jul
16
Postado em 16-07-2009
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 16-07-2009 13:25

Os parlamentares integrantes da Bancada do PMDB na Assembléia Legislativa produziram moção de pesar pelo falecimento do ex-deputado federal constituinte e ex-presidente do SINDIPETRO- Sindicato dos Petroleiros da Bahia, Mario Lima, ocorrido em Salvador no dia 10 de julho passado. Pela justiça do tributo político e os méritos do homenageado, Bahia em pauta reproduz na íntegra:

MOÇÃO

“A Bancada do PMDB na Assembléia Legislativa vem, após deliberação da Mesa Diretora, manifestar VOTOS DE PROFUNDO PESAR pelo falecimento do ex-deputado federal constituinte e ex-presidente do Sindicato dos Petroleiros da Bahia MÁRIO LIMA, ocorrido nesta capital no dia 10 de julho do corrente ano.

Nascido na cidade de Glória, no Vale do São Francisco, morreu aos 74 anos, um dos mais respeitados combatentes do Regime Militar instalado no país no início dos anos 60. Fundador do Sindicato dos Petroleiros da Bahia, entidade na qual militou por quase cinqüenta anos, Mário Lima foi um combativo líder sindical da Bahia e um dos mais importantes líderes operários do país, na fase que antecedeu o fortalecimento do movimento sindical dos metalúrgicos do ABC, em São Paulo, do qual surgiria Lula, atual presidente da República.

Durante sua atuação à frente do Sindipetro, Mário Lima teve uma atuação nacional destacada. Não media fronteiras para reivindicar os pleitos daquela categoria ainda incipiente. Teve boa convivência com os ex-presidentes Juscelino Kubitschek e João Goulart. Grandes conquistas dos petroleiros naquele período tiveram Mário Lima como protagonista.

Após o golpe militar de 64, Mário foi preso e encaminhado ao Quartel dos Aflitos. Mais tarde foi transferido para a Ilha de Fernando de Noronha, onde conviveu com os governadores de Pernambuco, Miguel Arraes e de Sergipe, Seixas Dórea. Com a anistia, em 1979, ingressou no PMDB e retornou à Câmara Federal assumindo a vaga do então deputado Carlos Sant’Anna, que foi escolhido por Tancredo Neves para o Ministério da Educação. Em 1986 foi reeleito deputado federal e participou da Constituinte.

Sua última participação em disputa política aconteceu em 2004, quando foi candidato a vice-prefeito de Salvador, pelo PMDB, na chapa encabeçada por Lídice da Mata (PSB).

O nosso partido muito se orgulha de ter tido a filiação de Mário Lima, por quase trinta anos. Amigo fiel e solidário, correligionário para qualquer empreitada, deixa em nossa agremiação muita saudade e uma grande lacuna, dado o seu companheirismo e desejo de ver o nosso país respeitando e tratando os trabalhadores com dignidade.

Mário deixa uma maravilhosa família de dez filhos, netos e bisnetos. Além dos familiares, muitos companheiros que o admiravam. São políticos, jornalistas, líderes sindicais, petroleiros e petroquímicos, que ele liderou e a quem serviu em três mandatos de presidente do sindicato e três mandatos de deputado, e seu dedicado e importante trabalho como presidente da Comissão de Direitos Sociais da Constituinte.

Fica então esse importante breve registro dessa história de vida pública e familiar de um cidadão de bem e que deu tudo de si para ver florescer um país livre, democrático e que respeita os trabalhadores.

Dê ciência desta Moção ao Instituto Ulisses Guimarães, aos Diretórios Nacional e Estadual do PMDB, ao Congresso Nacional, à Presidência da República e a família enlutada”.

Sala das Sessões, 14 de julho de 2009.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos