nov
24
Postado em 24-11-2009
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 24-11-2009 19:43

Senador João Durval (PDT)…
Durval
…Deputado Zezeu (PT):”Notas frias”.
Zeribeiro

A edição deste domingo do jornal Folha de São Paulo apresenta detalhes de um arquivo sigiloso da Câmara dos Deputados e revela o uso de Notas Fiscais falsas e empresas fantasmas que são beneficiárias de verba indenizatória, adicional mensal pago aos parlamentares para despesas relacionadas a sua atividade.

A matéria assinada pelos jornalistas Alan Gripp e Ranier Bragon sobre o arquivo sigiloso da Câmara dos Deputados , que denuncia o uso de notas fiscais falsas de empresas fantamas, segue causando estragos em alguma biografias parlamentares e muita polêmica em e Brasilia e nos estados que os envolvidos no escândalo representam. A matéria da Folha acusa, dentre outros, parlamentares da Bahia de serem beneficiados pela manobra ilegal. Dentre eles o senador João Durval Carneiro (PDT) e os deputados federais Uldurico Pinto (PHS), Severiano Alves (PMDB) , Zezéu Ribeiro (PT) e Tonha Magalhães.

O ex-governador João Durval Carneiro é citado na matéria após apresentar notas fiscais de uma empresa em Luziânia, interior de Goiás. Os jornalistas afirmam que a empresa SC Comunicações e Eventos, líder em volume de recursos no quesito “consultoria”, com R$ 115 mil, emitiu notas para dez deputados e ex-deputados, mas não é conhecida em seu endereço oficial. “Nunca funcionou nenhuma empresa ali, isso eu posso garantir”, afirmou o caminhoneiro Giovani Braz de Queiroz, dono do imóvel há 12 anos.A reportagem da Folha de domingo, repercutiu ontem no Jornal Nacional da Rede Globo.

O jornalista Umberto de Campos Goularte, proprietário da SC e assessor do senador João Durval (PDT-BA), diz que o endereço inexistente se deve a um erro de seu contador e que ele prestou serviços de assessoria de imprensa, atividade para a qual os deputados já têm verbas específicas -R$ 60 mil ao mês. Goularte disse ainda que a SC fica em Luziânia porque é lá que vive o seu contador e que a empresa cumpre “todas as suas obrigações”. Segundo a prefeitura da cidade, porém, a empresa não recolhe ISS (Imposto Sobre Serviços) desde 2007.

Segundo a reportagem da Folha, reproduzida no Bahia em Pautas no próprio domingo, os deputados baianos Severiano Alves (PMDB) e Uldurico Pinto (PHS) entregaram uma série de notas da Valente & Bueno Assessoria Empresarial, que informou à Receita funcionar num apartamento na Asa Sul de Brasília. O dono do imóvel nunca ouviu falar da firma, segundo a matéria do Folha. No período analisado, a Valente & Bueno teria recebido R$ 56 mil dos dois deputados, mas, segundo eles, os pagamentos remontam a 2006, o que elevaria o valor a pelo menos R$ 350 mil se o padrão de pagamentos for constante. Severiano e Uldurico disseram que os serviços foram prestados, mas não souberam detalhá-los. Severiano falou que a assessoria era “consultoria de mídia, principalmente” e que interrompeu os trabalhos em abril porque a Câmara teria proibido a contratação de consultorias, o que não é verdade. Uldurico disse não se lembrar exatamente o que solicitou – foram “trabalhos jurídicos, específicos”.

A Seven Promoções emitiu em três meses notas de numeração 1, 2 e 3 a Zezéu Ribeiro (PT-BA), indício de que “trabalhava” exclusivamente para o deputado baiano. Apesar de ter sido aberta em 1999, a firma só emitiu as primeiras notas em 2008. No endereço citado, em Brasília, funciona uma corretora de planos de saúde.

Escândalo e vergonha suprapartidários, já se vê.

(Postado por Vitor Hugo Soares, com informações da Folha e do JN )

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2009
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30