jan
06
Postado em 06-01-2010
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 06-01-2010 12:22

Geddel: no ataque

===================================================
Que Angra dos Reis, que nada!

Que desabrigados das chuvas no Sudeste, vitimas de pontes destruidas e estradas arrasadas no Sul! As turmas da Defesa Civil do governo federal que se virem sozinhas nessas regiões atingidas pela tragédia do começo de 2010.

Por enquanto, o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, prefere permanecer mesmo em Salvador, sem tirar os olhos da praia de Inema onde descansa o presidente Lula. Enquanto isso, desempenha o trabalho que o ministro executa melhor e com mais prazer: política caseira, temperada com pauladas na cabeça do governador petista Jaques Wagner e sua administração.

Nesta quarta-feira, 6, dia de Santo Reis, o ministro de Lula não distribuiu caramelos nem refresco. Amanheceu bem cedinho no estúdio da Radio Band News-FM Salvador, onde distribuiu pauladas em entrevista bem ao estilo Geddel (ou seria ACM?)

.O assunto menos tratado na conversa com a repórter escalada para ouvi-lo foi o atendimento emergencial das vítimas da chuvas, tarefa de sua Pasta, através da Defesa Civil.

Durante quase 10 minutos, praticamente sem ser incomodado, o ministro Geddel falou com entusiasmo do governo de Pernambuco e das “maravilhas” do porto e do polo petroquimico de SUAPE, sempre colocadas em contraste com as “misérias, atraso e a lerdez dp governo baiano”, principalmente nas áreas de Segurança e Saúde.

“A Bahia hoje só é campeã em Dengue e em Meningite”, disparou. E seguiu no ataque ao governador petista, sempre tomando cuidado em ressalvar a eficiência e a capacidade de trabalho do governo federal do presidente Lula, a que ele serve.

Perguntado sobre o que considera sua maior virtude e seu maior defeito, Geddel respondeu apenas a primeira parte da questão: “considero minha maior virtude o grande amor que tenho pela Bahia” ( e deu a impressão nítida para o ouvinte que isso já foi dito antes por outro político local).

Quanto ao maior defeito, o ministro desconversou: “Isso eu deixo para que meus inimigos respondam”.

A repórter não insistiu. Deu mais uma risada simpática, o minstro agradeceu e a entrevista acabou.

(Vitor Hugo Soares)

Be Sociable, Share!

Comentários

Carlos Volney on 6 Janeiro, 2010 at 16:47 #

E eu que pensava que já tinha visto de tudo na política baiana. “Minha maior virtude ´o grande amor que tenho pela Bahia” e o “defeito deixo para os inimigos dizerem”. Será que nem na maldade e mediocridade conseguimos inovar??


rosane santana on 6 Janeiro, 2010 at 22:56 #

No livro III de “A República”, de Platão, le-se sobre o orador da pior espécie: “quanto maior for a sua mediocridade, mais imitará tudo e não considerará coisa alguma indigna de si, a ponto de tentar imitar tudo com grande aplicação…” (397a)…”Se chegasse à nossa cidade um homem aparentemente capaz, devido a sua arte, de tomar todas as formas e imitar todas as coisas (…) dir-lhe-íamos que na nossa cidade não há homens
dessa espécie, nem sequer é lícito que existam (…) Mas, para nós, ficaríamos com um poeta
e um narrador de histórias mais austero e menos aprazível, tendo em conta a sua utilidade, a fim de que ele imite para nós a fala do homem de bem …”


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • Janeiro 2010
    S T Q Q S S D
    « dez   fev »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031