nov
11
Postado em 11-11-2009
Arquivado em (Artigos, Multimídia, Vitor) por vitor em 11-11-2009 10:07


=====================================================
“Tarde em Itapoã”, de Toquinho e Vinicius de Moraes, interpretada neste vídeo por Toquinho e Gilberto Gil, é a música para começar esta quarta-feira, 11 de novembro, no Bahia em Pauta. Vai direto para Dimas Josué da Fonseca, aniversariante nesta data, moderador deste site-blog. Moderador é pouco, pois pelo papel que cumpre desde o começo neste site-blog baiano de olho no mundo ele tem sido um permanente pilar de sustentação, que permite e estimula avanços seguidos ao BP.

Dimas é pilar, como está no título, no sentido mais literal do termo, ou em sua utilização para definir um ser humano. É uma figura estrutural, vertical, usada normalmente para receber os esforços de uma edificação e transferi-los para outros elementos, como as fundações. Na arquitetura, costuma estar associado ao sistema laje-viga-pilar.

Isso é Dimas em pessoa, o aniversariante que Bahia em Pauta homenageia hoje. E muito mais: mestre dos software e dos hardware, imbatível nos números e cálculos, sempre magnânimo, corajoso seguidor e arauto da ciência, leitor compulsivo e apreciador incansável de filmes e vídeos de ficção científica, vertical e ético sempre, amante da boa mesa, do vinho, da música, do mar.

E fiquemos por aqui, porque Dimas é ser inesgotável. Agora todos os nossos abraços de felicitações e agradecimentos para ele. E música, maestro!

(Vitor Hugo Soares, em tributo pessoal do editor e de todos os que fazem Bahia em Pauta )

Be Sociable, Share!

Comentários

Olivia on 11 novembro, 2009 at 12:05 #

Chegou a hora de apagar a velinha…parabéns para Dimas. Hoje a festa é sua, mas a alegria é nossa, por conviver e saber da existência de uma figuraça como você. Parabéns!!!


Gilson Nogueira on 11 novembro, 2009 at 13:13 #

Dimais,parabéns!!!


Mariana Soares on 11 novembro, 2009 at 14:58 #

Parabéns, Dimas, pelo aniversário, pela sua postura reta, por brigar todos os dias, com muita elegância, pela vida, pela familia que constituiu e por tudo de bom que nos transmite sempre.


Claudio Leal on 11 novembro, 2009 at 15:01 #

Desde Sampa, mando um forte abraço de aniversário para Dimas, que tanto contribui para o Bahia em Pauta, com sua generosidade e raça.


Graça Tonhá on 11 novembro, 2009 at 16:49 #

Dimas: É sempre muito gratificante conhecer, conviver e festejar a existência de alguem que acredita na força e no poder de si mesmo, nos sonhos e na vontade de vencer; que é o querido amigo de todos os momentos, além de exemplo de dignidade, inteligencia e solidariedade. Obrigada por tudo…
Muitas felicidades e Parabéns!!! Você é o Cara! Beijos.


Maria do Socorro Fonseca on 12 novembro, 2009 at 4:50 #

Depois do que Vítor falou (foi bom porque assim posso não me considerar suspeita para falar), fica até redundante tudo o que eu disser aqui sobre Dimas, porque para mim ele é um irmão muito, mas, muito amado mesmo, assim como o é como filho, pai, marido, colega e amigo; sempre muito carinhoso e acolhedor, constituiu uma família linda e amorosa – o que é mais do que merecido!
Quando adolescente, por ter crescido muito, acompanhou várias vezes esta irmã (sete anos mais velha) às festas por exigência do pai – para quem, moça sem um acompanhante da família (pai ou irmão), não era valorizada. Imagino quão chato deve ter sido isso para ele!
Em uma dessas festas (num baile de formatura), cruzou com Márcia e até dançou com ela, mas, ainda não era o momento deles… De qualquer forma, graças a mim, essa festa faz parte da “história” do casal…
Aos três anos, tornou-se o “xodó” de um casal de idosos que morava em nossa rua em Juazeiro: D. Alicinha, a quem chamava de Aichinha e Sr. Pio, o que significa que então já era bem cativante (rs).
Determinado, certa vez em que o Jornal da Bahia andou convocando “corretores mirins”, foi até lá e se inscreveu. Com o dinheiro recebido das vendas das assinaturas, comprou uma “radiola portátil”, o que foi um feito e tanto na época, principalmente para os irmãos.
Ainda adolescente, acompanhou inúmeras vezes o pessoal de Rodelas (terra de nosso pai) para fazer exames médicos; lembro de uma pessoa em especial: o Sr. Francisco, para quem resolvia tudo e quando se conseguiu internação no HC, (hospital da UFBA) para ele, Dimas ia visitá-lo semanalmente por livre e espontânea vontade!
Sempre teve uma cabeça aberta e ao mesmo tempo foi muito responsável. Uma de nossas tias, Nita, que era bem rigorosa com as saídas das filhas, com Dimas deixava tranquilamente que saíssem: com Dimas e Saulo, diga-se de passagem! Magnânimo e protetor sempre foi, e, como tão bem disse Vítor, é mesmo, um pilar, não um simples pilar, mas aquele de grande sustentação.
Seja qual for a dúvida, a gente sempre diz: Dimas deve saber isso, vamos perguntar e ver o que ele acha! É o patriarca da família!
Quem é que faz o IR de toda a gente? Olha os computadores? Resolve sempre quase tudo de quase todos nós? Alicinha que o diga! Mãe, eu e muito mais gente também!
Multifacetado, conserta de um tudo, como se diz! Em Guarajuba, na casa de nosso pai, nos fins de semana levava a sua indefectível caixa de ferramentas e saía procurando o que consertar: de descarga a fechadura, instalação elétrica e por aí vai. Estendeu isso para sua casa em Genipabu.
Tendo sempre Márcia ao lado como ajudante, no primeiro apartamento deles, colocou o forro do teto dos sanitários e as grades de proteção das janelas, quando os filhos eram pequenos. Trabalho de primeira! Sem contar com a instalação do som, espalhado por todo o apartamento. Colocava um disco no seu quarto e nos outros quartos e na sala, havia uma caixa de som embutida na parede e, se não me engano, um botãozinho para se aumentar ou diminuir a altura da música.
Quando estudava na Escola Técnica, até pela área de hipnotismo se aventurou e era uma farra: irmãos e primas, todo mundo, queria ser hipnotizado…
Foi o primeiro dos sete irmãos a comprar um carro e o fez sozinho quando estudante – cursava a Faculdade de Engenharia Elétrica que conciliava com os turnos da Petrobrás – onde começou a trabalhar assim que saiu da Escola Técnica – e com as saídas noturnas, das quais não abria mão. Se aquele chevete preto falasse!
Tudo de novidade em termos de computação e eletrônica sempre foi com ele. Foi das primeiras pessoas que conheço que aderiu logo às compras e transações bancárias on line.
Ah! E funcionário público exemplar, daqueles que honram o cargo: ético, pontual (Caxias mesmo) e honrado como poucos! Tímido também (deve estar todo envergonhado com essas declarações que estou fazendo).
Muito resumidamente, este é o meu irmão Dimas, por quem tenho grande admiração!
Parabéns mano! Tudo de bom para você! Para quem tem uma força mental enorme e uma determinação inquebrantável como a sua, tudo é possível! Superará todos os obstáculos que aparecerem e como um pilar que é, continuará dando força a todos nós!
Obrigada por existir!
Como disse Graça: “você é o cara!”
Muitos beijos.


Douglas on 12 novembro, 2009 at 20:39 #

Depois de tantos comentários lindos e verdadeiros, que dizer “velho”Dimas, como diz sempre seu Cardoso em tom de brincadeira? Bom posso, deixar aqui minha opinião: Guerreiro são pessoas, contudo, nem todas as pessoas são guerreiras e minha mana Márcia me deu a felicidade de casar com um cara que mais do que ninguém, que conheço, exprime e personifica a palavra GUERREIRO, graças a ela (Márcia) pois vim a conhecer e gostar de voce, como cunhado, como ser humano, como amigo e sobretudo como um GUERREIRO de primeira linha. Sua fé, sua luta sua cabeça tenho certeza nos levará a comemorar outros 11 de novembro. Um abração, parabéns e toca pra frente.


Dimas Fonseca on 13 novembro, 2009 at 8:43 #

Vitor, obrigado pela suas palavras, mas elas denunciam a parcialidade da amizade.
Agradeço a todos os mais que escreveram.
Socorro, um pouco menos.
Obrigado.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2009
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30