maio
20
Posted on 20-05-2009
Filed Under (Artigos) by vitor on 20-05-2009


“Senhor, eu pedi para o sol se esconder um pouquinho/ pedi pra chover, mas chover de mansinho/ Pra ver se nascia uma planta no chão/Senhor, se eu não rezei direito o senhor me perdoe/Mas eu acho que a culpa foi desse pobre que nem sabe fazer oração”. É um pedaço da letra de “Súplica Cearense”, a música que Bahia em Pauta escolhe para mais este dia de chuva, inundações e dificuldades em Salvador e outras cidades do Nordeste.

Uma música antológica, de autoria do baiano Gordurinha, um dos maiores compositores brasileiros em qualquer época, autor de clássicos como “Chiclete com Banana”, “Madalena” e a própria Súplica, gravados por monstros sagrados da MPB, como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Gilberto Gil, Fagner, Dominguinhos, Elba e Zé Ramalho, entre dezenas de outros.

Alguem já escreveu:”Fossem os curiosos tentar advinhar-lhe o físico pelo apelido e Gordurinha seria até hoje mais um enigma na história da música popular brasileira. Magro na juventude, Waldeck Artur de Macêdo, nascido no bairro da Saúde, em Salvador, no dia 10 de agosto de 1922, ganhou seu apelido em 1938, quando já trabalhava na Rádio Sociedade da Bahia”.Irônicamente, na época era magérrimo.

Na imensa lista de composições de sucesso de Gordurinha (alguns não assinados por ele) se incluem “Chiclete com Banana”, “Súplica Cearense”, “Baiano Burro Nasce Morto”, “Baiano Não É Palhaço”, “Orora Analfabeta”, “Mambo da Cantareira” (outro clássico da MPB) e “Vendedor de Caranguejo”, regravado com imenso sucesso por Gil . Um mestre na acepção do termo, com sol ou chuva.

(Vitor Hugo Soares)

maio
20
Posted on 20-05-2009
Filed Under (Artigos) by vitor on 20-05-2009

A borda do caos/Gabriel Ramalho
inund1
============================================================

A chuva intensa e a forte ventania que não dão trégua, em Salvador e dezenas de localidades do Recöncavo baiano, seguem causando graves estragos, também, em praticamente toda região Norte e Nordeste do País. Pelo menos 407 municípios localizados em 13 estados sofrem os efeitos das fortes chuvas e devastadoras enchentes: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Sergipe, Acre, Amazonas e Pará.

De acordo com o mais recente balanço da Secretaria Nacional da Defesa Civil (Sedec), pelo menos 45 pessoas morreram e outras cerca de 400 mil ficaram sem casa ou foram desalojadas por causa das chuvas. E  revela que as mortes foram registadas nos estados do Ceará (15), Maranhão (10), Bahia (7), Alagoas (7), Paraíba (2), Sergipe (2), Pernambuco (1). Santa Catarina, no sul do Brasil, também registra uma morte. Os dados já estão em manchetes de edições on-line de jornais europeus, a exemplo do Expresso de Lisboa, Portugal.

Salvador, a terceira maior cidade do país voltou a viver,  desde o início da tarde desta quarta-feira (20), mais um dia de caos, alagamentos e tensão diante dos riscos de desabamentos nas áreas de encostas e subúrbio, onde vive a população mais pobre, mais desprovida de serviços e de infra-estrutura e mais distante dos olhos e das atenções dos poderes públicos. Para culminar, os motoristas de onibus paralisaram suas atividades reivindicando salários, tornando o pandemonio ainda mais infernal, na hora do retorno do trabalho.

As chuvas continuam, também, em praticamente toda região nordestina e tendem a elevar o número de cidades em situação de emergência. Em toda a região, a ligação à Internet tem sido constantemente interrompida, relata o Expresso, de Portugal. No Ceará, a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT-Partido dos Trabalhadores), alegou que a situação da malha viária e dos desabrigados do interior, que começam a chegar em busca de auxílio, justificam o “estado de emergência”. A previsão de chuva acima da média histórica até Julho, divulgada pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), contribuiu na decisão que deverá ser formalizada até sexta-feira.

Até o momento, 42 cidades do Ceará decretaram situação de emergência, segundo informou à agência de notícias Lusa, o coronel Sérgio Gomes, do Corpo de Bombeiros do estado. São 291 964 pessoas afetadas de alguma forma pelos desastres naturais. O problema é que a chuva continua e isso nos preocupa”, disse Gomes. No Maranhão, 95 dos 217 municípios do estado estão em situação de emergência, informou o major Abner Ferreira.

Só resta, mais uma vez, para quem tem fé, o apelo da canção de Gilberto Gil. Oh Senhora do “Perpétuo, Socorrei!”

(por Vitor Hugo Soares)

maio
20
Posted on 20-05-2009
Filed Under (Artigos) by vitor on 20-05-2009

Gabrielli: “vamos responder”
sergio
=================================================
Antecipando uma das estratégias que o governo e seus aliados no Congresso deverão adotar, em depoimento no Senado e nos trabalhos na CPI da Petrobras , o presidente da estatal brasileira de petróleo, José Sergio Gabrielli afirmou, ontem (19), na China, que a empresa vai responder às questões levantadas pelo PSDB”. A citação específica aos tucanos, neste caso, não parece mera coincidência”

Na entrevista coletiva, com a presença de muitos jornalistas estrangeiros, o baiano Gabrielli, deixou claro que eventuais acusações na CPI “preocupam a gestão, preocupam os acionistas, a sociedade”. Mas fez questão de não ficar nas cordas, e não perdeu a oportunidade de endereçar golpes diretos no plexo dos tucanos: “Vamos responder as questões levantadas pelo PSDB no Senado com transparência e tratar denúncias genéricas como genéricas”, disse o presidente da Petrobras , em Pequim.

Sergio Gabrielli negou, na entrevista, que as acusações e o pedido de CPI tenham prejudicado a negociação com os chineses. A Petrobras anunciou a obtenção de um empréstimo de US$ 10 bilhões, pelo Banco de Desenvolvimento da China e um acordo de venda de 200 mil barris de petróleo, por dez anos,  à estatal chinesa Sinopec, informa a Folhapress.

As cartas, como se vê, começam a ser jogadas na mesa. E olha que a CPI ainda nem começou.

(Vitor Hugo Soares)

maio
20
Posted on 20-05-2009
Filed Under (Artigos) by vitor on 20-05-2009


E nesta hora de tragédia do povo maranhense com as chuvas que não param há semanas, o Bahia em Pauta vai buscar nesta madrugada de maio, dois dos maiores artistas do estado nordestino – o compositor João do Vale e a cantora Alcione – como alento e bálsamo para a sua gente. Os dois estão reunidos no vídeo que mostra as belezas do Maranhão, seu povo e sua cultura, que haverão de resistir à catástrofe de natureza e de seus governantes. A voz única de Alcione na música imortal de João do Vale.
(Vitor Hugo Soares)

maio
20
Posted on 20-05-2009
Filed Under (Artigos) by vitor on 20-05-2009

Trizidela: tragédia das águas/NYT
maranhao
======================================================

ROSANE SANTANA

BOSTON (EUA) – A edição on line do The New York Times destacou, nesta terça-feira (19.05) a noite, o drama dos moradores da cidade de Trizidela do Vale, no Maranhão, onde as chuvas provocaram uma enchente no rio local, desabrigarando, segundo o jornal, 11 mil de um total de 18 mil e 400 habitantes. A pior inundação em duas décadas.

The New York Times mostra fotos de crianças atravessando as águas,  para carregar objetos domésticos, enquanto outras tomam banho,  alheias ao perigo de contrair doenças. De acordo com o jornal, “a inundação tranformou a cidade de edificios de telhados vermelhos (telhas de ceramica) em uma cidade aquática onde transporte só é possivel através de barco ou nadando”.

O jornal narra o drama de moradores, como o proprietário de um bar,  Genésio Alves de Souza, 58, que aguarda pacientemente baixar o nivel das águas e acredita que “provavelmente até meados de junho tudo estará terminado. “Nos temos que acreditar em Deus”, diz ele.

Segundo o jornal, “os dias se sucedem testando a interminável alegria de espírito das pessoas de Trizidela, um humilde e profundo posto avançado, no interior de um dos estados mais pobres do Brasil, o Maranhão”. New York Times diz, tambem, que “os residentes estão tentando derrotar o tédio da falta de trabalho ou escola, pegando peixes nas ruas e dando saltos mortais de uma ponte dentro do rio acima do nivel normal das águas.”

Rosane Santana, jornalista, mora em Boston (EUA)

  • Arquivos