nov
02
Postado em 02-11-2009
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 02-11-2009 11:00

Espigões se multiplicam, favelas também
=====================================================
espigoes
====================================================
Deu na Terra Magazine

“Na madrugada é mais visível. São centenas de ônibus e carros que levam e trazem operários e diretores para fazerem funcionar o COPEC, o CIA, a Ford, a Refinaria de Mataripe e o Temadre. Fico imaginando quanto custa esta frota rodando e parada e quantas horas perdem seus funcionários diariamente dentro destes veículos, expostos a acidentes. O custo Salvador tem muito a ver com a falta de planejamento.

A Grande Salvador reúne 13 municípios, tem 4.375 km2, onde vivem quatro milhões de habitantes e é responsável por metade do PIB do estado. A Pequena Salvador tem 7,41% desta área, mas é onde se concentra 81% da população da metrópole. Por aí se pode compreender porque Salvador se transformou em um aglomerado de espigões e favelões, que avança sobre seus últimos verdes. Isto explica também sua pobreza estrutural. Toda atividade industrial está fora de Salvador e ela é responsável por fornecer habitação, transporte, saneamento, saúde, educação, cultura e lazer a cerca de 1,5 milhões de habitantes que geram riqueza e impostos em benefícios de outros municípios. Só Camaçari tem um PIB de quase metade do de Salvador e muito pouco custo com seu exercito de operários”.

Estes são os dois parágrafos iniciais do artigo do arquiteto Paulo Ormindo de Azevedo, professor titular da Universidade Federal da Bahia e Presidente do Dep. da Bahia do Instituto de Arquitetos do Brasil, publicado nesta segunda-feira, 2 de Novembro. Com o título “A Grande e a Pequena Salvador”, é um texto denso, informativo e reflexivo sobre verdades geralmente erscondidas sob as sombras dos cada dia mais graves contrastes sociais, políticos, administrativos e habitações da terceira maior cidade do País e sua chamada região metropolitana.

Merece leitura completa e atenta, além de séria reflexão e debate dos que moram, passam ou governam a cidade da Bahia e seu entorno. Vale até aproveitar este Dia de Finados para reflexão. Antes, talvez, que seja tarde demais.

(Postado por Vitor Hugo Soares)
=====================================================
Leia íntegra do artigo de Paulo Ormindo na Terra Magazine: ( www.terramagazine.com.br )

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • novembro 2009
    S T Q Q S S D
    « out   dez »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30