jan
27
Postado em 27-01-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 27-01-2010 23:10

Lula, dona Maria Amélia e Chico


=====================================================

MARIA OLÍVIA

A chegada do presidente Lula ao apartamento de cobertura de Chico Buarque na noite de segunda-feira no Alto Leblon, no Rio, já era esperada, mas o protocolo presidencial foi quebrado por imprevisto banal. O elevador social pifou bem na hora que Lula chegou ao edifício acompanhado dos ministros Dilma Rousseff, Franklin Martins e Márcio Fortes. Não teve outro jeito. Lula e comitiva subiram pelo elevador de serviço para se juntar aos mais de cem convidados que comemoravam o aniversário de Maria Amélia Buarque de Holanda, mãe de Chico. Memélia, como é chamada em família, completou 100 anos.

A festa era familiar. Estavam lá os 7 filhos, 13 netos (a única ausente era Luísa, filha de Chico e Marieta Severo que estuda em Paris) e 12 bisnetos, incluindo a caçula Leila, de apenas três meses, filha de Helena e Carlinhos Brown. João Gilberto, ex-genro, não foi, mas mandou de presente seis caixas de champanhe francês. “Foi uma festa animada com criança correndo pela casa e pessoas rindo”, conta Miúcha, a primogênita dos sete filhos de Maria Amélia.

Lula é velho amigo da aniversariante, desde os tempos em que era metalúrgico. O patriarca Sérgio Buarque de Holanda foi membro fundador do PT. Maria Amélia passou a noite sentada entre os amigos, o arquiteto Oscar Niemeyer, 102 anos, e o ensaísta Antonio Candido, 91. Depois da aniversariante, a grande estrela da festa foi Lula. Simpático, atendeu a todos os pedidos para posar para fotos, inclusive de Ana, empregada antiga de Chico, que parecia encantada em conhecer o presidente. Lula também conversou longamente com Niemeyer e Maria Amélia.

Dilma esbanjava simpatia. Deu beijinho em todo mundo como se fossem velhos conhecidos. Foram tantos que uma assessora veio limpar o rosto da ministra , manchado de batom. “Não tem importância, é só um batonzinho básico”, respondeu. E prosseguiu nos cumprimentos. Dilma e Lula não chegaram a tempo de ver a bênção de Frei Betto à aniversariante.

Ex-assessor especial da Presidência, Frei Betto e Lula andavam estremecidos. Mas, pelo menos na festa, foram cordiais. Lula deu um abraço afetuoso no velho aliado e os dois conversaram rapidamente.

O presidente ficou na festa por pouco mais de uma hora. No jantar foram servidos picadinho de carne, com batata e farofa, e dois pratos de massa. O bolo do parabéns foi todo enfeitado com pétalas de rosa, feitas de açúcar. Maria Amélia, elegante num vestido verde, adorou tudo e só foi embora por volta de 23h30. Saiu especialmente encantada com o presente que ganhou do amigo, Oscar Niemeyer: uma caixa de madeira no formato de um coração com 100 rosas vermelhas.

Maria Olívia é jornalista

Be Sociable, Share!

Comentários

Regina on 28 Janeiro, 2010 at 1:03 #

Obrigada, Olivinha, pela descrição tão completa desse singular evento. Maravilha!
Fez-me lembrar um certo “Baticum”, que o próprio Chico nos descreveu alguns anos atrás e que terminava assim: Naquela noite, tinha do bom e do melhor, só to te falando que pra te dar agua na boca…” VALEU!!!

http://www.youtube.com/watch?v=iZAsU-d3lKs

Regina Soares


Mariana Soares on 28 Janeiro, 2010 at 8:20 #

Viva a D. Amélia! Viva aos filhos maravilhosos que gerou, especialmente o meu adorado Chico Buarque! Saúde para aniversariante!


Olivia on 28 Janeiro, 2010 at 14:36 #

Faltou dizer: Às 18h30, Frei Beto começou uma benção e rezou um “Pai Nosso”, com adaptações e uma “Ave Maria”, latino-americana, ambas de sua autoria. Ah, o dono do tradicional botequim carioca Bip-Bip, vizinho de Maria Amélia em Copacabana, também – igual Oscar Niemayer, enviou 100 rosas vermelhas à aniversariante. Bom demais!!!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Janeiro 2010
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031