set
17
Postado em 17-09-2009
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 17-09-2009 14:30

Capitão Lamarca
lamarca
==================================================
MARIA OLÍVIA

No próximo dia 19, sábado, a Prefeitura de Brotas de Macaúbas, interior da Bahia, promove um ato político em memória dos 38 anos da morte de Carlos Lamarca e Zequinha, executados por tropas do Exército no povoado de Pintadas, atual município de Ipupiara (então pertencente ao município de Brotas de Macaúbas). Na oportunidade, o prefeito da cidade, Litercílio Júnior sancionará Lei instituindo feriado municipal o dia 17 de setembro, data em que o Capitão Lamarca e Zequinha Barreto foram assassinados, em 1971. Do ato, vão participar ministros, secretários de estado, parlamentares e lideranças de toda Bahia.

Nascido no Rio de Janeiro, em outubro de 1937, Lamarca viveu até os 17 anos no Morro de São Carlos. Filho de pais pobres, cursou a Academia Militar . Em 1955, ingressou na Escola Preparatória de Cadetes, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Mais tarde, foi transferido para Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende, no Rio de Janeiro. Seguiu carreira, foi promovido ao posto de Capitão. Desertou do Exército para combater a ditadura militar. Na guerrilha, integrou a Vanguarda Popular Revolucionária, junto com Carlos Marighella, tornando-se um dos mais ativos combatentes ao regime instalado no Brasil.

Durante a clandestinidade, Lamarca conheceu a militante de esquerda Iara Iaverberg, que se tornou sua companheira. Ela foi morta dias antes do seu assassinato, em um apartamento no bairro da Pituba, em Salvador. Os jornalistas baianos Emiliano José e Oldack Miranda publicaram o livro Lamarca, Capitão da Guerrilha, onde narram toda história. A obra deu origem ao filme Lamarca, lançado em 1994, dirigido por Paulo Rezende e com o ator Paulo Betti como protagonista.

“A historia é um carro alegre, cheio de um povo contente, que atropela indiferente, todo aquele que a negue”… ensina o compositor cubano Sílvio Rodrigues, na belíssima canção, magistralmente interpretada na luxuosa companhia do nosso darling Chico Buarque. Portanto, vamos resgatar, pelo menos neste espaço, a verdadeira história das lutas políticas pela democracia na Bahia e no Brasil. Ponto para o prefeito de Brotas de Macaúbas que, por acaso, não conheço.

Vale também este registro : Em janeiro de 2007, o então prefeito de Ipupiara, Ascir Leite, construiu na comunidade de Pintada, local onde Lamarca foi morto, uma praça em sua homenagem. No local, uma estátua do Capitão Lamarca, um anfiteatro e uma área de lazer com fonte luminosa e cantina. No município, também, foi criada uma lei que coloca o dia 17 de setembro no calendário dos feriados municipais.

Maria Olívia é jornalista

Be Sociable, Share!

Comentários

Olivia on 17 setembro, 2009 at 16:45 #

Gostaria de partilhar com os leitores deste Bahiaempauta um poema de Adelmo Oliveira, dedicado a Carlos Lamarca, publicado no livro “Cântico para o deus dos ventos e das águas, com belíssima apresentação do saudoso abade do Mosteiro de São Bento, Dom Timóteo Amoroso Anastácio (esqueci de colocar no texto acima):

AS BODAS DA MORTE

Entre os frisos vermelhos da tarde
Eu canto a aurora.

Nas colunas de mato e rebanho
Eu canto a aurora.

Um fuzil pendurado entre arbustos
Eu canto a aurora.

Eu canto a aurora.

Uma estrela desmaia de sangue
Eu canto a aurora.

Este tempo é um marco de prata
Eu canto a aurora.

Toda morte é amarga e sonora
Eu canto a aurora.


carlos volney de souza sampaio on 17 setembro, 2009 at 17:42 #

Que bálsamo, a visita diária a esse blog. A gente se revigora vendo que aínda há pessoas sensíveis e com capacidade de análise. Admito até que se discuta os métodos de Lamarca e, quiçá, sua ideologia. Mas quem deu a vida por um ideal tem de ter a memória resgatada. Parabéns ao prefeito e a Olivinha pela belíssima lembrança.


Graça Azevedo on 17 setembro, 2009 at 21:18 #

A jornalista está se revelando uma poeta (como Cecília Meireles não gosto de poetisa) no seu texto em prosa.
Parabéns


José Eduardo on 18 setembro, 2009 at 13:45 #

Ora pois bem: Recém convertido a opositor, prefeito Litercílio Júnior é da mesma família que manda e desmanda em Brotas de Macaúbas desde o início dos anos 60 e que teve o apogeu com a Ditadura Militar, continuando com Antônio Carlos Magalhães etc caterva. Sobrinho de Edson Ribeiro, prefeiro 4 vezes e primo de Antônio Klber Ribeiro, prefeito outras 3 vezes, Litercílio foi até chefe do escritório da EBDA em Brotas, nomeado por ACM. Já o vice Arilton Alcântara é filho de Deodato Alcântara, vice-prefeito e irmão de Zenilton Alcântara, outro vice (que carma!) no reinado da família Ribeiro, da qual Litercílio é integrante. Mudaram-se os tempos e mascararam-se as ideologias. O PT na Bahia deixou aquela fleugma que vem afastando gente de fibra com Heloisa Helena e Marina Silva, para ficar apenas com dois grandes nomes de ex-petistas. Fica o registro para que a história política não seja destorcida como a República Sindicalista do PT quer fazer. No tempo de Zequinha e Lamarca os Ribeiro e os Alcântara de Brotas de Macaúbas eram ferrenhos defensores da ditadura e contrários às lutas para a libertação do povo.


Maísa de Oliveira on 18 setembro, 2009 at 23:45 #

A história é composta por pessoas que tem a coragem de romper conceitos, tabus e ideologias.
Com base nisso é que compomos uma nova história e traçamos novos horizontes.
Como Zequinha e Lamarca fizeram.
O Prefeito Litercílio e Vice prefeite Ailton, além de serem pessoas de reputação inquestionável, tem dentro de si, como a maioria dos brotenses, o grande desejo de mudança, que por muito tempo foi sufocado por um sistema político retrógado e cruel praticados em nosso município.
Como Zequinha e Lamarca romperam barreiras.
E o assunto colocado em pauta (em comentário) nada tem a ver com suas ideologias.
E é fato: Os dois tem um forte desejo de tornar Brotas de Macaúbas uma cidade melhor e estão incansávelmente à procura de todos os recursos possíveis para que a população tenha uma vida mais digna, com melhor qualidade.
Diga-se de passagem que encontraram Brotas de Macaúbas em uma situação calamitosa.
Hoje é possivel ver no olhar dos brotenses um brilho diferente e de pereceber em ações simples, porém de relevante importância, como uma homenagem a grandes líderes como Lamarca e Zequinha, a alegria e o despertar de um povo que antes estava adormecido, e que talvez hoje Brotas de Macaúbas (depois de tanto tempo) esteja realmente liberta da ditadura dos velhos coronéis.
Ousar lutar!
Ousar Vencer!
Paz e bem!


Chico Sales on 21 setembro, 2009 at 9:20 #

Houve um tempo em que bandidos fardados, representando um estado truculento, tomaram o poder, e desapareceram com direitos e pessoas que fossem contra seus interesses. Alguns poucos homens de fibra, como o Capitão Lamarca e Zequinha Barreto, combateram também de forma dura, um sistema injusto e criminoso. Isso é o que interessa nesse momento. Parabéns à prefeitura pela justa homenagem. Eles eram apenas heróis que escolheram o lado mais fraco pra defender, e nem sempre isso é “simpático”.


paulo sergio magalhães on 9 outubro, 2009 at 21:17 #

carlos lamarca sem duvida foi um grande homem,no gartel de amaralina era muito gurido. o senho prefeio de brotas de macaubas terra natel de minha mãe,um forte abraço em teu coração, prova que o sr.e um grande homem, paulo sergio magalhães. neta epoca eu morava na vila militar em itapoan,tenho 57 anos


OLIVEIRA on 26 Maio, 2012 at 11:00 #

PARA O PT PARTIDO DOS TRABALHADORES, SOMENTE LULA E DILMA FORAM PERSEGUIDOS NA DITADURA, MAS LAMARCA E ZEQUINHA BARRETO NAO INTERESSAM A ELES.


LITERCÍLIO Ribeiro dos Santos FILHO on 20 outubro, 2012 at 14:11 #

Há um nome que passa em branco na história, até o presente momento, no obscurantismo dos bravos e idealistas. Não é sem tempo! O surgimento de Litercílio Júnior e sua Equipe de governo, faz jus a ela* e confere a realidade dos fatos de então, já relatados, com a realidade presente, desde o exílio-migratório de Litercílio Ribeiro dos Santos* para Bom Jesus da Lapa (onde gerou a este que vos escreve), partindo em seguida para São Paulo com sua Companheira, minha mãe, Aurelina (Angical-BA).

Tenho acompanhado os acontecimentos e muito me orgulho da minha concepção em terras da nossa Bahia, oriunda da mais pura origem brotense.

Permaneço à disposição deste Jornal, assim como da adminstração das cidades de Brotas de Macaúbas e Ipupiara, então Povoado de Pintadas – BA… ‘testemunha ocular da História’.

Litercílio Filho
Brasília, 20/10/2012

Litercílio Ribeiro dos Santos
02 de outubro de 1929 (1926) Povoado de Pintadas – Brotas de Macaúbas – BA

Em memória a Litercílio Ribeiro dos Santos, nascido no Povoado de Pintadas – BA e a todos os Homens idealistas, com “fome e sede de justiça”, que fazem a história da nossa pujante Bahia, província-mãe do Brasil, lastro das Américas.


Litercilio Ribeiro dos Santos Filho on 15 agosto, 2013 at 7:12 #

Comentário:

O posicionamento político do Sr. Litercilio Ribeiro dos Santos, sempre foi isento da influência do governo que vigia a seu tempo.
Neoliberal moderado e sempre ‘centro’, antes de ‘direita’ ou esquerda, meu maior exemplo de equilíbrio e bom proceder, buscou ser um simples e justo homem, e foi.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=4382538101487&set=a.3570215153921.114648.1829261980&type=1&theater


jose virgilio de melo borges on 7 Abril, 2014 at 23:50 #

moro em arembepe, a 40 km de salvador, gostaria muito de conhecer este local onde tem a praça com a estatua de um dos grandes herois do Brasil, o capitão Carlos Lamarca. Peço que enviem para meu email a distancia aproximada e a rota para chegar la, pois pelo Google Maps nao consegui. Um abraço, VIRGILIO


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos

  • setembro 2009
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930