fev
18
Posted on 18-02-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 18-02-2010

==================================================
Viva a Bossa Nossa de Cada Dia! Aqui, o Bossa Jazz Trio, executando De Manhã, de Caetano Veloso – e longe – mostra que a Bossa é sempre nova!
(Gilson Nogueira)

fev
18
Posted on 18-02-2010
Filed Under (Artigos, Eventuais) by vitor on 18-02-2010

====================================================
DEU NA REVISTA MUITO


OPINIÃO / PRINCÍPIOS

A PONTE, OS ARTISTAS E OS POLÍTICOS

Aninha Franco

O governador Jaques Wagner se indispõe com artistas desde o início de seu governo, ou pessoalmente ou através do secretário de Cultura que promoveu tremor haitiano na produção artística local sob seu silêncio. Calado. Consentido. Agora é a vez da ponte Salvador-Itaparica. Meu irmão, que eu amo, proprietário na ilha, que sofre horrores para chegar e sair de lá, acha que a ponte resolverá o funcionamento caótico do ferryboat. João Ubaldo nasceu na Ilha e criou Viva o povo brasileiro, livro-ponte da obra de Jorge Amado para a Bahia atual, e por suas razões, contrárias à ponte, terá, sempre, o meu apoio independente do meu amor. A contrapartida do governador é João Leão, secretário pós-Geddel, que como argumento master diz que os intelectuais estão contra a ponte mas o povo está a favor. E pode falar em nome do povo quem perdeu as eleições? Tem credibilidade para falar pelo povo quem ofendeu políticos íntegros como Moema Gramacho na disputa pelo poder em Lauro de Freitas?

A diferença entre políticos e artistas, governador, é que nós nos admiramos e respeitamos como pares, sem partidos, sempre por um mundo mais belo e honesto. Um mundo melhor. E é por isso que Chico Buarque é contrário à ponte, e sendo artista pode falar pelo povo porque tem o seu respeito e amor. Estar do outro lado de Chico, até em disputa de cuspe a distância, não é bom sinal, governador.

Tem gente que garante que a ponte só vai unir a violência de Salvador à violência de Itaparica, e por isso prefere a Ilha sem ponte, com o sistema ferryboat funcionando, honesto, eficiente, coisas que ele não faz há décadas, minado pela corrupção, providência infinitamente menos onerosa para nós, financiadores da ponte. Conselho não se dá nem a quem pede, governador, mas no futuro, dentro da história que o senhor está tecendo, essa que vem sendo fotografada, filmada, escrita, a ponte que falta é a que liga o povo à educação, para que ele nunca mais precise de intermediários do seu querer. E pra fazer essa ponte, governador, é mais seguro ser parceiro de artistas.

(Aninha Franco é poeta, escritora e dramaturga. Texto publicado originalmente na Revista Muito, jornal A Tarde, 14/02/2010, p. 41)

fev
18

Dalai Lama:pacifista no centro do conflito

==================================================

Indiferentente às pressões do regime de Pequim, o presidente norte-americano Barack Obama decidiu manter o encontro com Dalai Lama, o líder espiritual do Tibet, que visita os Estados Unidos, o que pode agravar as relações de Washington com a China.O Lama chegou há pouco na casa Branca para o encontro.

O encontro com Dalai Lama foi agendado a primeira vez para Outubro do ano passado, mas em vésperas da primeira visita oficial do presidente dos EUA à China, acabou por ser cancelado de modo a evitar tensões entre as duas grandes potências.

Mas a pressão de Pequim mantém-se. Na semana passada, o governo chinês considerou esta iniciativa um ponto negro nas relações bilaterias.

Em nota diplomática exigiu a anulação imediata do encontro, acusando o líder dos tibetanos de separatismo e manifestando, ainda, que se opõe firmemente a esta visita e ao encontros que estão agendados.

Além do encontro com Barack Obama, Dalai Lama, que estará em Washingotn até esta sexta-feira, vai reunir-se também com a secretária de Estado Hillary Clinton. A administração norte-americana mantém os planos afirmando que desconhece a solicitação da diplomacia chinesa e reiterando a importância do encontro.

Ainda assim, a reunião será realizada de forma discreta, não haverá fotografias do chefe espiritual dos tibetanos com Barack Obama e ao contrário de todas as reuniões políticas esta não ocorrerá na Sala Oval, mas na Sala dos Mapas, da Casa Branca.

Ao presidente norte-americano, Dalai Lama vai pedir ajuda para encontrar uma solução para o problema tibetano, que seja benéfica tanto para o Tibete como para a China.O porta-voz do líder espiritual diz mesmo que este encontro enviará um forte sinal à China, para mostrar que é chegada a hora de resolver a questão do Tibete, apesar de Pequim continua a achar que não.

fev
18

DEU EM TERRA MAGAZINE:

Marcela Rocha

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Legislativa do Distrito Federal aprovou relatório que acata quatro pedidos de impeachment contra o governador afastado José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM). No entanto, negou contra o vice Paulo Octávio (DEM), que cogita renunciar.

Na ânsia de se desvincular do governo do DF, a Executiva do DEM se reunirá para discutir a expulsão de Paulo Octávio. Contudo, ressalta o deputado federal Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA), a decisão depende ainda da renúncia ou não.

Após a prisão de Arruda, ocorrida na última quinta-feira, 11, sua ex-legenda orientou que todos os filiados deixassem o Palácio Buriti. Paulo Octávio não obedeceu e, segundo o deputado, “farão de tudo para desvincular completamente a legenda do governo do DF”. O recado foi dado.

Na tarde desta quinta-feira, 18, André Duda, assessor de Arruda, disse Paulo Octávio não vai renunciar ao cargo.

Leia abaixo a entrevista:

Terra Magazine – Como o DEM trabalha, agora, o afastamento do governo do DF?
Antônio Carlos Magalhães Neto – A imprensa e alguns políticos dizem que ele vai renunciar, mas isso ainda não aconteceu.

Paulo Octávio diz ter se sentido desamparado pelo partido.
O problema é que o partido não pode mais ter qualquer vínculo com o governo do DF. Já pagamos um preço muito caro por tudo o que já aconteceu e sem responsabilidade alguma. Não podemos continuar vinculados a esse governo.

Qual a saída para o DEM? O senador Demóstenes Torres defende a retirada de todos os filiados do governo – o que vocês também já recomendaram – a expulsão de Paulo Octávio e a intervenção no Diretório.
A intervenção é um caminho bem provável. A retirada do governo já foi uma decisão comunicada. Agora, a expulsão de Paulo Octávio vai depender da decisão dele sobre continuar ou não no governo.

Se ele permanecer no governo, ele será expulso?
Veja bem, o DEM quer se desvincular completamente do governo do DF. Mas isso não é uma barganha, quero deixar claro que isso será, obviamente levado à votação na Executiva. Mas queremos nos desvincular por completo.

Da mesma forma que nem todos do PT estavam envolvidos no Mensalão, nem todos do DEM estão neste escândalo de agora. O DEM tem feito todo o necessário para se desvincular?
Tem feito tudo o que pode. Fomos os únicos que cortamos na própria carne para nos desvincular e deixar isso claro. Não passamos a mão na cabeça de ninguém. Iríamos expulsar Arruda, mas ele decidiu sair um dia antes. O presidente da Câmara saiu. Obrigamos todos os filiados a saírem e retiramos qualquer tipo de apoio ao governo do DF.

O que significaria para DEM manter Paulo Octávio no partido?
O DEM quer se desvincular completamente do governo do Distrito Federal.

E quem quiser se manter nele está fora?
Pronto.

fev
18

Wagner: escolhas decisivas

====================================================

Em seu artigo desta quinta-feira pós-carnaval, o jornalista político Ivan de Carvalho comenta em sua coluna na Tribuna da Bahia, sobre as decisões para finalizar articulações que vinham de antes da folia, para composição das chapas para as eleições deste ano. Segundo Ivan, na Bahia o PT fornecerá o candidato a governador, mas dificilmente ocupará também uma das duas vagas de candidato a senador.Confira.
(VHS)

=======================================================

A CHAPA DO GOVERNO

Ivan de Carvalho

Começa agora uma fase de decisões político-eleitorais e de finalização de articulações que vinham ocorrendo antes do carnaval.

O primeiro foco das atenções será a aliança que vem sendo articulada em torno da candidatura do governador Jaques Wagner à reeleição. Vejamos, hoje, isto.

A aliança em torno da candidatura de Wagner à reeleição envolverá um número de partidos maior que os quatro lugares existentes na chamada chapa majoritária. Quatro ou cinco legendas estarão diretamente envolvidas, não mais.

O PT fornecerá o candidato a governador. Dificilmente ocupará também uma das duas vagas de candidato a senador. Vale aqui lembrar que, na última entrevista em que falou do assunto, durante o carnaval, o governador Jaques Wagner não descartou a hipótese, mas insistiu em minimizar tal possibilidade: “Acho difícil, acho difícil”, disse ele aos repórteres, afirmação que na mesma entrevista fez pela segunda vez.

Ele tinha e tem ainda suas razões para não descartar, pois sabe que há dentro do PT resistências a uma chapa somente com um petista (ele próprio) e movimentos favoráveis à inclusão, como candidato ao Senado, do ex-governador e ex-ministro Waldir Pires (um movimento forte) e um movimento menos encorpado em favor da candidatura do secretário estadual de Planejamento, deputado federal e ex-candidato do PT a prefeito, Walter Pinheiro.

Descartar essas duas hipóteses sem cumprir um ritual de conversas e acertos pareceria autoritário e Jaques Wagner não gosta disso. Além do fato de que está na dependência, ainda, de outras decisões para fechar a chapa. Mas as articulações estão direcionadas para incluir, como candidatos ao Senado, o ex-deputado, ex-vice-governador e ex-governador Otto Alencar, atualmente conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (Alencar ingressaria no PP) e o senador, ex-governador e presidente estadual do PR, César Borges. Wagner já conversou com o presidente Lula a respeito da inclusão de Borges, certamente Lula conversará com o comando nacional do PR. E já está acertada uma conversa entre o governador e o senador, que poderá ser o lance decisivo. O governador, nas declarações sobre o assunto, vem deixando transparecer otimismo quanto a um resultado positivo.

Cumprindo-se essa expectativa – do contrário, será necessária uma revisão de planos para composição da chapa – ficará faltando definir a candidatura a vice-governador, o que é importante, porque, se Wagner for reeleito, deverá renunciar ao governo nove meses antes do final do mandato para disputar outro, de senador. E o vice assumirá, já como titular, o cargo de governador, comandando a máquina do Estado no período eleitoral. Dois políticos são considerados para a candidatura governista a vice-governador: a deputada federal e ex-prefeita de Salvador, Lídice da Mata, do PSB, e o presidente da Assembléia Legislativa, Marcelo Nilo, do PDT.

fev
18
Posted on 18-02-2010
Filed Under (Multimídia) by vitor on 18-02-2010


==================================================
“Amanhecendo”, esta maravilha da bossa nova produzida por Menescal e Lula Freire, para atravessar a madrugada, Bahia em Pauta foi buscar no inesgotável baú do Blogbar do Fontana, repleto de coisas boas da música do Brasil e do mundo que faz boa música.Três comentários recolhidos no You Tube resume tudo:”ups!!!!como és possivel????-tamaña simplicidad e tanta melodia….gracias por ter podido apreciar….un saludo? desde Barcelona.-, diz um ouvinte da Espanha.

“Que ótimo! Sucesso de? Os Cariocas. Ninguém mais gravou”, afirma e informa o brasileiro Jorge Santorio

“Qué delicia”, sintetiza outro espanhol, que se identifica apenas como Saribu.

Os três estão cobertos de razão. Confira.

BOA NOITE!!!

( Vitor Hugo Soares, com agradecimentos renovados do BP ao Blogbar do Fontana)

  • Arquivos