fev
23
Postado em 23-02-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 23-02-2010 23:41

Orlando Zapata Tamayo

=============================================
O portal português MSF acaba de informar que Zapata Tamayo, o dissidente do regime cubano que pedia para ser tratado como «prisioneiro de consciência», morreu nesta terça-feira no hospital Ameijeiras, para onde tinha sido levado na noite de segunda-feira. Segundo testemunhas, Zapata estava recebendo soro à revelia da vontade que tinha expressado.

Orlando Zapata Tamayo, de 42 anos, começou uma greve de fome a 3 de Dezembro em protesto contra o tratamento recebido na prisão.Aramis Perez, do diretório democrata cubano, uma organização discidente , diz que a morte de Zapata Tamayo não vai ser em vão

Tamayo viveu os últimos anos num recorrente entra e sai das prisões cubanas, tendo sido preso pela primeira vez em 2002 por fazer greve de fome em apoio aos prisioneiros do regime castrista.

Foi solto um ano depois, mas passou apenas 13 dias em liberdade sendo novamente preso por fazer parte do grupo dos 75 na conhecida Primavera Negra. Em 2003, Zapata Tamayo, membro de uma associação cívica posta na ilegalidade pelo governo cubano, foi condenado a 18 anos de prisão por alegada desordem pública.

A mãe de Tamayo, que integra o movimento Damas de Branco, um grupo de mulheres que defendem o “Grupo dos 75” da Primavera Negra, disse não ter feito qualquer preparativo para o enterro do filho, apesar de saber que seria este o desfecho, e avisou que não vai aceitar esta morte anunciada.

(Postado por Vitor Hugo Soares, com informações de TSF , de Portugal)

A Comissão Cubana dos Direitos do Homem e Reconciliação Nacional, uma organização ilegal mas tolerada pelo regime cubano, considerou que Zapata Tamayo foi assassinado de forma premeditada.

Em declarações à TSF, Aramis Perez, do directório democrata cubano, uma organização oposicionista com sede na Flórida, Estados Unidos, disse que a morte deste preso político cubano «não vai ser em vão», porque vai abrir o caminho da oposição para «continuar a lutar» a favor do que ele queria.

(Postado por Vitor Hugo Soares, com informações de TSF , de Portugal)

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 24 Fevereiro, 2010 at 9:15 #

Caro VHS

Impossível não tocar na insistência de Lula em comportar-se como avalista de Fidel.

Será difícil explicar a “cara de paisagem” de nossas autoridades após a carta contendo um pedido de socorro.

Aqui um trecho de el País,es:

“La muerte de Zapata se produjo pocas horas antes de que aterrizara en La Habana el presidente brasileño, Luiz Inácio Lula da Silva, en visita oficial. En vísperas de su llegada, 50 presos políticos cubanos dieron a conocer una carta en la que pedían a Lula que gestionara su libertad ante los Castro, con mención especial a Zapata.”

O passado juvenil em que bastava ostentar alguma bandeira tingida de esquerda e as atrocidades eram ignoradas, por certo, pode até estar perdoado, mas não se sustenta face à impossibilidade de ainda alegar-se desconhecimento.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos