jun
29
Postado em 29-06-2009
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 29-06-2009 23:09

Micheletti: o civil no golpe militar
hondura
====================================================
O Presidente eleito de Honduras, Manuel Zelaya, levado à força para a Costa Rica e deposto por decisão do Parlamento de seu país, disse nesta segunda-feira (29) que Roberto Micheletti se suicidou politicamente ao aceitar substitui-lo.

O jornal Público, de Lisboa, que publica as declarações , assinala que nenhum Estado reconheceu o novo Presidente, enquanto Zelaya soma diversos apoios internacionais por seu retorno imediato à chefia do governo, a começar por Barack Obama, dos Estados Unidos.

“Micheletti, você se suicidou politicamente”, disse Zelaya, afirmando que “não pode haver dois presidentes, porque o povo só elegeu um”. Em declarações ao canal internacional Telesur, minutos antes de partir de São José da Costa Rica para Manágua, Zelaya disse que vai regressar ao seu país para reassumir funções e agradeceu a solidariedade expressa pela comunidade internacional, com especial menção aos Estados Unidos.

“Os Estados Unidos portaram-se muito bem”, comentou Zelaya, reiterando ser falsa a carta de renúncia que lhe foi atribuída no Parlamento hondurenho.

Na entrevista à telesur o presidente deposto pelo golpe militar manifestou também preocupação quanto ao paradeiro da ministra das Relações Exteriores, Patricia Rodas que, segundo diversas fontes, teria sido detida pelos militares. “Esperemos que ela esteja bem”, disse Zelaya..

A Aliança Bolivariana para as Américas (ALBA), que integra Venezuela, Cuba, Nicarágua, Equador e Honduras, entre outros, e o Sistema de Integração Centro-mericana (SICA), convocaram reuniões para a capital da Nicarágua a fim de discutirem a questão hondurenha.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-Moon, pediu que o Presidente do Honduras, Manual Zelaya, seja restabelecido nas suas funções e que os direitos do Homem sejam respeitados totalmente, anunciou hoje o serviço de imprensa daquele organismo.

“O secretário-geral exprime o seu firme apoio às instituições democráticas do país e condena a detenção hoje do Presidente da República”, diz um comunicado da Organização das Nações Unidas (ONU). As Nações Unidas vão reunir-se também nesta terça-feira para debater a situação em Honduras.

TUMULTOS EM TEGUCIGALPA – Em meio a grandes tumultos e choques de rua em Tegucigalpa e outras cidades hondurenhas, o presidente do Congresso, Roberto Micheletti, foi designado pelo Parlamento como novo chefe do Estado das Honduras. O primeiro ato de Micheletti, foi um decreto de recolher obrigatório da popuilação civil de pelo menos 48 horas, enquanto declarava-se pronto a aceitar o regresso voluntário de Manuel Zelaya. Micheletti disse que o Congresso decidirá se prolonga o recolher obrigatório por mais do que os dois dias decretados.

Enquanto isso, o presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, era calorosamente recebido no aeroporto internacional de Manágua pelos Presidentes Daniel Ortega, da Nicarágua, Hugo Chávez, da Venezuela e Rafael Correa, do Equador. Nesta terça ele paerticipa da reunião urgente convocada pela ALBA (Alternativa Bolivariana para as Américas) com o objectivo de exigir a restituição do poder a Zelaya.

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos