jun
21

E a música para terminar com alegria este domingo(21) celebra o Tri da Seleção no México em 1970 e, ao mesmo tempo, festeja os 3 a 0 do Brasil neste domingo de 2009 – data também pára não esquecer -, que mandou os italianos de volta mais cedo para casa, desclassificados da Copa das Confederações, na Africa do Sul. Deixe as más lembranças de lado, pelo menos hoje, e cante à vontade com “Os Incriveis”:”Pra frente, Brasil”.

(Postado por: Vitor Hugo Soares)

jun
21
Posted on 21-06-2009
Filed Under (Newsletter) by vitor on 21-06-2009

Goleada: “ridícula Itália”/ El Mundo
italia

Choro e ranger de dentes na Italia (ironia no resto da Europa e no mundo), neste domingo(21) para não esquecer, em que a seleção brasileira bateu por 3 a 0 os atuais campeões do mundo e mandou os italianos mais cedo de volta para casa, desclassificados da Copa das Confederações que está sendo disputada na Africa do Sul.

Nas edições on-line dos principais diários italianos as primeiras e emocionadas reações revelam que a imprensa da Itália não engoliu a derrota de 3 a 0 , acompanhada da desclassificação do país da Copa das Confederações. Os principais jornais esportivos da Itália não pouparam o time de críticas.

“Itália no chão”, diz a manchete do diário La Gazzetta dello Sport, acrescentando que a Seleção Brasileira aplicou “um golpe duríssimo” na Azzurra.” Ciclone brasileiro sobre a Itália. Estamos fora” , lamenta o Corriere dello Sport.

A goleada brasileira sobre os atuais campeões mundiais também foi destaque na imprensa de outros países. Na Espanha, o Marca ironizou a atuação da seleção europeia.” A sorte se cansa de ir com a Itália”, afirma o jornal, fazendo referência aos antecedentes da Azurra ou pelo menos à fama seleção italiana. “Brasil goleia e manda para casa uma triste Itália”, critica o As.

Já na Argentina, o tom foi de elogios à atuação do Brasil. Até o jornal Olé, que sempre que possível debocha dos brasileiros, se rendeu desta vez:”Tiraram eles para dançar”, escreve a sempre mordaz publicação argentina, desta vez exaltando o baile dos brasileiros nos atuais campeões do mundo, na Africa do Sul.

Nada mal para um único domingo.

(Postado por Vitor Hugo Soares)

.

jun
21
Posted on 21-06-2009
Filed Under (Artigos, Multimídia) by vitor on 21-06-2009

==============================================
CRÔNICA DA MEMÓRIA

De goleada

Gilson Nogueira

Está no site da Tribuna da Bahia:“Há exatos 39 anos, o Brasil de Félix, Carlos Alberto, Brito, Wilson Piazza e Everaldo; Clodoaldo e Gérson; Jairzinho, Tostão, Pelé e Rivellino vencia a Itália pelo placar de 4 a 1, no Estádio Azteca, no México, no dia 21 de junho de 1970.”

Era a conquista do Tri. O Brasil saia às ruas para comemorar o terceiro maior feito seu no futebol mundial. A pátria de chuteiras, como classificou a Seleção o saudoso cronista e dramaturgo Nélson Rodrigues, parecia um jardim zoológico, tamanha a quantidade de feras envergando sua camisa, em campo, naquele ano inesquecível.

Cantinflas, nome artístico de Fortino Mario Alfonso Moreno Reyes, ator e humorista de sucesso, nascido na Cidade do México, capital daquele país amigo, em 12 de agosto de 1911, e morto, em 20 de abril de 1993, foi um dos mariachis que vibraram com a extraordinária vitória brasileira.

E aí, por que Cantinflas, neste início de texto? Tudo, – lembrei, agora, que, no ínício de minha carreira de jornalista profissional, como repórter esportivo da Rádio Cultura da Bahia, de onde me transferi, pouco tempo depois, para a TB,- por conta de meu bigodinho mexicano.

Alguns amigos achavam que eu parecia o grande Cantinflas, de infância marcada pela pobreza,o que o levou a trabalhar muito, primeiro, como engraxate, depois, na sequência, como aprendiz de toureiro, motorista de táxi e pugilista, até que, aos 20 anos, como empregado de um teatro popular, foi convidado para substituir o apresentador que adoecera e, daí em diante, ao abusar do improviso, trocando e invertendo frases, conquistou o público hispânico. Era um improviso que fazia rir, bem diferente do improviso que faz chorar, pela TV, se é que me faço entendido.

Ah, a Seleção, que tive a feliz oportunidade de cobrir um dos seus treinos preparativos para a Copa do Mundo que se avizinhava! Lembro-me bem do belo dia, na antiga – e inesquecível – Fonte Nova. As feras de João Saldanha preparando-se, em dois toques, para o grande salto que daria no Planeta Bola. Os canarinhos iriam enfrentar, no domingo, o Esquadrão de Aço, ou seja, o Bahia, aquele que me fazia torcer e ser feliz, mais que o Bahia de hoje, que me faz amargar depressão de não querer ver a luz do sol por semanas.

Meu coração bateu mais forte, naquele treino, ao entrevistar, para a Resenha do Meio Dia, capitaneada por França Teixeira – o homem que dividiu, por sua inventividade, no programa, e valorização dos profissionais que atuavam em rádio, naquela época, as águas da radiofonia baiana, ao lado de sua Equipe Quente, constituida por gente bastante talentosa, que ,até hoje, brilha no jornalismo -Jairzinho, Edu, Pelé e Tostão, os autores dos gols da vitória da Seleção sobre o Bahia, por 4 a 0. Quis o destino que assim fosse. Fiz a gravação dos goleadores da partida, na véspera do jogo. A fita, cassete, em total desuso, na atualidade, é uma das recordações materiais de meus tempos de repórter esportivo. De vez em quando, tiro-lhe a poeira e a ouço. E fico a imaginar, como era bom aquele tempo, como era bom. De goleada!

Gilson Nogueira é jornalista

jun
21

Coronel Jorge Santana/Imagem Correio da Bahia
coronel

Deu no jornal
===================================================
Em sua edição deste domingo (21) o jornal Correio da Bahia vai fundo no caso do escândalo que há meses mexe com as estruturas de uma das mais tradicionais corporações baianas: a Polícia Militar do Estado da Bahia. A matéria com a manchete de capa “Perdeu, Coronel!” trata do assunto a partir da denominada Operação Nemesis, que prendeu o ex-comandanta da PM, Coronel Jorge Santana e mais vários oficiais, servidores administrativos e empresários acusados de envolvimento em práticas de atividades ilícitas e de variadas tipificações criminosas.

A reportagem, assinada pelo repórter Marcelo Brandão, revela entre outras coisas, através de informações obtidas com a quebra de sigilo bancário autorizado judicialmente pela Receita Federal, que o oficial movimentou valores oito vezes maiores que o seu rendimento anual como coronel, que foi de R$ 150 mil.

O Correio revela que em três anos (2004, 2005 e 2006), o coronel Jorge Santana “sempre operou com valores acima de R$ 1 milhão por ano, enquanto a renda como oficial da PM baiana girava entre R$ 150 e R$ 160 mil anualmente”. Mostra ainda o jornal que sem ter como comprovar a origem ilícita do dinheiro, os altos valores não eram declarados por Santana junto à Receita Federal. Para o inquérito policial, os valores eram fruto da propina paga ao coronel Santana pelo esquema de superfaturamento nas contas da PM.

A reportagem revela ainda que no escrtório do empresário Gracilio Junqueira, apontado como principal articulador da quadrilha, a polícia encontrou no cumprimento de um mandato de busca e apreensão, anotações com descrição de pagamento ao coronel Santana e guias de depósitos feitos na conta do oficial , na agência Bradesco Prime, no bairro da Graça.

(Postado por Vitor Hugo Soares)

LEIA INTEGRA DA REPORTAGEM “PERDEU,CORONEL”, NO CORREIO DA BAHIA.

jun
21
Posted on 21-06-2009
Filed Under (Artigos, Laura) by Laura on 21-06-2009

inverno

Só existe uma época no ano onde todos os mantôs e as golas altas quentinhas estão permitidas, só nesta época um chocolate quente, bem quente, faz todo sentido do mundo, namorar é mais gostoso, a proximidade, o abraço, o beijo, além de amor nos trazem um bem-vindo calor.

É a época de andar de meia em casa; procurar no fundo do baú aquele agasalho quentinho – velho e por isso mesmo tão confortável – que nos permite grande relax, prazer e recordações; assistir um filminho no sofá coberto por uma colcha quentinha; ou se preferir, ir a uma livraria sentar no café e se deliciar com todos os livros que você quer ler, depois escolher um ou dois para curtir em casa com uma xícara de chá ou chocolate, doce deleite.

O cenário cinzento, a baixa temperatura, o vento gélido, a transformação da paisagem que nos espreita através das vidraças dos bares, restaurantes e residências, à primeira vista, pode suscitar melancolia, um segundo olhar nos transporta para um mundo misterioso, sóbrio. Aceite o convite de tranquilidade e quietude que o inverno faz e aconchegue-se em si mesmo, a vida tem nuances muito especiais que na correria não percebemos.

Compartilhe o clima intimista desta estação com amigos em um café aconchegante, ou prepare você mesmo um chá da tarde, aos moldes ingleses, com todas aquelas delícias que alimentam os sentidos, enquanto vocês colocam a conversa e a amizade em dia, saboreiem cockies, biscoitos de aveia com passas, croissant, tortas, bagels; esqueçam a silhueta, deixem à alma leve, a época de sofrer e fazer dieta é outra este é momento do prazer.

Mulheres, fiquem lindas, não existe estação mais favorável ao charme e a elegância; cardigãs trenchcoats, sobretudos, parcas todas as modalidades de casacos femininos estão permitidos. Cachecóis, echarpes e lenços coloridos vão trazer alegria ao seu “look”, botas de salto alto ou curto deixam qualquer mulher mais sensual. Use maquiagem, o glamour será muito bem-vindo.

Se você mora em uma cidade do Brasil onde as temperaturas caem, acredite isto é um privilégio. Milhares de nordestinos e nortistas só conhecem o inverno pela televisão, não perca a oportunidade de curti-lo. Permita-se um olhar mais atento e descubra todo mistério, charme e encanto desta estação. Alguém já disse que a felicidade é a soma das pequenas felicidades, só depende de você aquecer sua alma na estação mais fria do ano. O inverno 2009 começa hoje. Não perca a chance!

Por Laura Tonhá
* Este texto foi originalmente escrito para a revista Deusas publicação de junho/2009.

jun
21
Posted on 21-06-2009
Filed Under (Multimídia) by vitor on 21-06-2009


Chega a nova estação na madrugada deste domingo, 21 de junho. Um tempo em geral associado à nostalgia, como a própria canção “Inverno”, da gaúcha Adriana Calcanhoto, que fala do “inverno quase glacial do Leblon” . Neste vídeo acústico, recolhido no you tube, Adriana interpreta “perfeita, como sempre”, como assinala um comentarista, a música escolhida pelo Bahia em Pauta para receber o inverno de 2009.

(Vitor Hugo Soares)

  • Arquivos