jan
19
Postado em 19-01-2010
Arquivado em (Artigos, Multimídia, Vitor) por vitor em 19-01-2010 10:27


=======================================================
19 de janeiro.

Nesta data, no ano de 1982, a notícia da morte inesperada da cantora Elis Regina, as cisrcunstâncias trágicas que a cercavam, causariam enorme impacto nos fãs inumeráveis da maior intérprete brasileira na época, deixando o país em estado de choque.No início da tarde daquele dia, milhares de pessoas já se aglomeram diante do Teatro Bandeirantes, onde o corpo foi velado.

Registro do jornal Folha de S. Paulo:A música popular perde, prematuramente, uma de suas maiores intérpretes em todas as épocas, que se identificou com o Brasil desde o início de sua carreira no Beco das Garrafas, no Rio, passando pelos festivais que eletrizaram os anos 60, até a cantora madura dos “shows” dos anos 70, como “Falso Brilhante” e “Transversal do Tempo”.

Ainda a Folha: A causa de seu mal-estar súbito ainda não está esclarecida. Elis deu entrada às 11h45 no PS do Hospital das Clínicas, já sem vida. A morte foi anunciada pouco depois das 12 horas, sendo o corpo levado para o Instituto Médico Legal às 12h30. A autópsia revelou que a cantora não sofria de nenhuma moléstia nos órgãos vitais. O IML anunciará amanhã a “causa mortis”. No entanto, o delegado do 14o DP, Carmo Aparecido de Camargo, afirmou que Elis morreu devido a uma “intoxicação exógena”. Às 16h20 o corpo foi levado para o velório no Teatro Bandeirantes.

Elis Regina será sepultada na manhã de hoje no Cemitério do Morumbi, saindo o cortejo do Teatro Bandeirantes às 11 horas. O DSV já organizou um esquema especial para o trajeto: avenida Brigadeiro Luís Antônio, rua Humaitá, rampa do viaduto Pedroso, avenida 23 de Maio, avenida Rubem Berta, avenida dos Bandeirantes, avenida Luís Carlos Berrine, ponte do Morumbi, avenida Morumbi, rua Professor Carlos Gama, até a rua Deputado Laércio Corte, onde se localiza o Cemitério do Morumbi.

MORTE E ELIS NA VEJA

O AMARGO BRILHO DO PÓ

Aos 36 anos, Elis Regina, a melhor cantora do Brasil, foi achada morta, trancada em seu quarto, onde tomara a derradeira dose de cocaína

27 de janeiro de 1982

A morte da melhor cantora brasileira provocou um choque nacional, assim que a notícia circulou pelo rádio e pela televisão na manhã da última terça-feira. Cheia de vitalidade nos seus 36 anos, Elis Regina de Carvalho Costa, três filhos, passou metade de sua vida em estúdios, distribuindo uma voz impecavelmente afinada por 27 LPs, catorze compactos simples e seis duplos, que venderam algo como 4 milhões de cópias. Não é um recorde – Roberto Carlos vendeu quatro vezes mais –, mas a qualidade é tão boa que lhe assegurou uma das mais sólidas reputações da música popular brasileira. Sua morte, no apartamento que ocupava nos Jardins, em São Paulo, foi chorada com lágrimas canções entoadas por 25 000 fãs, amigos e parentes que a visitaram no velório do Teatro Bandeirantes, palco de seu maior sucesso, o show ‘Falso Brilhante”, no centro de São Paulo. Cerca de…

( Postado por Vitor Hugo Soares )

Be Sociable, Share!

Comentários

Mariana Soares on 19 Janeiro, 2010 at 10:56 #

Elis Regina, para mim, ainda é, até hoje e acho que será para sempre, a melhor cantora que o Brasil já conhceu. Lembro com toda exatidão a tristeza que senti ao saber da sua morte, dos telefonemas que recebi dos amigos se solidarizando com a minha dor, da noite inteira que passei ao lado do meu pai, também seu fã incondicional, velando, pela TV, seu corpo e assistindo a tristeza de tantos pela tão inesperada e triste partida da Elis. É uma saudade que vive latente no meu coração e sempre que a ouço cantar fico imaginando o quanto ela estaria arrebentando nos nossos dias. Sou fã, também, da sua filha – Maria Rita, que embora seja muito parecida com a mãe e o seu tom de voz, ainda tem que comer muito arroz com feijão para chegar perto da voz da mãe. Viva Elis, sempre…


Cida Torneros on 19 Janeiro, 2010 at 12:39 #

Elis é eterna, em nós, que a vimos e ouvimos cantar, num tempo em que sua voz e seus trejeitos nos encantaram para sempre. Justa homenagem, memoráveis lembranças, imensa admiração pela artista que ela é, através do legado que nos deixou, suas músicas, sua inconfundível doação quando cantava com alma, coração e vísceras. Elis visceral, Regina, rainha da música popular brasileira, grande Elis Regina. Viva ela!!!


Marcos Vinícius on 19 Janeiro, 2010 at 17:56 #

Viva Elis Regina, hoje, ontem e sempre!


Regina on 20 Janeiro, 2010 at 2:23 #

Ninguém se compara a Elis Regina, sua voz e força de interpretação são únicas e inigualáveis. Muitos, como ela, partiram muito cedo, não chegando a maturidade, para sabermos até onde chegariam, mas, por isso mesmo, por terem-se entregado tão intensamente, viraram mitos intocáveis.
Vibrante, corajosa, perfeccionista, era de poucos amigos, por que era intima da verdade sem babado nem lero-lero. Você amava ou odiava, não tinha meio termo.
Eu tenho todo o seu trabalho gravado e escuto com muita assiduidade, como se ela estivesse fazendo hoje esse acervo de ouro, sem tempo, sem barreiras, sem limites, como ela mesma foi.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Janeiro 2010
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031