ago
31
Postado em 31-08-2009
Arquivado em (Artigos, Janio) por vitor em 31-08-2009 13:48

Belchior: calção mais curto que o de M. Sergio?
msergio

====================================================

CRÕNICA/DESAPARECIDO

Carta de Paulo Afonso

Janio Ferreira Soares

Vitor, meu velho, agora que acabou o mistério sobre o paradeiro de Belchior, tava aqui conversando com o meu tio Lindemar (82 anos de sertão e de América do Sul) sobre o que pode ter levado o nosso ex-famoso compositor popular a se escafeder por aí e viver, como naquela canção de Gonzaguinha, com a perna no mundo.

Teria sido orientação do mesmo marqueteiro que mandou Dilma Roussef sumir por uns tempos para poder voltar por cima? Vergonha dos companheiros Mercadante e Sarney, fiéis seguidores da tradição de ostentar fartos pelos faciais no breve espaço compreendido entre o nariz e o lábio superior? Medo de embarcar em algum avião por conta dos últimos acidentes aéreos e, na poltrona do lado, não encontrar nenhuma mão disposta a segurar a sua? Ou será que o principal motivo é a velha falta de dinheiro no banco e de parentes importantes (o caseiro Francenildo que o diga), que lhe acompanha desde o tempo em que ele era apenas um rapaz latino-americano egresso de Sobral?

Segundo Franciel Cruz, jornalista, rubro-negro e proprietário dos Blogs Ingresia e Victoria Quae Sera Tamen, essa onda toda o pegou de calção mais curto do que aquele que Mário Sérgio usava nos tempos em que executava uma saraivada de elásticos em cima de Ubaldo e Sapatão. Indagado por uma menina sobre o que achava desse desaparecimento, nem pestanejou: “ué, e ele ainda está vivo?”

Outro que ficou meio perdido sobre esse assunto foi o menino Claudio Leal. Logo depois da primeira reportagem do Fantástico, ao chegar a redação do Terra Magazine e verificar que muitos comentavam sobre o fato, ele passou um bom tempo sem entender absolutamente nada. Aos poucos foi que o bardo itapagipano percebeu que estavam falando do desaparecimento de um tal de Belchior. É que a sua seletiva memória não está acostumada a guardar bigodes que não lhe interessa, muito embora ele ainda tenha terríveis pesadelos com o delegado Magalhães lhe perseguindo pelas ruas da Ribeira. A propósito, os únicos buços que ele recomenda são os do Coronel Chabert e Balzac, que inclusive dividiram com ele um lugar na arquibancada do Pacaembu durante um jogo do Vitória contra o Corinthians. Danado, esse Claudio.

No mais, é esperar que alguns artistas em atividade sigam o exemplo do cearense e sumam. De preferência, definitivamente. A lista é grande. Abração.

Janio Ferreira Soares, cronista , é secretário de Cultura e Turismo de Paulo Afonso, no Vale do São Francisco

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos