==================================================
O ritmo frenético de Michael Jackson no cenário –cercado por oito bailarinos vestidos que suam para manter seu ritmo- não encaixa na imagem do cantor agonizante ou do enfermo terminal..

“Michael estava muito forte, mental e físicamente”, asegurou seu irmão mais velhor, Jermaine Jackson, ao programa ‘Today Show’ da NBC, direto de Neverland. “Sempre foi um grande bailarino e havia superado todos os testes… Estava perfeitamente pronto”.

Em Neverland, no entanto, os carrões das parabólica instalaram o circo midiático, apesar do funeral que não pode ser no local. Centenas de fãs acamparam na entrada com a vã esperança de render um último tributo ao seu ídolo, que voltou a bailar imaginariamemte na terra do Nunca Mais.

(Texto do jornal espanhol El Mundo, na apresentação do vídeo com o o último ensaio de megaastro do pop, Michael Jackson, vendendo saúde dois dias antes de sua morte.Tradução:Vitor Hugo Soares).

EM TEMPO: A música do último ensaio de Michael Jackson, em Los Angeles, para a temporada que ele iria fazer na Inglaterra, é ironicamente a mesma do video que o rei do pop gravou com o grupo baiano Olodum, no Pelourinho: They Don`t Care about us (Eles não ligam para nós). Confira.
(VHS)

jul
02
Posted on 02-07-2009
Filed Under (Newsletter) by vitor on 02-07-2009

Protógenes no desfile/Xando Pereira Ag. A TARDE
DESFILE DO 2 DOIS DE JULHO 2009
=====================================================
Depois de participar pela primeira vez do desfile cívico do Dois de Julho em Salvador, a cidade onde nasceu, o delegado da Polícia Federal, Protógenes Queiroz, confessou ao site-blog Bahia em Pauta:”Até onde me recordo, este foi o dia mais feliz de minha vida”. O responsável pela emblemática Operação Satiagraha tem motivos de sobra para manifestar este sentimento pessoal. No balanço geral, foi ele, disparadamente, a maior atração e a figura pública mais celebrado de todos os participantes nos atos cívicos e políticos na data magna da Bahia.

Aclamado por todas as ruas por onde passou no defile, saudado do alto das sacadas dos casarões do Centro Histórico, abraçado efusivamente ao caminhar pela popular Baixa dos Sapateiros, recebido com gestos de afeto nos cafés e no restaurante do bairro da Saúde, onde almoçou, Protógenes foi um,a espécie de contraste ambulante com administradores públicos e políticos locais. Estes, recebidos com apupos, desconfianças e até hostilidade, como no caso do prefeito João Henrique.

“É um motivo especial de satisfação para mim, pelo simbolismo dessas manifestações todas de apoio e de acolhimento que recebi em minha terra.Tem significado singular neste momento em que a população parece não acreditar mais nos homens públicos. Época em que o Brasil virou um caso de Polícia” , assinalou o delegado da PF na rápida conversa com editor do Bahia em Pauta, ao falar sobre os atuais escândalos no Senado, envolvendo o presidente da Casa, José Sarney e outros envolvidos no caso.

Para Protógenes Queiroz, este é um caso sem jeito. “Se ficar o bicho pega e se correr o bicho come”, disse o homem que prendeu o banqueiro Daniel Dantas, ao destacar a inexistência de diferenças substanciais em termos éticos, entre José Sarney e praticamente todos os integrantes dos grupos que o apoiam, e aqueles que querem o afastamento ou renúncia do presidente do Senado, a começar pelos tucanos do PSDB.

No fundo, segundo o delegado Protógenes, o que está em jogo e o que esta briga de foice esconde, é o confronto entre os que defendem de verdade o País, e os que o querem entregar as suas riquezas. O conflito, segundo ele, ameaça desaguar e ter o seu ponto máximo de ebulição na chamada CPI da Petrobrás, ainda não instalada.

“Eu estou do lado lado dos que defendem a preservação da estatal brasileira, e acho que posso ajudar muito nessa luta agora, e no futuro”, concluiu o delegado Protógenes em sua conversa com o Bahia em Pauta.

(Postado por: Vitor Hugo Soares, editor)

jul
02

Protógenes: aplausos das ruas
queiroz
================================================
No desfile civico do 2 de Julho, na manhã desta quinta-feira, em Salvador, o baiano mais aplaudido e saudado com euforia pela população nas ruas, não foi nenhum administrador público ou político de qualquer partido do governo, ou integrante da oposição. Quase todas as palmas e incentivos para seguir no combate aos desvios éticos e no combate à corrupção, foram dirigidos ao delegado da Polícia Federal, Protógenes Queiroz, condutor da emblemática Operação Satiagraha, que prendeu o banqueiro Daniel Dantas.

Soteropolitano de nascimento, Protógenes está na cidade desde ontem, onde veio a convite da entidades dos engenheiros da Petrobras, para fazer conferência sobre a realidade nacional e a corrupção, e participar dos festejos cívicos da data magna da Bahia. Perseguido mesmo dentro de sua corporação, de cujas funções investigativas foi afastado pelo atual comando da PF, Protógenes era só sorrisos no desfile ao 2 de Julho, diante dos abraços, saudações e pedidos de entrevistas.

“Parecia pinto no lixo”, diria, coberto de razão, o saudoso Jamelão, se vivo estivesse.

jul
02
Posted on 02-07-2009
Filed Under (Multimídia) by vitor on 02-07-2009


A música para começar o dia é o Hino ao 2 de Julho. Composto por Ladislau dos Santos Titara (com música de José dos Santos Barreto), o hino menciona as principais batalhas que tiveram como protagonistas o povo baiano, além de proclamar a liberdade e a democracia. O argumento fica explícito no trecho: “Nunca mais o despotismo, regerá nossas ações/ com tiranos, não combinam brasileiros corações”. Para ouvir e cantar nesta data, princpalmente pelos baianos, onde quer que eles esteja nesta data cívica.

(Vitor Hugo Soares)

jul
02
Posted on 02-07-2009
Filed Under (Newsletter) by vitor on 02-07-2009

Já aconteceram as primeiras batalhas desta manhã de quinta-feira, em Salvador, no desfile cívico do 2 de Julho. Ao chegar ao Panteão da Lapinha, onde ficam os carros do Cabocla e do Caboclo, para a cerimônia de hasteamento das bandeiras e toque dos hinos , o prefeito João Henrique Carneiro foi vaiado.

E não foi uma vaiazinha qualquer, destas que os administradores e políticos de todos os partidos estão aprendendo a tirar “de letra”

“Foi a maior vaia que o Largo da Lapinha já ouviu em um 2 de Julho”, segundo assinalou um observador de longas datas do festejo histórico.

Ao lado do prefeito, no momento dos apupos ensurdecedores (puxados principalmente por servidores municipais em greve por melhoria salarial e de condições de trabalho) , o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, e o presidente do PMDB, Lucio Vieira Lima, irmão do ministro.

Cada um, é claro, com ar de quem entoava baiaxinho a música da gaúcha Luka: “Tô nem aí!”

Até quando jogaram ovo no prefeito João Henrique, e todo mundo decidiu apressar o passo para a Praça da Sé.

===============================================

O governador Jaques Wagner têm-se saído melhor na manhã deste 2 de Julho. Acompanhado da feérica primeira dama, Fátima Mendonça, do ex-ministro Waldir Pires, e entourage petista, ele pegou o desfile andando, depois das vaias, já na altura da Estrada da Rainha, no desfile da manhã.

Wagner entrou na manifestação cívica discretamente , mais silencioso que mineiro, e parece decidido a seguir assim até o fim. Deixou o destaque para a primeira dama e o ex-ministro Waldir Pires. Este último, só sorrisos e contentamento diante das homenagens recebidas no percurso atrás dos carros do Caboclo e da Cabocla.

Mas o dia só está começando.

(Postado por;Vitor Hugo Soares )

  • Arquivos