maio
06
Postado em 06-05-2009
Arquivado em (Artigos) por bahiaempauta em 06-05-2009 21:48

 Dom Cappio retoma luta pelo riocappio

Horas antes de embarcar nesta quarta-feira (6) para a Alemanha, onde irá recebe o Prêmio Kant de Cidadão do Mundo, concedido pela Fundação Kant, o bispo da diocese de Barra (BA), d. Luiz Flávio Cappio, e representantes da Comissão Pastoral da Terra (CPT) , lançaram , em São Paulo, um movimento de retomada da campanha contra a Transposição das Águas do Rio São Francisco, cujas obras estão em andamento.

O religioso, que já passou por duas greves de fome em defesa do rio, disse em entrevista publicada pela revista virtual Terra Magazine, que a nova ação deseja pressionar o Supremo Tribunal Federal a julgar, sem demora, a Ação Direta de Inconstitucionalidade 4113, ajuizada em julho de 2008. Questionam o impacto das obras sobre 27 tribos indígenas que vivem na região da bacia hidrográfica.

Dom Cappio recebe o prêmio da Fundação Kant juntamente com Jeff Halper, ativista de Direitos Humano de atuação na Faixa de Gaza, em defesa dos palestinos. “Espero que esse prêmio aprofunde o nível de consciência da sociedade. Entendo que a premiação é plural, é para todos os movimentos sociais, indígenas e de base que apoiam essa luta”, disse o bispo de Barra, na entrevista concedida ao repórter Claudio Leal, publicada por Terra Magazine.

Para o membro da CPT, o sociólogo Ruben Siqueira, o projeto “é a maior obra da indústria da seca, que tem recursos abundantes para corrupção e caixa eleitoral.”

No Convento São Francisco, onde foi lançado o movimento, d. Cappio afirmou que não há mais nenhum canal de diálogo com o governo. “Naquela época (da greve de fome), ainda tínhamos esperança. Não acredito que o prêmio venha trazer obstáculos ao governo, mas mostra que vale a pena continuar lutando. O governo é sensível a pressões externas”.

 Leia a íntegra da entrevista com o bispo Luiz Flavio Cappio na revista eletrônica Terra Magazine (http://terramagazine.terra.com.br)

Be Sociable, Share!

Comentários

Lena on 7 Maio, 2009 at 15:38 #

Acho meio complicado comentar sobre o assunto,ja que sempre achei que a igreja nao deveria se meter com politica. Por outro lado, sendo Dom Cappio, alguem que luta pra ajudar varios povos ribeirinhos e conhecedor da regiao que ´´e, sou obrigada a parar e observar varios pontos importantes neste assunto. Ja li varias pesquisas de quem estudou sobre o assunto e a maioria delas, constatou que esta tao propalada chegada de agua p maioria dos povos miseraveis, ainda dependeria de tantas outras providencias, outros projetos,mais grana, que dificilmente eles teriam condiçoes de receber essa agua abençoada. Parece que apenas os grandes empresarios poderao usufruir desses beneficios, enqto com menos grana, muitissimos outros pobres poderiam ser beneficiados com projetos mais baratos e mais rapidos. Nao gosto de chantagens tipo “deixar de comer..”pra se obter algo, mas independente disso, acho que D Cappio tem uma certa razao e devemos,no minimo, ter a atençao voltada p os gastos e pesquisar sobre o custo/beneficio no final.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos