jun
30
Postado em 30-06-2009
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 30-06-2009 10:11

Moussa Boina: esperava a mãe no aeroporto/El Mundo
desastre1
=================================================
Uma adolescente de 14 anos anos é, até ao momento, segundo os grupos de buscas e resgates que atuam na área do desastre, o único sobrevivente da queda de um Airbus A310, na madrugrada desta terça-feira (30), no Oceano no Índico, com 153 pessoas a bordo. Autoridades franceses dizem que a companhia iemenita “era muito vigiada”.

“Eu vi como o avião se aproximava e entrei no terminal para buscar a minha mãe , mas aí é que me dei conta de que o avião não havia chegado”. No aeroporto de Moroni, as lágrimas da africana Moussa Boina, que se vão multiplicando à medida que os familiares dos passageiros de Airbus da companhia Yemenia, que caiu nas Ilhas Comoras, tomam conhecimento do acidente, revelam a face mais dolorosa do novo desastre aéreo, acontecido desta vez em águas do Oceano Indico.

“A garota encontrada com vida está em um dos barcos das equipas de salvamento”, disse Bem Imani, cirurgião do hospital El-Maarouf, o principal estabelecimento hospitar da capital das Ilhas Comoras, um destino turístico na Africa. Via telefone, a partir de Moroni, o médico disse estar preparado para “assistir a criança”, assim que esta desembarque. “Temos tudo o que é necessário, uma profusão de equipamentos”, sublinhou o médico, segundo divulgado esta manhã pela agencia AFP.

“O barco tem uma criança a bordo”, confirmou, à AFP, Arfachad Salim, coordenador das operações de socorro da Cruz Vermelha das Ilhas Comoras, por terlefone. Anteriormente, Mohammad al-Soumaïri, diretor-geral adjunto da Yemenia, citando informações obtidas pela companhia junto às equipes de buscas, em Moroni, já havia confirmado a existência de um sobrevivente..

CADÁVERES FLUTUAM – “Três corpos foram recuperados”, acrescentou. “O mar agitado e o vento forte dificultam as operações de busca e de socorro”, acrescentou Mohammad al-Soumaïri. Antes disso, a aviação civil do Iemen dera conta da localização dos corpos de alguns dos 153 passageiros e tripulantes a bordo do avião que caiu no Indico, quando já iniciava operações para aterrisagem no aeroporto de destino.

“Foram avistados cadáveres flutuando na superfície da água e foi localizada uma mancha de combustível a 16 ou 17 milhas (cerca de 29 quilômetros) de Moroni”, afirmou à imprensa um responsável da Aviação Civil, Mohamed Abdel Kader. O avião caiu no mar menos de um mês depois da queda de um A330 da Air France a 01 de junho no Atlântico, quando fazia a rota entre o Brasil e a França. Entre os 142 passageiros, de nacionalidade francesa e comorense, havia três bebês e os 11 tripulantes eram de nacionalidades diferentes, precisou Kader.

A maioria dos passageiros tinha embarcado no avião em trânsito em Sanaa, sendo que 52 vinham de Paris, 59 de Marselha, 11 do Cairo, 12 do Dubai (Emirados Árabes Unidos) e três de Jeddah (Arábia Saudita), um de Amã e um de Damasco, explicou.

“NUMEROSOS DEFEITOS – A companhia proprietaria do Airbus A310 que caiu esta madrugada, no Oceano Índico, era “uma companhia muito vigiada”, disse Dominique Bussereau, secretário de Estado dos Transportes francês. Em declarações à cadeia I-télé, sustentou, ainda, que o avião que caiu com 153 pessoas a bordo, na sua maioria franceses e comorenses, “tinha numerosos defeitos”.

Antes, em declarações à rádio Europe 1, o secretário de Estado dos Transportes francês considerou que o mau tempo poderá ter estado na origem do acidente e anunciou que a França participaria no inquérito. O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Bernard Kouchner, revelou que havia 66 passageiros franceses a bordo e anunciou a participação de apoio aéreo francês nas operações de busca, a pedido do governo das Ilhas Comoras.

A exemplo do acontecido no desastre do Airbus da Air France, que caiu na costa pernambucana dia 1º de junho, foram montadas células de crise no Aeroporto Charles de Gaulle (Paris) e no aeroporto de Marselha, cidade que tem uma grande comunidade comorense e de onde eram residentes muitos passageiros do vôo que terminou tragicamente esta madrugada dentro das águas do Oceano Índico.

(Postado por Vitor Hugo Soares, com informações do Jornal de Notícias, de Portugal, El Mundo, da Espanha e agência de notícia AFP.)

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos