fev
05
Postado em 05-02-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 05-02-2010 15:51

Ubaldo: munição na ilha

==================================================

Amigos de João Ubaldo Ribeiro garantem que os ataques públicos do governador Jaques Wagner e do secretário de Planejamento, Walter Pinheiro, não vão esmorecer o romancista nas críticas à construção da ponte Salvador-Itaparica. A tropa de choque do PT tenta amenizar os estragos nacionais dos questionamentos de intelectuais, artistas, escritores e jornalistas, além de outros profissionais, à obra bilionária. O manifesto “Itaparica: ainda não é adeus” já ganhou as assinaturas de Chico Buarque, Aninha Franco, Verissimo, Cacá Diegues, Fernando da Rocha Peres, Sonia Coutinho e do arquiteto Paulo Ormindo de Azevedo, entre os nomes baianos e nacionais.

Jaques Wagner afirmou, em entrevista à repórter do jornal “A Tarde” Patrícia França, que os argumentos de Ubaldo são um “besteirol”. ”
“João Ubaldo é um grande escritor, não sei se é um grande urbanista, mas tem o direito de emitir a opinião dele. Mas não acho que a opinião dele é referencial. É uma opinião de um cidadão, como é um cidadão qualquer trabalhador de Itaparica”, disse o governador. Por sua vez, Pinheiro declarou ao “Jornal do Brasil”, em tom pejorativo, que “o velho João Ubaldo saiu da rede”.

Uma das estratégias dos petistas, rebatidas com firmeza por Ubaldo, é afirmar que o itaparicano só passa o verão na Ilha. A outra é desqualificar suas intervenções como as de um nostálgico preservacionista. Mas quem conhece Ubaldo pode afirmar que ele soube ouvir técnicos a respeito da viabilidade e dos impactos da ponte de 13km. E, como bom polemista, seguirá a se municiar com especialistas e moradores da Ilha.

Difícil de prever o próximo lance do imbróglio da ponte, mas os desacostumados a debates intelectuais não devem esquecer que João Ubaldo Ribeiro não é apenas autor do clássico “Viva o povo brasileiro”. Ele também escreveu um livro fundamental para compreender as movimentações políticas e empresariais na Bahia e no Brasil: ”

“Política: quem manda, por que manda, como manda
“.
==============================================

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz alfredo motta fontana on 5 Fevereiro, 2010 at 17:59 #

Uma “Pulex irritans”.

Grande VHS, esse blogueiro está com um pulga atrás da orelha.

Essa sensação incômoda deriva de uma observação simples.

Este deve ser o quarto artigo sobre a ponte que segundo o bravo secretário Leão, está materializada em editais que se vendem, ou, conforme tergiversou o governador, é apenas um sonho acalentado em gabinete.

O que remete à pequena e persistente “Pulex irritans”, é restar solitário nos comentários.

Teriam os baianos admitido o “inevitável” da obra que pretende rasgar a Baía de Todos os Santos, ou, espero eu, já não levam a sério, por razões que nem pretendo estampar, as intenções e planos do governador?

Em todo caso, me socorro da sabedoria de um personagem que frequenta minha incipiente prosa, Nhô Cansado, compadre de Sinhá Sensata, que em casos semelhantes, costuma exclamar entre uma tragada e outra do inseparável cigarro de palha: “A pulguinha pode até irritar, mas garante o alerta, e ajuda o perceber a nudez dos insensatos, mesmo quando agitam projetos que de importância possuem apenas o valor a ser empenhado.”

Para finalizar com um imenso sorriso:

– “Em ninho de anús, a confusão é gritante”.

Tim! Tim!


ISA on 5 Fevereiro, 2010 at 20:56 #

Bahia de tanta gente brilhante e lúcida, da guarida a um carioca que quer passar como um rolo compressor sem respeitar nossa tradições e história. Espero que em outubro o povo lúcido dê a resposta


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos