nov
14
Posted on 14-11-2009
Filed Under (Newsletter) by vitor on 14-11-2009

Abalos na Argentina: registros
sismo
================================================
Um sismo de magnitude 6,1 graus na escala de Richter – considerado forte pelos institutos internacionais que medem a intensidade dos terremotos – abalou, este sábado, 14, o noroeste da Argentina, na região da fronteira com Chile e Bolívia. A informação é do Instituto Geológico Americano (USGS), em Washington (USA).

O tremor de terra , segundo o instituto, teve o seu epicentro numa zona montanhosa 160 quilómetros a noroeste da localidade de San Salvador de Jujuy e a uma profundidade de 141 quilómetros.

Até as 22 horas (horário de Brasília) não havia informações oficiais de vítimas ou danos materiais. Um sismo de 5,5 foi registado a 6 de Novembro na mesma região.

Na escala utilizada pelo USGS, um sismo com uma magnitude de 6 é
considerado forte.

(Postado por Vitor Hugo Soares, com informações do portal TSE Rádio Notícias (Portugal) e agências internacionais de notícias)

nov
14
Posted on 14-11-2009
Filed Under (Newsletter) by vitor on 14-11-2009

“Obamao” nas prateteiras de Pequim…
China
…Proibido até segunda ordem
Obamao
=====================================================
Deu no jornal El Mundo (Espanha)

Ele mal acaba de colocar os pés na Ásia e na China os ânimos já vão esquentando para a visita do “furacão Obama”, como o presidente dos Estados Unidos está sendo chamado por lá. Até o ponto de as autoridades de Pequim proibirem a venda de souvenirs com o rosto do presidente norte-americano caracterizado como comunista do tempo da guarda vermelha do presidente Mao Tse-tung.

“A maioria dos chineses gosta de Obama. É amável, gracioso e o primeiro presidente negro”. Disse Liu Mingjie, um moderno empresário da capital que fez sua festa particular vendendo camisetas, moedários e outros artigos ‘Obamao’ (mistura de Obama e Mao), um Barack metido em boina e vestimenta maoísta. Com o boné de estrela vermelha e tudo o mais.

Também nos DVD-clubs, onde se expõem as últimas novidades do mercado pirata, o discurso de posse de Obama bombou nestes dias, segundo conta a senhora Li, que os vendía a meio euro, uma vez feita a conversão do yuan, a moeda chinesa.

PROIBIDO

Mas agora, por ordem superior inapelável, parte deste arriscado ‘merchandising’ desapareceu das prateleiras sem deixar rastro. Inclusive em Shanghai, que será a primeira parada da delegação do presidente dos Estados Unidos em território chinês. Em Shangai, no entanto, não precisou vir nenhum guarda ou policíal para retirar o produto, como aconteceu em Pequim.

( O texto do El Mundo foi traduzido por Vitor Hugo Soares)

.

nov
14
Posted on 14-11-2009
Filed Under (Newsletter) by vitor on 14-11-2009

Deu no jornal El Mundo (Espanha)

Veneza hoje:funeral de uma maravilha
Vene
===================================================
Barcas e gôndolas de Veneza se vestiram de luto no Grande Canal para participar neste sábado, 14, do Funeral da Cidade, uma iniciativa organizada por seus cidadãos para sensibilizar todo o mundo do grave problema de despovoamento de uma das mais belas e atraentes cidades do planeta.

O turistas surpreendidos puderam assistir a um cortejo fúnebre do qual participaram umas 300 pessoas navegando em seus barcos a remos seguindo a gôndola na qual se colocou o ataúde que simbolizava a morte de Veneza.

O caixão foi colocado, depois, diante da sede da Prefeitura , o Palácio Cà Farsetti, onde se pronunciou uma oração fúnebre pela “Serenissima” em dialeto veneziano.

Foi uma iniciativa organizada pelo movimento cívico “venessia.com” para chamar a atenção, ante a responsabilidade da cidade, para o despovoamento de Veneza, que abrigava 120.000 habitantes na década dos anos 60 e agora se encontra com menos de 60.mil. “Veneza está em perigo”, afirmou à agência de notícias européias EFE Matteo Secchi, um dos organizadores desta iniciativa.

Para Matteo, em 21 de outubro passado, quando a população veneziana baixou dos 60 mil habitantes, se passou a considerar esta uma das datas trágicas da história da cidade.

“Se o 4 de novembro de 1966 os venezianos recordam como a data da grande tragédia da inundação, o passado 21 de outubro passará à história como tragédia dos despovoamento”, acrecentou Sechi.

O funeral terminou quando do ataúde saiu a bandeira da Fenix (Ave Fénix), um dos símbolos de Veneza e do renascer da “Serenissima”. Por isso, o movimento está realizando uma coleta de assinaturas dirigidas a todas as pessoas que queiram “converter-se em veneziano”

A fuga dos venezanos

O primeiro “novo veneziano” adotado por este movimento de cidadãos é o filósofo espanhol Victor Gómez Pin, que recebeu ano passado o prêmio jornalístico internacional “Istituto Veneto per Venezia” por seu artigo “Não ao modelo Veneza” , em que comparava o despovoamento do centro de Barcelona com a cidade dos canais.

Para Secchi, “Veneza está ficando sem alma”, já que os autênticos venezianos deixam a cidade devido às grandes dificuldades de viver entre os canais, assim como os preços altos das casas e do resto dos serviços e alimentos. Para evitar que siga o êxodo, os poucos que ficam pedem aos políticos algumas medidas que freiariam a fuga dos residentes.

Entre elas, que se pare imediatamente de abrir hoteis em Veneza, incentivos fiscais aos proprietários que aluguem suas casas a venezianos e favorecer a compra de casas populares a àqueles que partiram da cidade para que possam regressar.

A celebração do Funeral foi aproveitada pelo Instituto Worcester Polytechnic de Massachusetts (EEUU), que realiza uma investigação patrocinada pela National Geographic Society, para recolher amostras da saliva dos vezezianos de ao menos tres gerações e conservar assim o seu DNA.

Os especialistas americanos esperam recolher as amostras de DNA de 5.000 venezianos, que depois serão enviadas para o centro de evolução da Universidad Pompeu Fabra de Barcelona (España) para análise.

Este estudo forma parte de um projeto que tem como objetivo esclarecer as origens da população do centro da Europa.

(Texto do jornal espanhol El Mundo, traduzido por Vitor Hugo Soares)


São três as músicas para começar o dia neste sábado, 14 de novembro. Dois sambas do mestre Adoniran Barbosa. O clássico Iracema, de toda boa farra de bar, interpretado por Ellis Regina, e “Samba no Bexiga”, menos conhecido do público mas igualmente uma preciosidade da música brasileira, de letra e toda a graça de Adoniran, atualissima para este dias de confusão e babel política no país pós-apagão.Para terminar, Saudosa Maloca. Vale a pena ver o vídeo inteiro, feito no bairro boêmio paulista do Bixiga. Confira.

(Vitor Hugo Soares)

nov
14
Posted on 14-11-2009
Filed Under (Aparecida, Artigos, Multimídia) by vitor on 14-11-2009


==================================================
Vasco campeão no Maracanã
vasco
=================================================
CRÕNICA/ CRUZ DE MALTA

VASCO, vASCO,VASCO!

Aparecida Torneros

São 23 horas e 50 minutos de uma noite de sexta feira, 13, dia de superstição, noite de bruxas, azar ou sorte, mas o fato é que há um barulho ensurdecedor de buzinas à minha volta, que moro nas imediações do Maracanã, estádio que acaba de testemunhar a vitória vascaína, time carioca recuperado à primeira divisão, e agora campeão da rodada.

Vem à minha cabeça a noite do “Apagão”, dias atrás, recente ainda na memória de todos nós, quando vários estados brasileiros sofreram o colapso do fornecimento de energia e praticamente a força-motriz brasileira representada pela região sudeste esteve à mercê de um contraditório e inexplicado ainda episódio que nos fez sentir quase nos tempos das cavernas, não fosse a prestimosa comunicação do veículo rádio, via satélite, e equipado com modernos retransmissores movidos a geradodes potentes, que exerceram o papel fundamental de nos informar o que estava acontecendo.

Nosso povo é ordeiro em sua maioria. Quando tudo parecia à beira do caos, o volume de acidentes, na verdade, foi menor do que o esperado, e a manhã do dia seguinte trouxe a retomada da vida nacional, embora com prejuízos que ainda estão sendo avaliados além de investigação em curso que se faz necessária para elucidar as causas pífias ou naturais de tamanho desconforto a que nos vimos submetidos.

Mas não é do “Apagão” que quero falar. Quero é saudar o “Clarão”, a luz no fim do túnel, a recuperação do prestígio do futebol carioca, este esporte que movimenta massas de torcedores, gente efusiva, um povo capaz de tanta comemoração e alegria, e , enquanto escrevo, o som dos fogos invade meus ouvidos, gritos de euforia, festa da torcida, a força de uma população ciosa de direitos, deveres e com direito à festas como esta.

Um movimento inusitado se faz por aqui, as camisas em preto e branco, as bandeiras, os abraços, os gritos de “Viva o Vascão”, gente rindo, gente chorando de emoção, o Rio de Janeiro em festa, até os times adversários, através de seus fiéis escudeiros, reconhecem o esforço e a merecida vitória do Clube de Regatas Vasco da Gama.

Imagino a felicidade da minha amiga Penha, agora, com quem só devo conseguir falar amanhã, já que ela deve estar saindo do Maracanã e se dirigindo para São Januário, onde haverá, com certeza, festa a noite inteira. Penha, advogada, com quem trabalhei por muitos anos, é chefe da torcida que leva o nome de “Tulipas Vascaínas”. Senhora respeitada pela profissão e conduta, mãe de filho já homem feito, ela tem paixão pelo seu Vasco, o acompanha em jogos nacionais e internacionais, comanda seu grupo de torcedores, não falta às partidas, levando no peito a medalhinha com a Cruz de Malta, e vibrando com cada conquista do seu clube do coração.

Como a Penha, milhares de vascaínos espalhados pelo Brasil e pelo mundo, a essa hora, exultam com o título, e eu conheço um que se encontra agora no interior da França, Antonio Flores, que acompanha tudo a respeito do time que ele idolatra, mesmo morando naquele país há mais de 30 anos. A torcida esportiva é mesmo assim, vai além das fronteiras, ultrapassa a razão, carrega de emoção e afeto, ilumina a alma de quem torce, é motivo de respeito por quem acompanha, une criaturas de raças e credos diversos, junta em torno de uma bandeira , um time, uma jogada, um lance, um gol, muitos corações, como neste instante, vejo e acompanho a torcida vascaína que deixa o estádio, com seu carnaval improvisado.

Futebol e vitória representam luz e energia para o povo brasileiro, esse mesmo povo que merece respeito, porque é formado de grande massa trabalhadora, e tem nas partidas de futebol um grande alento, uma intensa válvula de escape, fazendo com que nos orgulhemos do nosso esporte nacional, o mesmo que já nos deu tantas Copas do Mundo e agora, nos faz esquecer as mazelas do “Apagão”, porque nos faz cantar com os vascaínos o seu hino de Glória.

Parabéns ao Vasco da Gama, aos seus jogadores e à sua contagiante torcida! Viva o “Clarão” da alegria futebolísitica e abaixo o “Apagão” amadorístico”!

Cida Torneros, jornalista e escritora ( torcedora do América do Rio) mora no Rio de Janeiro, onde edita o Blog da Mulher Necessária. (http://blogdamulhernecessaria.blogspot.com)

Aparecida Torneros

  • Arquivos

  • novembro 2009
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30