jul
07
Postado em 07-07-2009
Arquivado em (Entrevistas, Newsletter) por vitor em 07-07-2009 12:33

Protógenes: bons fluidos do 2 de Julho na Bahia
proqueiroz2
===============================================
Na edição desta terça-feira,7/7 do jornal A TARDE, a repórter da editoria de Polítida, Patrícia França, assina texto em que assinala a vibração, ontem, do delegado baiano da Polícia Federal, Protógenes Queiróz, com a decisão do Procurador da República Rodrigo de Grandis de apresentar denúncia-crime contra o banqueiro(também baiano) Daniel Dantas e mais 13 pessoas. Protógenes conduziu a Operação Satiagraha, da PF, que levou por duas vezes à prisão o controlador do Grupo Oportunity.

“Foi a confirmação do trabalho que fiz na primeira fase, quando detectei crime de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisa e formação de quadrilha”, declarou a A TARDE o delegado, ao explicar o principal motivo de seu contentamento pessoal e profissional. Tem um motivo a mais: amanhã, quarta-feira, 8, faz exatamente um ano que a Satiagraha foi deflagrada.

Na entrevista à reporter política de A TARDE, Protógenes definiu a denúncia como uma grande vitória para o País. “Não só do ponto de vista legal, mas uma sinalização clara de que no Brasil não há mais espaço para corruptos nem corruptores”. Acrescentou que se sentia especialmente feliz pelo fato de o Ministério Público Federal (MPF) ter endossado o seu pedido de abertura de mais três inquéritos, destinados a investigar outras pessoas, entre os quais o advogado e ex-deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP) e o ex-ministro Roberto Mangabeira Unger, de Assuntos Estratégicos.

A TARDE revela ainda que o delegado chegou a pedir a prisão e o indiciamento de Luiz Eduardo Greenhalgh. Quanto a Mangabeira Unger, diz que serviu ao “esquema criminoso” de Dantas, via elaboração do acordo “Guarda-Chuva”, que, em 1992, previa o uso do dinheiro de fundos de pensão para disputar a exploração de recursos naturais no subsolo brasileiro.

A vinculação da Operação Satiagraha com o esquema do mensalão, comprovada pelo procurador de Grandis, também não surpreendeu o delegado Protógenes Queiroz. Na investigação conduzida por ele, segundo relatou, havia suspeitas de que os negócios de Daniel Dantas estavam associados ao mensalão.

(Postado por: Vitor Hugo Soares)

LEIA ÍNTEGRA DA REPORTAGEM SOBRE O DELEGADO PROTÓGENES NO JORNAL A TARDE.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos