter constatado indícios de irregularidades.

Inicialmente previsto para meados de 2011, a estatal adiou a inauguração da obra para o segundo semestre de 2013.

(Com informações do Diário de Notícias, de Lisboa)

mar
08

=================================================

Mulheres, não percam o fôlego!

Aparecida Torneros

Mais um Dia Internacional das Mulheres, o 8 de março carrega, simbolicamente, em todas nós, do sexo dito frágil, a sensação de que a corrida do ouro está apenas começando.

Depois de mais de um século em que a massa feminina mundial tenta chegar menos atrasada, em busca de lugares decentes sob o céu do planeta azul, ainda que se esteja cansada de tantos retrocessos, é preciso que não se perca o fôlego, nessa maratona cuja reta de chegada terá sabor de conquista e de vitória.

Discursos vários de cunho feminista já se fizeram ouvir pelo século XX e pouco se conseguiu de concreto, em termos de evidências estatísticas.

Ainda percebemos menores salários quando desempenhamos as mesmas atividades que os homens.

Vícios culturais, religiosos e socioeconômicos ainda nos
impelem a aceitar distorções que vão desde restrições a vestimentas até castrações físicas do clitóris em vários países, passando pela aceitação de jornada dupla de responsabilidade para aquelas que acumulam a função de chefes de suas famílias, quando os homens saem de casa, fenômeno crescente importante, detectado no último censo do Brasil.

Quando se observa os rostos das mulheres ao perderem seus filhos, maridos e companheiros nas guerras em curso no mundo, é possível identificar o horror permanente que a miséria da condição humana que iguala todas num caldeirão de impotência quanto ao poder decisório para os conflitos entre os povos.

Está claro que esses embates atingem os homens tanto quanto afetam mulheres. Mas é justamente o advento das guerras que antes só convocavam grandes contingentes masculinos, que nos levou a engrossar, por necessidade, as alas industriais, e nos fizeram passar a ser importante mão de obra no mundo da revolução industrial.

Numa fábrica, companheiras nossas morreram queimadas num gesto autoritário, marcando o 8 de março, como um dia a ser relembrado em homenagem à condição feminina , não somente pela sua importância na escalada social, na conjuntura econômica dos povos, mas sobretudo, pela injustiça e pela atrocidade desfechada contra o gênero feminino naquele momento.

O Dia Internacional da Mulher serve para nos repensarmos todas. Importante se faz nos conscientizarmos de que é preciso ser fortes, estarmos preparadas para continuar correndo em direção ao podium.

Se, em alguns momentos, no entanto, sentimos que nos falta o ar, aparentemente cansadas das lutas constantes que empreendemos para trabalhar e sobreviver com dignidade, para apoiarmos nossos companheiros, filhos e amigos, num mundo extremamente competitivo e muitas vezes tão desonesto, respiremos fundo, e retomemos o fôlego.
Companheiras, não deixem que as eventuais dificuldades da vida as façam perder o ritmo da corrida. Sigam em frente, certas de que há luz no horizonte feminino, se umas passarem para as outras o grande exemplo das suas superações. Mulheres síndicas, policiais, pilotos de aviação, garis, enfermeiras, professoras, somos muitas, somos as dançarinas que enfeitam as noites, como somos as cantadeiras que embalam os filhos, somos as artistas que criam as rendas e os bordados, tecendo fios de afeição e amizade.
Senhoras, meninas e modelos, desfilamos na passarela dos sonhos, em busca dos lugares de construção.

Precisamos urgentemente, construir melhores dias para as novas gerações. Sabemos disso porque somos amigas, amantes e esposas, quase sempre nos dividindo em múltiplos papéis, aquecendo músculos que se desdobram em corridas permanentes, no nosso dia a dia.

Mulheres, não percam o fôlego, ainda que as decepções pareçam maiores que nossos limites. Há muito mais a fazer. Estejamos atentas para esta corrida insana, observando o exercício constante do preparo físico e mental que a nova ordem mundial requer. Permaneçam antenadas, “plugadas”, não se deixem dominar pelas ideologias ultrapassadas e pelos discursos velhos e repetidos.

Cada uma de nós deve empreender seu próprio texto, pois a vida de uma é base sensível para a demarcação do território livre do universo feminino. Nesse, só pisa quem souber o sentido de uma corrida delicada com pés descalços que, feridos, se comprazem ao alcançar o degrau mais alto da história.

Mulheres, respirem fundo e sigam lutando lindamente,
com sorrisos de paz e harmonia!
O dia é seu, como deve ser o mundo!

Cida Torneros, jornalista e escritora, mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Mulher Necessária )

mar
08
Posted on 08-03-2010
Filed Under (Artigos, Ivan) by vitor on 08-03-2010

Em sua coluna desta segunda-feira na Tribuna da Bahia, o jornalista Ivan de Carvalho comenta a anulação do exame da Ordem dos Advogados do Brasil, decidida ontem para todo País. O colunista assinala no texto que Bahia em pauta reproduz:Ora, errado está o espelho, não a resposta dada na prova. Conheço um caso específico assim, sub judice.Confira.

(VHS)

==================================================

O EXAME DA ORDEM

Ivan de Carvalho

A anulação do Exame de Ordem decidida pela OAB cria algumas questões. O exame é agora igual para todo o país. Envolve muita gente na elaboração da prova, na distribuição para as seccionais estaduais, na distribuição para os locais de prova em cada Estado. É extremamente difícil, quase impossível, controlar eficazmente isso tudo para que a honestidade não seja ferida no país da malandragem e da corrupção.

Por mais radical que haja sido a OAB em sua decisão e mais sérias que sejam a apuração do crime e, eventualmente, sua punição, será impossível reparar o dano sofrido pelos milhares de injustamente sacrificados, que fizeram honestamente as provas com o acerto necessário para a aprovação.

Também a OAB, enquanto mantém solitariamente no Direito a reserva de mercado representada pelo Exame de Ordem, preferindo isto a deixar que o próprio mercado marginalize os inaptos, como ocorre nas demais profissões – mesmo com os médicos, que lidam com a vida e a morte – precisa aperfeiçoar a correção de suas provas. Há um “espelho” pelo qual é feita a correção. Os que fazem as provas não sabem o que está no “espelho”, claro. Vem uma lei nova, está em vigor e não é incluída no “espelho”. O graduado leva em conta essa lei e quem corrige sua prova o faz pelo “espelho” e dá como errado. Ora, errado está o espelho, não a resposta dada na prova. Conheço um caso específico assim, sub judice.


======================================================

Que favorito, que “Fita Branca” que nada, proclamado antecipadamente por boa parte da crítica brasileira como uma das barbadas da do Oscar na noite de domingo. Até o calejado Runes Ewald Filho, que transmitia a festa pela TNT se assustou , mas argentino “O Segredo dos Seus Olhos”, dirigido por Juan Jose Campanella, o mesmo diretor do pungente “Filho da Noiva”, e o mesmo e bom Ricado Darin como ator, conquistou com méritos de sobra o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, conferido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

“O Segredo dos Seus Olhos” tirou o pirulito da boca, dentre outros, do badalado filme alemão “A Fita Branca”, de Michael Haneke, considerado pelos críticos da grande mídia o grande favorito da categoria, para receber a estatueta das mãos dos cineastas Pedro Almodóvar e Quentin Tarantino.No final, Campanella e Argentina na cabeça.

Disputavam ainda a estatueta de Melhor Filme Estrangeiro o israelense “Ajami”, o peruano “O Leite da Amargura” e o francês “O Profeta”. O brasileiro “Salve Geral”, de Sérgio Rezende, foi o escolhido para representar o país no Oscar, mas não ficou entre os finalistas selecionados para disputar a estatueta.Seguramente foi este um dos motivos das máguas dos criticos e apresentadores brasileiros na TV na hora do anúncio da vitoria de “O Segredo de seus Olhos”.

“O Segredo dos Seus Olhos” conta uma envolvolvente história de amor misturada com uma eletrizante investigação de assassinato.A produção foi vencedora de vários prêmios do cinema argentino e levou o Goya, da Espanha, de melhor filme hispano-americano e de atriz revelação, para Soledad Villamil.O sucesso levou “O Segredo dos Seus Olhos” a se transformar na maior bilheteira da Argentina dos últimos 34 anos.

Antes de receber o Oscar na segunda indicação de um filme seu ao prêmio – em 2001 concorreu na mesma categoria com “O Filho da Noiva” – Campanella lembrou, com esperança, de que nas últimas edições os mais cotados não levaram a estatueta.A história que se repetiu este ano, com a derrota de “A Fita Branca”, como assinala o portal UOL.

Bahia em Pauta aplaude de pé esta magnífica vitória da Campanella, do cinema argentino e da América Latina.

BRAVO!!!

(Vitor Hugo Soares)

  • Arquivos