nov
27
Postado em 27-11-2009
Arquivado em (Artigos, Ivan) por vitor em 27-11-2009 16:33

Deu na coluna

Em sua coluna política publicada na edição desta sexta-feira, 27, da Tribuna da Bahia o jornalista Ivan de Carvalho responde a mensagem de um leitor e fala de política nacional . Analisa como podem ser equivocados os comportamentos e avaliações massificadas ao longo da história.Bahia em Pauta reproduz. Confira.
(VHS)
==================================================
Lula:ponto de vista
Prelula
==============================================

OPINIÃO POLÍTICA

Sobre críticas de um leitor

Ivan de Carvalho

Recebi de um leitor da Tribuna da Bahia, cujo nome preservo, um e-mail datado do dia 23 em que, depois de elogio imerecido a esta coluna, observou que insisto “em só apenas criticar qualquer coisa que venha do governo Lula”, não lembrando-se ele de alguma coisa elogiosa a esse governo publicada neste espaço (em verdade, procurando bem, acabaria achando; já elogiei, por exemplo, o Bolsa Família, como uma medida emergencial e provisória, portanto desde que tenha o sentido do peixe que se dá enquanto se ensina a pessoa a pescar).
Surpreendeu-me, porém, entre as várias observações do leitor, aquela em que alega – ressalvado o direito óbvio de cada indivíduo a ter opinião própria – que as frequentes críticas a “coisas que venham do governo Lula” ocorrem apesar do presidente da República ter um índice de aprovação cada vez melhor, atingindo os 80 por cento na última pesquisa CNT/Sensus. Então, estranha ele que esses 80 por cento possam estar errados e certos somente eu “e mais alguns jornalistas que não aceitam que um nordestino, que foi para São Paulo num pau-de-arara, que é analfabeto, como diz Caetano, seja presidente do Brasil”. E indaga “até quando vocês vão continuar com esse sentimento preconceituoso e discriminatório”.
Respondi que procuro ser imparcial, isento, quando relato um fato ou faço uma análise, mas quando opino dou a minha opinião. Governo é posto por nós e pago pornôs para acertar, acertar é obrigação. Não é preciso elogiar. Errar obriga à crítica. O artigo imediatamente anterior ao e-mail do estimado leitor e que talvez haja sido a gota d`água que lhe encheu o copo opinava sobre duas coisas vindas do governo Lula. A defesa que a ministra e candidata do PT a presidente da República, Dilma Rousseff, fizera do retorno dos mensaleiros do PT à política e os rapapés (não me lembrei na ocasião de acrescentar os salamaleques) com que o governo Lula recebia em Brasília o presidente iraniano Ahmadinejad, o sinistro mentiroso que nega o Holocausto – a matança de seis milhões de judeus por Hitler.
Claro que o leitor que teve a gentileza de escrever-me não concorda com o insulto à humanidade perpetrado por Ahmadinejad e, estou convicto, também com a defesa de Rousseff quanto à volta dos mensaleiros. Apenas o meu artigo opinativo continha mais duas críticas “a coisas que venham do governo Lula” e ele talvez haja entendido que chegara a hora de não mais permanecer em silêncio. O somatório das críticas terá atingido o seu limite de paciência.
Quanto a estar eu “e alguns jornalistas” mais, insistindo na crítica (que fiz também, com a mesma insistência, a coisas vindas do governo FHC, por exemplo), enquanto 80 por cento dos eleitores avaliam positivamente o presidente Lula, lembrei-lhe que nem sempre a maioria está certa. A maioria, respondi a ele, votou e sentenciou Sócrates a beber cicuta e não creio que essa maioria estivesse certa. A maioria reunida ante a Torre Antonia, em Jerusalém, pediu a libertação de Barrabás e a crucificação de Jesus e nem mesmo Pilatos concordou com a opção – apenas, por falta de coragem, submeteu-se.

Be Sociable, Share!

Comentários

rosane santana on 27 novembro, 2009 at 16:58 #

Bravo, Ivan. A história não é feita pela maioria(a despeito do que pretende a micro-história) nem pela unanimidade. Aliás, a unanimidade é burra, disse Nelson Rodrigues e e8u assino embaixo, cainhando contra o vento.


gilberto on 27 novembro, 2009 at 17:51 #

E será que seta mesma maioria via seus filhos nao passarem fome,estava desempregados ou via as benesses do Estado para uns poucos apaniguados e etc. etc e etc. será? sera?. Ou será que essas comparações para explicar as suas persistentes e até certo ponto justas críticas não passa misturar chiclete com banana para daí tirar uma salada de frutas?
gilberto


Jader Martins on 30 novembro, 2009 at 8:16 #

Rosane santana é a pessoa que afirmou qur o o BP havia publicado o mal educado comentário de Caetano Veloso contra lula , faltando com a verdade. Agora demonstra desconhecer completamente conceito básicos de estatistitca ( ou aritimética). Unanimidade siguinifica 100 % . Ou seja , tem 20 % da população inteligente (?) que não aprova o governo Lula. A comparação de Ivan com pesquisa de opinião e Jesus/ Barrabás é inapropriada pois está confundindo a situação de uma turba ou massa de pessoas que podem ser levadas por uma situação pontual com opiniões individuais que são emitidas . Como vê Rosana , continuarei a manifestar apesar de vc considerar esta manifestação como patrulhamento!!!!!!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2009
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30