jun
14
Postado em 14-06-2009
Arquivado em (Newsletter) por vitor em 14-06-2009 20:12

Container leva corpos/DN
corpos2
===============================================
Reportagem do jornal português Diário de Notícias, publicada na edição on-line deste domingo (14), afirma que a tese da explosão, sugerida por alguns especialistas como causa  do desastre com o Airbus da Air France, que fazia a rota Rio-Paris com 228 pessoas a bordo, está cada vez mais descartada.

Segundo o DN, a análise preliminar dos destroços do voo 447 reforça a tese de que não houve incêndio e que o avião despencou subitamente no oceano Atlântico, no dia primeiro de junho. O acidente completa duas semana neste domingo, com mais de uma centena e meia de pessoas ainda desaparecidas mar e inúmeras dúvidas sobre as causas do desastre no ar.

As autoridades brasileiras confirmaram que não há marcas de fogo nos 37 pedaços do Airbus da companhia Air France. Um técnico francês já começou a perícia. A imprensa brasileira publicou ontem imagens dos restos do avião. Ari Germano, autor de um livro sobre acidentes de aviação, confessou ao Globo que ficou surpreendido com o que viu.

“Vi a parede que separa a zona onde a tripulação prepara as refeições da cabine dos passageiros,” começou. “As cadeiras ainda estavam dobradas. Noutras, há cintos de segurança soltos. Eles não tiveram tempo de fazer nada.”

SENSORES DE VELOCIDADE

O construtor dos aviões Airbus recomendou, neste domingo, “prudência” na adoção de teses que apontam as falhas nos sensores de velocidade como principal causa do acidente. Louis Gallois, presidente-executivo da EADS, casa-mãe do construtor Airbus, disse que “foi a convergência de diferentes causas que permitiu um tal acidente”. Louis Gallois declarou: “Ninguém sabe se os tubos de Pitot (sondas que permitem medir a velocidade a que uma aeronave voa)  tiveram algum papel no acidente.”

A Air France, como o BEA (Gabinete de Inquéritos e Análises, entidade francesa responsável pelo inquérito do acidente), também recusa fazer uma ligação entre o acidente e os tubos de Pitot. A companhia acelerou o processo de substituição destas sondas nos Airbus A330 e A340, cumprindo uma recomendação do fabricante. A substituição aconteceu sob pressão dos pilotos da companhia, e depois de uma série de incidentes acontecidos em 2008, que estão relacionados com anomalias nestes instrumentos.

A reportagem do DN assinala, ainda, que enquanto esperam que as caixas negras sejam encontradas, os investigadores franceses tiram as primeiras conclusões sobre as características do acidente analisando, no Brasil, os primeiros destroços da aeronave encontrados no mar. Os destroços estão armazenados num hangar no Recife.

Segundo peritos citados pela imprensa brasileira, os destroços parecem indicar que a queda do avião foi súbita e que a aeronave não explodiu durante o voo.

Enquanto isso, um comunicado oficial divulgado hoje informa que foram 43 e não 44 os corpos de passageiros do voo 447 encontrados no Atlântico pelos navios brasileiros. Por seu lado, a frota francesa que participa nas buscas encontrou seis corpos.

Be Sociable, Share!

Comentários

Luis Hipolito @ The Blogger on 14 junho, 2009 at 21:58 #

Tudo bem?

Postei um link pra esse artigo no The Blogger.

Um abraço!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos