set
01
Posted on 01-09-2009
Filed Under (Newsletter) by vitor on 01-09-2009

Deu no portal da Prefeitura de Salvador:

“Com pelo menos mil outdoors espalhados pela cidade, Salvador é exemplo de harmonia entre a paisagem urbana e a mídia exterior para o país. Por isso, a capital baiana é sede, até esta terça-feira (1º) do 10º workhop da Central de Outdoor do Brasil, com o tema: O papel do outdoor no novo conceito das cidades. No evento, que acontece no Hotel Catussaba, o prefeito João Henrique recebeu uma homenagem pelo rigor na fiscalização de outdoors e mídias exteriores em Salvador”.

Ponto final na notícia.

Agora permitam uma gargalhada em seguimento: hahahahaha!

Permitam também uma pergunta que não quer calar:

Que Salvador é esta , “exemplo de harmonia entre a paisagem urbana e a mídia exterior para o país”, de que fala a nota municipal?

Ou será que o prefeito não mudou só de local de trabalho depois das chuvas que inundaram o predio da prefeitura.

Teria mudado também de cidade?

( Postado por; Vitor Hugo Soares)

set
01


================================================
A bela versão para o francês da canção da nossa Dolores Duran A Noite do Meu Bem -“La Nuit de Mon Amour” , escrita pelo poeta e compositor Pierre Barouh, interpretada por Bia, é a música para esta primeira noite de setembro. Bia Krieger é uma canrora brasileira , que divide sua vida entre a Franca e Québec, no Canadá. “Uma sugestão, para os ouvintes da “Rádio BP”, abrindo o mês das flores. Com voz suave, como a noite, Bia encanta. E canta. Confiram, amigos do BP!”, recomenda o jornalista Gilson Nogueira, que garimpou a maravilha. Subscrevo sem pestanejar.

(Vitor Hugo Soares )

set
01

Protógenes em Salvador/Arquivo
protoge
================================================
Martelo batido:

Reunido com membros do Partido Comunista do Brasil em um hotel no centro de São Paulo, na manhã desta terça-feira, 1/9, o delegado da Polícia Federal Protógenes Queiroz, que comandou a Operação Satiagraha, combinou detalhes da entrevista coletiva na qual anunciará amanhã , ás 14h, na capital paulista a sua decisão de ingressar no PC do B, partido pelo qual disputará o cargo de deputado federal nas eleições de 2010.A assinatura da ficha de filiação, no entanto, só acontecerá no dia 7 de setembro.

Enquanto não chega a hora do anúncio definitivo, o delegado Protógenes, detentor de pesquisas prévias de intenção que o apontam como um dos prováveis campeões de votos nas eleições do ano que vem em São Paulo, tem sido cercado do máximo “de carinho e atenção” por parte de militantes e dirigentes do PC do B. Ainda assim não têm conseguido impedir o intenso assédio e apelos de outros partidos nas últimas horas, a exemplo do PSOL, PSB, PV, PDT e até o PT.Ontem, em Brasília, o delegado recebeu acenos até de Berzoini, presidente nacional do PT, .

Na tarde de hoje, já de volta á capital paulista, o baiano de de Salvador, nascido na Cidade Baixa como ele gosta de acentuar, foi recebido na sede do PC do B, na Vila Mariana, pela cúpula comunista de São Paulo.Enquanto isso, à medida que começava a circular nacionalmente nos blogs a noticia de sua opção – a começar por notícia na revista virtual Terra Magazine, assinada pelo jornalista Bob Fernandes – começaram a pipocar restrições à escolha de Protógenes em várias áreas partidárias da chamada esquerda, a começar pelo PSOL.

A deputada federal Luciana Genro (Psol-RS) afirmou, nesta tarde, que a opção do delegado que comandou a Operação Satiagraha, de se filiar ao PCdoB em detrimento de seu partido, do qual esteve muito próximo nos últimos meses, enfraquece a luta dele contra a corrupção.
“O PCdoB está com o (José) Sarney (PMDB-AP) dentro do Senado. Então, a luta dele contra a corrupção fica prejudicada. Mas é uma escolha e a gente respeita”, afirmou Luciana, ao portal Terra.

APREDIZADO DIFÍCIL – A aliados e pessoas que o acompanham mais de perto em seus contatos e movimentações dos últimos dias, o delegado Protógenes Queiroz tem revelado que está preparado para receber críticas sinceras e leais como a da deputada Luciana Genro , do Psol, com quem conversou muito em sucessivos encontros ultimamente, E até “para críticas desleais ou mentirosas como as que certamente ainda serão atiradas sobre mim, a partir da minha opção partidária”, reagiu.

Em um restaurante de São Paulo, na tarde de hoje, antes de ir para o encontro com a cúpula do PC do B na Vila Mariana, o delegado Protógenes foi cumprimentado por um garçom que se disse inclinado a votar nerle em 2010, mas recomendou que ele tomasse “cuidado com os políticos”. O delegado agradeceu e respondeu com versos de uma canção da cantora argentina Mercedes Sosa, cuja letra ele considera que define bem a sua situação atual: “É caminhando que se aprende a caminhar”.

A conferir

(Vitor Hugo Soares )

Crianças: as maiores vítimas…
Ossetia
…do atentado à escola de Beslan
tragedia
================================================

Mais de três mil pessoas juntaram-se na manhã desta terça-feira (1) no interior da Escola Nº1 de Beslan, na Ossétia do Norte ( antiga União Soviética) para recordar as 335 vítimas do atentado terrorista que ocorreu entre 01 e 03 de Setembro de 2004.Entres as vítimas, 186 eram crianças.

Segundo a gência de notícia européia Lusa, o ato comemorativo começou às 08.30h (horário local), quando delegações oficiais e simples cidadãos começaram a depor flores no local da tragédia.

Segungo o informe da Lusa, no meio das ruínas do ginásio, onde cerca de 1.120 pessoas estiveram sequestradas por terroristas tchetchenos, foi instalado um crucifixo de três metros de altura, rodeado de cravos vermelhos. Nas paredes, em todo o perímetro, estão as fotos das vítimas.Foi celebrada pelo bispo ortodoxo de Stavropol e Vladikavkaz uma missa fúnebre pelos morto no atentado que chocou o mundo..

Na versão oficial, o comando terrorista que atacou a Escola de Beslan manteve sequestradas 1.120 pessoas entre 01 e 03 de Setembro de 2004. Durante o assalto lançado por forças de segurança russas, foram resgatados 918 reféns, quase 800 pessoas ficaram feridas no tiroteio. Trinta e um terroristas foram eliminados e o único capturado com vida, Nurpash Kuaev, foi condenado a prisão perpétua em 2006.

Segundo publica em sua edição on-line o jornal português Diário de Notícias, as autoridades russas consideram que os organizadores do assalto à escola foram Chamil Bassaev, um dos mais conhecidos comandantes da guerrilha chechena, e Aslan Maskhadov, ex-presidente separatista da Chechénia. Ambos foram abatidos pelas tropas russas em 2005 e 2006, respectivamente.

Familiares das vítimas continuam a exigir uma investigação mais aprofundada e independente do caso, mas as autoridades russas afirmam não haver necessidade disso.
Ella Kessaeva, dirigente da “Voz de Beslan”, organização que reúne familiares das vítimas, acusa as autoridades de nada fazer para as ajudar.

“No que respeita ao Estado, não há qualquer ajuda, não há quaisquer programas, a cidade de Beslan, neste momento, não tem nenhum programa de ajuda, de reabilitação das vítimas do atentado terrorista”, denuncia Kessaeva à rádio Eco de Moscou, segundo Lusa.

(Postado por Vitor Hugo Soares)

set
01

Putin e Merkel juntos na Polônia
putin

Deu no jornal
==============================================
Bahia em Pauta reproduz em parte, a seguir, texto informativo e análítico de Público, um dos mais conceituados diários de Portugal e da Europa, sobre o início da II Guerra Mundial, com o ataque alemão à Polônia. A íntegra da reportagem exemplar (do ponto de vista jornalístico) pode ser lida na íntegra na edição desta terça-feira do aniversário da maior tragédia da história moderna da humanidade) na edição on-line do jornal de Lisboa (http://ultimahora.publico.clix.pt) (VHS)

=============================================

Na madrugada de 1 de Setembro de 1939, os canhões do cruzador alemão Schleswig-Hosltein abriram fogo sobre as posições polacas em Westerplatte, na então cidade livre de Danzig, hoje Gdansk. Era o início da primeira batalha da II Guerra Mundial. Esta tarde, quando o Presidente polaco e o primeiro-ministro da Polónia, Lech Kaczynski e Donald Tusk, receberem os seus principais convidados estrangeiros, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, e a chanceler alemã, Angela Merkel, a data e a hora a que tudo começou serão um dos raros dados históricos do conflito em relação ao qual todos estarão de acordo.

Mas o primeiro-ministro russo decidiu marcar estas comemorações por antecipação. Ontem, Vladimir Putin publicou um artigo no jornal polaco “Gazeta Wyborcza”, no qual considerou um erro o pacto Ribbentrop-Molotov, assinado entre a Alemanha nazi e a União Soviética a 23 de Agosto de 1939, que tinha uma cláusula secreta ao abrigo da qual as tropas de Estaline ocuparam a zona oriental da Polónia.

“Sem qualquer dúvida, podemos condenar o pacto Ribbentrop-Molotov assinado em Agosto de 1939”, escreveu Putin. Foi um gesto pacificador num momento em que a polémica sobre as leituras contraditórias das causas da II Guerra Mundial voltou a reacender-se entre a Rússia e vários países do Leste europeu, entre os quais a Polónia. Em Moscou, onde o ensino da História está agora submetido aos interesses do Estado, a Polónia é acusada de ter colaborado com os nazis e de ter precipitado a guerra, ao recusar a protecção conjunta da França, da Grã-Bretanha e da URSS. Na Polónia, a II Guerra Mundial só terminou em 1989, quando o movimento desencadeado pelo Solidariedade a partir da cidade de Gdansk levou ao fim do regime comunista na Polónia. Para os polacos, esse é o momento em que recuperaram a liberdade e a sua independência.

A mensagem de Putin – que aborda também o massacre de 22 mil oficiais polacos pela polícia secreta soviética em Katyin, em 1940 – visa responder a um pedido de desculpas pelo pacto germano-soviético há muito exigido por Varsóvia. Embora declarando a intenção de combater as revisões da história, Putin não deixa, no documento, de justificar os argumentos revisionistas, quando se refere ao tratado de Munique. “Um ano antes, a França e a Grã-Bretanha não assinaram em Munique um famoso tratado com Hitler, arruinando todas as esperanças de formar uma frente comum contra o fascismo?”, escreve Putin, referindo-se a essa aliança que continuou a ser negociada até ao Verão de 1939, mas que esbarrou na recusa dos polacos e dos Estados bálticos de serem protegidos de Hitler pelas tropas soviéticas.

A mesma ambiguidade rodeia a declaração sobre o massacre de Katyin, que os tribunais russos nunca aceitaram julgar. “Devemos lembrar-nos em conjunto das vítimas desse crime”, escreve Putin. Mas recorda ao mesmo tempo o “destino trágico dos soldados russos que foram prisioneiros dos polacos durante a guerra [entre a Polónia e a URSS] de 1920”.

SANTOS PECADORES

O ponto forte da mensagem de Putin é manifestar o desejo de que as diferentes leituras da história não envenenem as relações entre MoscoU e Varsóvia. Putin propõe um “virar da página”: “O nosso dever em relação aos mortos e à história é fazer tudo para que as relações russo-polacas se libertem do peso de desconfiança e de parcialidade que nos deixaram como herança”. E acrescenta que esse virar de página permitirá à Rússia e à Polónia “atingir o mesmo nível elevado de colaboração” que existe hoje entre a Rússia e a Alemanha.

O virar da página também é desejado do lado polaco. Interrogado ontem num encontro em Gdansk sobre a carta de Putin, Lech Walesa, o líder histórico do Solidariedade e antigo Presidente da Polónia, também sublinhou a necessidade de ultrapassar as divergências da história. “Sou um católico praticante. Quantos pecadores não se tornaram santos?”, respondeu Walesa, defendendo que russos e polacos estão obrigados a ser bons vizinhos. “Deus fez-nos vizinhos e estamos obrigados a entender-nos”. Sublinhando esse desejo de aproximação, disse existirem dois Putins: “Há um Putin bom que quer reformar o seu país e outro que é esse homem do KGB. Qual dos dois vamos apoiar?”.

Walesa é história viva e é uma figura venerada pelo seu papel na queda do regime comunista, mas há muito que deixou de ser uma personagem relevante no xadrez político polaco. Mas as suas palavras são o sintoma de um clima de menor desconfiança em relação ao vizinho russo. A eurodeputada Rosa Thun, durante anos uma activista contra o regime comunista, sublinhou, em declarações ao PÚBLICO, esse desejo de não deixar que a história interfira no presente. “É muito bom que Putin venha. Será bem recebido. Não devemos usar a história como um instrumento para nos agredirmos uns aos outros. A Rússia trata a Polónia de forma muito séria, sobretudo enquanto membro da União Europeia. Haverá muitas controvérsias, mas as relações estão a tornar-se mais intensas e a melhorar, mesmo continuando a existir capítulos difíceis”.

REVISIONISMO RECUSADO

Apesar das tendências apaziguadoras, as revisões da história são muito mal recebidas na Polónia. “O que está a acontecer é surpreendente e assustador”, comenta o historiador polaco Jan Rydel, da Universidade de Cracóvia, num encontro com jornalistas. “Mas não nos podemos esquecer que apenas os historiadores de segunda linha estão envolvidos nessa releitura”.

Quando discursarem hoje em Gdansk, Angela Merkel e Vladimir Putin deverão exprimir este ambiente de boa vizinhança entre os inimigos de ontem – uma novidade no caso russo – mesmo que as diferentes leituras da história continuem a sublinhar as fracturas do passado.

set
01
Posted on 01-09-2009
Filed Under (Newsletter) by vitor on 01-09-2009

Direito: perda precoce
direito
===============================================

Internado desde sábado passado no Hospital Bom Samaritano, no Rio de Janeiro, morreu na madrugada desta terça-feira (01/09) o ministro do Supremo Tribunal Federal Carlos Alberto Menezes Direito, aos 66 anos (completaria 67 na próxima semana), vítima de um câncer no pâncreas.A notícia, confirmada pela direção do hospital carioca, foi dada em primeira mão pela rádio Band News com informação passada do Rio pelo jornalista Ricardo Boechat, amigo pessoal de Direito há muitos anos,logo em seguida ao falecimento do ministro do STF indicado há dois anos pelo presidente Lula.

Carlos Alberto menezes Direito, casado, tres filhos er netos, estava de licença-médica há quase quatro meses. Segundo o site oficial do STF, o velório acontecerá no antigo prédio do Supremo Tribunal Federal, no Rio, atual Centro Cultural da Justiça Federal. Ele estava afastado das funções para tratamento médico desde maio deste ano.

Segundo perfil publicado pelo portal terra, depois de 11 anos como ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Direito foi escolhido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a vaga aberta pela aposentadoria do ministro Sepúlveda Pertence. Desde maio de 2008, Menezes Direito também era ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral.

Entre os casos marcantes relatados pelo ministro Menezes Direito encontra-se a manutenção da prisão preventiva do banqueiro Salvatore Cacciola, que recorreu ao Supremo para revogar a prisão preventiva. Seguindo o voto do ministro Menezes Direito, o Plenário negou o pedido e manteve a custódia do banqueiro. Direito também teve ação destacada na questão da transposição do Rio São Francisco.

Nascido em 8 de novembro de 1942, em Belém (PA), o ministro formou-se bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro, em 1965. Alcançou o título de doutorado em 1968. Atuou como ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) por onze anos, depois de passar pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, como desembargador, entre 1988 e 1996.

Ainda segundo o perfil produdo por Terra, Carlos Alberto Direito advogou no Rio de Janeiro, onde também ocupou diversos cargos públicos. Foi chefe de gabinete na Prefeitura, membro do Conselho da Sociedade Civil mantenedora da PUC-RJ, presidente da Fundação de Artes do Rio de Janeiro e membro do Conselho Estadual de Cultura do Estado. Entre as atividades exercidas, foi, ainda, presidente da Casa da Moeda do Brasil, secretário de Estado de Educação e presidente do Conselho Nacional de Direito Autoral, além de professor titular do Departamento de Ciências Jurídicas da PUC-RJ.

(Postado por Vitor Hugo Soares)

set
01
Posted on 01-09-2009
Filed Under (Multimídia) by vitor on 01-09-2009


=================================================


=====================================================
A música para começar setembro no Bahia em Pauta precisava mesmo ser algo muito especial. Para não correr risco de errar garimpamos três monstros sagrados da música americana – Ella Fitzgerald, Frank Sinatra e Bing Crosby – interpretando a mesma e sensacional canção que fala deste mês especial e tão carregado de emoções e sentimentos: “September Song” (Canção de Setembro). O mesmo mês, “Setembro que sempre volta”, a mesma canção, mas quantas nuances na voz e na expressividade da interpretação de cada um desses intérpretes maravilhosos e imortais .Confira.
E feliz setembro para todos na companhia do Bahia em Pauta
(Vitor Hugo Soares )

  • Arquivos

  • setembro 2009
    S T Q Q S S D
    « ago   out »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    282930