jun
17
Postado em 17-06-2009
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 17-06-2009 22:58

Grazzi Brito

JUAZEIRO – Com a proximidade dos festejos juninos é comum, no interior, algumas famílias comprarem fogos de artifícios para revender em casa, uma situação bastante perigosa como foi comprovada, ontem (16), em Juazeiro, na margem baiana do Rio São Francisco.

Joana Gonçalves da Silva, uma senhora com mais de 60 anos, já há alguns anos revendia fogos de artifício em sua residência localizada no bairro Castelo Branco. D. Joaninha, como é conhecida, era referência para as crianças do bairro que buscam por traques, bombas, chuvinhas, etc. Uma atividade que parece ingênua, que mantêm a cultura e a tradição das festas juninas, mas que se transformou em um pesadelo para D. Joana e toda a vizinhança.

A aposentada que mora só, já se recolhia para dormir quando o incêndio começou, e logo se alastrou pela casa inteira. Ela acuada, com o fogo na sala de entrada, foi para o quintal da casa de onde foi retirada por vizinhos com a ajuda de uma escada. Foram longos minutos de pavor e medo, principalmente pela rapidez com que o fogo se espalhou e pela demora do corpo de bombeiros que, segundo a vizinhança, foi acionado assim que começaram os ‘pipocos’ dos fogos, chegando ao local bem depois, quando a moradora já havia sido retirada pelos vizinhos de forma bastante arriscada. Foram necessárias duas horas para conter as chamas que felizmente não atingiram as casas vizinhas.

O secretário municipal, Flávio Luiz Ribeiro, da SEIHASP (Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos), responsável pela fiscalização de vendas de fogos de artifício, diz que a polícia técnica ainda está investigando se foram realmente os fogos de artifício que deram início ou apenas ampliaram o incêndio.

Grazzi Brito, jornalista, mora em Juazeiro (BA)

Be Sociable, Share!

Comentários

luiz Lopes on 18 junho, 2009 at 1:07 #

boa reportagem e foi muito feliza jornalista em lembrar que d. joaninha a anos é referencia da criançada. se é perigoso ou não a venda de forgos, ou de quem é a culpa do incendio não sei, mas gostei da reportagem, do modo como foi escrita e sobre tudo da lembrança da tradição de d. joaninha, que poderia receber orientações dos bombeiros e autoriddes competentes e continuar sua tradiocional venda de fogos com segurança


elli cardoso on 18 junho, 2009 at 1:13 #

não queremos clero, fazer apologia a algo, cladestino, como a venda de fogos a qual se refere a otima reportagem da jornalilista Grazzi, contudo, gostariamos que D. Joaninha procurarasse as autoridades competentes, legalizasse seu negócio e continuasse vendendo dus fogos após recuperaão de sua casa, afinal é como diz a reporte uma referencia da criançada aqui de juazeiro principalmente do bairro castelo branco.


VAL RUBENS on 3 julho, 2009 at 22:46 #

Aqui em Salvador muitas famílias revedem fogos e, de fato, ajudam a manter a tradição das Fetas Juninas. Aqui, nunca ouvi falar de alguma casa que sofreu incendio por causa dos fogos, devido aos cuidados tomados por quem o faz.
Quanto às causas do incêndio na casa dessa senhora, acho que pode ter sido provocado pela queda de alguma caixa de fogos, que por sua vez, com o impacto, pode ter explodido e iniciado o incêndio.
Já vendí fogos em casa e já ví cair da banca uma caixa de traques chilenos que explodiram e pegaram fogo. Incrível!!! Mas foi verdade!!! Por sorte, eu estava próximo e evitei o pior.
Quem vende fogos sabe que deve-se ter o máximo de cuidado!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos