DEU NO JORNAL A TARDE

“Bomba! Bomba!” diria, se vivo estivesse, o colunista Ibrahin Sued, diante do escândalo – dos maiores -, que se anuncia com a reportagem que rendeu a principal manchete do diário baiano A TARDE na edição deste domingo, e que já repercute intensamente em áreas da política, dos negócios, da mídia e principalmente da administração municipal do Prefeito João Henrique de Barradas Carneiro.
=======================================================

Bahia em Pauta reproduz a parte da reportagem publicada também em A Tarde On-line. E declarações de envolvidos nas gravações explosivas. (V.H.S)

“A TARDE teve acesso, através de três fontes diferentes, a processo de 1.030 páginas do Serviço de Inteligência da Secretaria da Segurança. Escutas telefônicas da Operação Expresso autorizadas pela Justiça apontam para uma briga, nos bastidores, entre empresários de ônibus e as construtoras Odebrecht e OAS pela execução e gestão do projeto de vias exclusivas para ônibus em Salvador. Os dois grupos disputaram a obra de autoria da prefeitura, orçada em R$ 628 milhões, antes mesmo de ser lançada a licitação.

As investigações registram diálogos de Carlos Eduardo Villares Barral, coordenador do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo de Salvador (Setps), com empresários e autoridades, como o ministro Geddel Vieira. Investigado na Operação por suspeita de envolvimento no esquema de propina na Agência Estadual de Regulação (Agerba), Barral foi flagrado em pelo menos 16 escutas telefônicas, articulando a disputa para ganhar o projeto.

Nas gravações, o advogado pede ajuda ao ministro Geddel Vieira Lima e ao radialista Mário Kertész, na disputa com a OAS e a Odebrecht. Dono da Rádio Metrópole, Kertész mantém relações com Barral desde que comprou do advogado o antigo Jornal da Bahia, em 1990. O contato com Geddel, seria uma tentativa de Barral buscar apoio político, de acordo com o inquérito policial”.

Leia íntegra da reportagem na edição impressa de A Tarde. Assinante pode acessar todo conteúdo na versão digital.

================================================
João Henrique: “Barral é irresponsável”

=================================================

PREFEITO CHAMA EMPRESÁRIO BARRAL, VELHO ALIADO, DE “IRRESPONSÁVEL”

“O prefeito João Henrique afirmou, por meio do secretário de Comunicação, André Curvello, que as declarações do advogado Carlos Barral “são irresponsáveis e infelizes. Não se prevê o que as pessoas dizem sobre você. Defendo os interesses da cidade”. Por meio de nota da assessoria de imprensa, a Construtora Norberto Odebrecht nega “participar de qualquer tipo de disputa envolvendo o projeto conhecido como Rede Integrada de Corredores de Transporte de Salvador (Transalvador) – que vem sendo debatido publicamente pelo governo, setor privado e sociedade. Sendo uma empresa de construção civil, a Odebrecht acompanha as discussões, que envolvem uma importante intervenção de engenharia na capital”.

Leia mais em A Tarde

================================================
Geddel:nega tudo

==================================================

Ministro Geddel nega apoio a empresários do setor rodoviário

O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, negou ter apoiado o setor rodoviário de Salvador na disputa com empresas da construção civil pela execução e gestão do projeto de vias exclusivas para ônibus. Geddel também negou ter dito que o prefeito não é pessoa confiável. Apesar das negativas, as afirmações do ministro constam nas escutas telefônicas autorizadas judicialmente, e juntadas no inquérito policial da Operação Expresso, que investigou esquema de propina na Agerba.

Numa conversa telefônica gravada no dia 23 de outubro do ano passado, o ministro diz ao advogado Carlos Barral que já falou com o prefeito sobre o projeto das vias exclusivas, como havia prometido.

O diálogo entre os dois está transcrito nas páginas 47 e 48, no volume I do inquérito da Operação Expresso. Na mesma conversa, Geddel acrescenta que, apesar de já ter conversado com João Henrique, “não dá para confiar no que o prefeito diz”. O político do PMDB ainda orienta Barral a falar com o radialista Mário Kertész para “desdobrar o tema” e acrescenta que pode conversar com a construtora OAS para tentar “compatibilizar interesses”.

(LEIA ÍNTEGRA EM A TARDE EDIÇÃO IMPRESSA).

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Janeiro 2010
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031