maio
13
Postado em 13-05-2009
Arquivado em (Artigos) por vitor em 13-05-2009 13:36

Itapagipe ao pé da baia
itapagipe

Deu no Terra Magazine

“Bomba, Bomba” diria o colunista Ibrahin Sued, se vivo estivesse, ao deparar com as surpreendentes e assustadoras informações, principalmente para os moradores da bela e histórica península de Itapagipe e Cidade Baixa, contidas na reveleadora reportagem assinada pelo reporter Claudio Leal e publicada na revista virtual Terra magazine, nesta quarta-feira, 13 de maio.

Na surdina, sem qualquer consulta prévia à população, o prefeito João Henrique Carneiro(PMDB), assinou decreto que torna de utilidade pública larga faixa litorânea da Baia de Todos os Santos. O ato e o fato alcançam vasta extensão de uma das áreas mais belas da capital baiana, ultimamente também das mais cobiçadas por grupos imobiliáriosl, principalmente a partir da aprovação do PDDU, que altera os gabaritos e permite a construção de grandes edificios na orla de Salvador.

Vejam alguns trechos da reportagem do TERRA MAGAZINE:
++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
A área do decreto de JHC
prefeito

“Um decreto obscuro da Prefeitura de Salvador assusta os moradores de uma das áreas mais belas da capital baiana. Sem consulta popular, o prefeito João Henrique Carneiro (PMDB) decretou a utilidade pública dos imóveis da orla da Baía de Todos os Santos, à borda da península de Itapagipe, na Cidade Baixa.

A área de 324 mil metros quadrados inclui bens tombados pelo patrimônio histórico – como o Abrigo D. Pedro II e o Forte do Monte Serrat, palco da resistência aos holandeses em 1624 -, prédios abandonados, residências, lojas de varejo, antigas fábricas e casarões seculares. A desapropriação deve atingir os prédios fincados entre a tradicional Feira de São Joaquim e a Praia da Boa Viagem.

O dado mais surpreendente: a prefeitura só deve apresentar um projeto em outubro deste ano. Desapropriou sem nada revelar. Os moradores se queixam da insegurança patrimonial.

CAVALO E ESCADA- A pretexto de reurbanizar a orla de Salvador, o prefeito considerou de utilidade pública outros pontos da cidade, a exemplo da popular Vila Brandão, situada à beira-mar, na encosta do bairro da Barra, alvo habitual da especulação imobiliária. A Defensoria Pública do Estado entrou com uma ação cautelar para suspender os efeitos desse decreto.

Por sua vez, a investida contra a península de Itapagipe, que tem alguns dos pontos turísticos mais visitados da Bahia, causou espanto aos deputados federais Lídice da Matta (PSB) e Emiliano José (PT) pela estranha abrangência territorial. Ambos atentam para a obscuridade do ato de João Henrique. Ex-prefeita de Salvador (1993-1996), Lídice levanta equívocos na decisão oficial e defende um debate prévio na Câmara.

——————————————————————-
Opinião do Bahia em Pauta: Diante do apresentado, a população deve ficar atenta com o que ainda virá. Afinal, como também dizia Ibrahim, “cavalo não desce escada“.

(Postado por:Vitor Hugo Soares)

(LEIA INTEGRA DA REPORTAGEM DE CLAUDIO LEAL NO TERRA MAGAZINE (http://terramagazine.terra.com.br)

Be Sociable, Share!

Comentários

Lena on 13 Maio, 2009 at 14:17 #

Tem razao, este prefeito tem agido de forma meio estranha e neste caso,me parece muito pouco democratico; teria que haver debates sobre o assunto!


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos