dez
27


Para encerrar mais um domingo azul, em Salvador, o som dos Bee Gees feito onda que volta batendo na praia de recordações de um tempo bom, sem a violência de hoje. Feliz Semana Nova!
BOA NOITE!
(Gilson Nogueira)

dez
27

Ivana Trump: barraco aéreo
Ivana_Trump
====================================================
A socialite Ivana Trump foi expulsa de um avião na localidade de Palm Beach, Florida, depois de insultar um bebé que chorava a bordo, segundo noticiou o New York Post.A ex-mulher do multimilionário americano Donald Trump teve um ataque de fúria e insultou um bebé, os passageiros e, por último, a tripulação do avião em que seguia.

“Estava tão furiosa que teve que regressar ao terminal”, confirmou um porta-voz da polícia.A sexagenária ex-atleta de alta competição checa foi retirada do avião contra a sua vontade.

Ivana Trump casou-se o ano passado pela quarta vez, com o italiano Rossano Rubicondi, 23 anos mais novo, mas segundo aquele jornal americano já quer divorciar-se. Rubincondi é o seu quarto marido. Trump foi o segundo e deu-lhe três filhos.

dez
27
Posted on 27-12-2009
Filed Under (Artigos, Ivan) by vitor on 27-12-2009

Deu na coluna

Em sua coluna na Tribuna da Bahia (para sábado e domingo) o jornalista político Ivan de Carvalho, revela que antes de começar a escrever, esteve lendo o noticiário político deste Natal e não se sentiu estimulado a uma análise, nem mesmo da pesquisa Datafolha que avalia o desempenho de 10 governadores, entre ele Jaques Wagner, da Bahia, que subiu um degrau da escada em razão do tombo do governador do escândalo do Panetone,Jose Roberto Arruda, do Distrito Federal.
===============================================
O elo perdido
Ardi

Mas Ivan não é desses de desistir facilmente em seu ofício de jornalista curioso e polivalente. Assim, na leitura de artigo da categorizada revista Sciece, ele encontrou o assunto de seu surpreendete artigo, que Bahia em Pauta reproduz neste domingo.
(VHS)

==============================================
OPINIÃO POLÍTICA

O ELO PERDIDO

Ivan de carvalho

Antes de começar a escrever, estive lendo o noticiário político deste Natal e não fiquei estimulado a uma análise. Segundo a pesquisa Datafolha, que buscou saber a avaliação de dez governadores, o governador da Bahia, Jaques Wagner, subiu uma posição, aumentando um décimo de ponto em sua nota (as notas variam de zero a dez). A modesta escalada de Wagner na lista (não seu décimo de ponto, claro) deveu-se à queda brusca do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, provocado pelas assombrações da Operação Caixa de Pandora. O fato não me pareceu relevante.
Li também que o presidente Lula está atenazado com as dificuldades para montar um palanque forte para a candidata do PT a presidente, Dilma Rousseff. Lula acha que o homem para isto é o senador Aloísio Mercadante, já que o PT se mostra alérgico à hipótese da candidatura a governador de São Paulo de Ciro Gomes, do PSB. Exatamente porque Ciro (que prefere disputar a presidência da República, o que Lula não deseja) não é do PT. E o PT tem alergia ao que não é do PT.
Acontece que o candidato a governador preferido por Lula, Mercadante, não quer correr o enorme risco da eleição para governador e ficar sem mandato. Por isto, prefere o risco menor, de tentar a reeleição para o Senado, com duas vagas em jogo. A única observação séria que se pode fazer ante essa situação de Mercadante é lembrar que o líder do PT no Senado é aquele do renuncio, e renuncio mesmo, mas não renuncio mais porque Lula pediu. Quem sabe, Lula faz uma nova carta ao senador e ele aceita disputar o governo? Coisa para 2010, que ainda não chegou.
Enquanto não chega, vamos ficar com 2009. Ou, se quiserem, com a macaca. É que em seu balanço do ano que finda, a revista Science considerou como o evento científico mais importante do ano a apresentação do esqueleto (remontado em trabalho de mais de uma década) de uma fêmea de Ardipithecus ramidus, Ardi para os íntimos. Ardi, de 1,20 metro, viveu há 4,4 milhões de anos e é, no momento, considerada pela ciência o ancestral mais antigo da espécie humana, desqualificando dessa honrosa posição Lucy, um fóssil de Australophitecus aferensis, um milhão de anos mais jovem.
Os pesquisadores da Universidade da Califórnia, em Berkeley, mostraram (segundo a Science) que os hominídeos da época de Ardi tinham pouco a ver com os chimpanzés, já apresentando anatomia e hábitos bem distintos.
Aí, sim, há uma questão a ser levantada seriamente. Por enquanto, ninguém pode garantir que Ardi foi um ancestral da espécie humana e não apenas um exemplar de um ramo da macacada, bem diferenciado dos chimpanzés, mas que – claro que não se trata de uma certeza, mas de uma hipótese que não dá para descartar – teve sua evolução truncada por um evento qualquer, o que impossibilitaria sua proclamada condição de ser o mais antigo ancestral do homem até aqui conhecido. Mesma hipótese que vale para Lucy. O que manteria perdido o Elo Perdido.

dez
27


===================================================
A atriz Larissa Maciel estreou na televisão com o pé direito. Em seu primeiro trabalho em rede nacional, ela chamou a atenção do público e abocanhou 32,91% dos votos na eleição Melhores de PopTevê 2009 na categoria Atriz Revelação. “Fico feliz com esse reconhecimento. Não é o motivo pelo qual trabalho, mas vejo o prêmio como um carinho”, conta ela, que interpretou o papel-título da minissérie “Maysa – Quando Fala o Coração”.

Texto assinado por Natalia Palmeira no site da UOL assinala que,para viver a personagem, Larissa passou por uma preparação intensa. Foram oito meses de dedicação para dar vida à cantora, mãe de Jayme Monjardim, diretor da minissérie escrita por Manoel Carlos. “Foi um trabalho de composição muito sensível. Precisei aprender sobre essa mulher que mostrava a alma enquanto cantava”, avalia Larissa, que não apenas dublou a cantora. A atriz precisou ter aulas de canto para fazer uma espécie de “dueto” com as gravações originais de Maysa para dar mais naturalidade às cenas. “Tive que aprender a respirar junto com ela e também ter domínio de palco, já que nunca cantei com um microfone antes”, acrescenta.

Apesar de só ter se tornado conhecida dos telespectadores com a minissérie, Larissa tem 11 anos de carreira como atriz. E foi através de seus trabalhos no teatro e na RBS, afiliada da Globo no Rio Grande do Sul, que conseguiu o papel na trama. “O Leo Gama, produtor de elenco, me chamou para fazer o teste da personagem. Consegui e foi quando tudo começou”, rememora a gaúcha, que considera instigante interpretar um personagem real. Afinal, mesmo trabalhando para ser fiel às características da cantora, ela precisou dar a sua própria interpretação de quem foi Maysa. “O Jayme tinha uma preocupação muito grande de que a obra não fosse uma imitação, mas uma homenagem”, revela.

Para a atriz, a maior complexidade do papel aconteceu nos momentos em que teve de adequar a emoção das cenas com a música. Isto porque Jayme optou por não gravar as apresentações musicais em forma de shows. “Foi preciso juntar muitos detalhes para fazer a personagem funcionar”, explica Larissa, que, ao cantar “Hino ao Amor”, por exemplo, precisou medir a emoção sentida pela personagem – que acabava de saber da morte de André Matarazzo, seu ex-marido. A situação, que aconteceu mesmo durante uma apresentação da cantora, exigiu atenção da atriz. “Era um momento triste, mas eu não podia chorar copiosamente, porque na gravação original ela não estava chorando”, pondera.

Segundo a matéria da UOL, mesmo com uma estreia de impacto e a caracterização bastante fiel, a atriz diz que o medo de ficar para sempre sendo lembrada como Maysa não passou por sua cabeça. Para Larissa, a oportunidade de ser apresentada ao público com um papel marcante é um privilégio para poucos. “Alguns atores têm a sorte de conseguir bons personagens. Eu consegui um excelente. Isso é algo que me deixa feliz”, ressalta ela, que já tem um novo trabalho para breve. A atriz está no elenco de “Passione”, que vai substituir “Viver a Vida” e será escrita por Silvio de Abreu.

LEIA INTEGRA DA REPORTAGEM NO PORTAL UOL ( www.wol.com.br )

dez
27

Buonanotte: levado para Buenos Aires
Craque
====================================================
O último boletim médico, divulgado ainda em Venado Tuerto,informa qoe Buonanotte, o jovem craque do River Plate, considerado uma das maiores promessas atuais do futebol argentino estava completamente lúcido ao embarcar para Buenos Aires, e não corre risco de morte. Esta é a melhor notícia do acidente sofrido pelo craque no sábado, no qual morreram tres amigos que o acompanhavam.

A jovem promessa do futebol argentino acabou sendo transferido no início da noite de sábado à capital do país, Buenos Aires, após receber os primeiros cuidados médicos, devido do grave acidente em que Buonanotte se envolveu na província de Santa Fé.

Em seguida ao acidente, que culminou na morte de três amigos do jogador (Gerardo Suñé, Alexis Fulcheri e Emanuel Melo), Buonanotte acabou transportado para o Sanatorio de San Martín, um hospital na cidade de Venato Tuerto, ainda na província de Santa Fé. Após desembarcar, o meia teve constatado fraturas na clavícula, no úmero direito, além de lesões pulmonares. Os médico afirmaram que ele não corre mais risco de morte em decorrencia dos ferimento sofridos no acidente.

(Postado port Vitor Hugo Soares, com informações do portal IG e jornais argentinos)

  • Arquivos

  • dezembro 2009
    S T Q Q S S D
    « nov   jan »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031