out
04
Postado em 04-10-2009
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 04-10-2009 10:13

Mercedes: “Bem mais que uma cantora extraordinária” /Clarim
Msosa
===================================================

Depois de permanecer internada durante 11 dias em um hospital do bairro de palermo, em Buenos Aires, morreu nas primeiras horas da madrugada deste domingo, 4 a cantora argentina Mercedes Sosa , aos 74 anos. A confirmação por familiares da morte de La Negra (como os argentinos sempre a chamaram com admiração e respeito) causou um clima de consternação não apenas na capital argentina e em Tucuman, provincia natal da artista, mas em toda a Américas Latinas, incluindo o Brasil, a cuja música Mercedes Sosa sempre esteve ligada e onde sempre gozou de muito prestígio desde os anos 60.

Segundo o site oficial da artista, Mercedes sofria de uma doença hepática, que foi complicada por problemas respiratórios. Ela entrou em coma e passou a respirar com ajuda de aparelhos desde a quinta-feira passada. Na sexta recebeu extrema-unção, mas combatente como sempre, resistiu até a madrugada de hoje, quando se confirmou o seu falecimento.O corpo da artista será velado no Salão dos Passos Perdidos, no Congresso Nacional Argentino.

Sem perder jamais a telúrica ligação com o canto de seu país, Mercedes foi uma artista internacional na melhor acepção.Haydé Mercedes Sosa nasceu no dia 9 de julho de 1935, na cidade de San Miguel de Tucumán. Com uma carreira de 60 anos, correu o mundo, dividiu o palco com inúmeros e prestigiosos artistas, entre eles os brasileiros Milton Nascimento, Chico Buarque de Holanda,Caetano Veloso, Fagner e Beth Carvalho. Deixa magnifica e inesgotável discografia.

“Sua voz levava mensagens de compromisso social através da música da raiz folclórica, sem prejuízos de somar outras vertentes e expressões de qualidade musical. Seu talento indiscutível, sua honestidade e suas profundas convicções deixam uma enorme herança para as gerações futuras”, diz a sua família no comunicado publicado no site oficial da cantora.

Natural da provícia de Tucamán, foi desde o começo da carreira uma cantora de grande apelo popular na América Latina e conhecida como La Negra pela cor das longas e lisas madeixas. Ganhou destaque muito nova, com quinze anos de idade, após se apresentar em uma competição de uma rádio da sua cidade natal e conseguiu um contrato de dois meses. O timbre marcante levou Mercedes a gravar o primeiro disco Canciones con Fundamento, em 1965, com um perfil de folk argentino.

Em 1967 veio a definitiva consagração internacional após gravar o sucesso Cantata Sudamericana e Mujeres Argentinas, com Ariel Ramirez e Feliz Luna. A música foi em homenagem à chilena Violeta Parra.

O portal Terra destaca ao noticiar sua morte:”De personalidade marcante, Sosa é conhecida também como uma ativista política de esquerda, sendo peronista na juventude. Se posicionou contra à figura de carlos Menem e apoioi a eleição do ex-prediente Néstor Kirchner”. Toda essa procupação inclusive – assinala o portal – fica evidente em seu repertório, tornando-se uma das grandes expoentes da Nueva Canción, movimento musical nos anos 60, com raízes africanas, cubanas, andinas e espanholas. Caetano Veloso, Gilberto Gil e Chico Buarque são representantes.

Uma perda imensa, portanto, também para o Brasil.

(Vitor Hugo Soares, com informações do site oficial de Mercedes Sosa, porta Terra na web e diários argentinos)

Be Sociable, Share!

Comentários

Regina on 4 outubro, 2009 at 17:26 #

http://www.youtube.com/watch?v=heeLHGVR8_g

Aqui temos um dos seus melhores momentos. Mercedes Sosa, em um show no Mexico na decada dos anos 90, cantando “Maria Maria” de Milton Nascimento.
Que descanse em paz, a brava guerreira, pois deixou sua semente bem plantada donde sempre germinarao belos frutos.


PAULO on 5 outubro, 2009 at 13:25 #

saudade, marcou minha adolecencia, lembro me com se fosse hj, ela e Fagner, CANTANDO NOS ANOS 80, LINDO LEMBRO QUANDO AINDA MORAVA NA BAHIA. SAUDADE UM GRANDE MULHER


luzia pires on 5 outubro, 2009 at 15:46 #

às vezes me questiono se é bom ou ruim estar ainda neste planeta e presenciar tal efeméride. Pelo legado que ela deixa e pelas alegrias que ela me proporcionou, penso que sim


jairo nunes on 29 outubro, 2009 at 19:16 #

Mercedes era a grande mãe de uma intensa tribo e certamente estará velando por nós, seu canto iluminado e forte nos avisa em um toque de tambor, que devemos sempre acreditar no amor..


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • outubro 2009
    S T Q Q S S D
    « set   nov »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031