abr
20
Postado em 20-04-2009
Arquivado em (Artigos) por bahiaempauta em 20-04-2009 10:44

Deu no jornal:

Em sua coluna diária, na Tribuna da Bahia, o editor político Janio Lopo produz o comentário ”Alguém ficou de fora”, que, pelo conteúdo informativo e o vigor da análise, merece leitura atenta. O assunto é a reunião promovida em conjunto pela Associação dos Magistrados da Bahia-AMAB e as instituições privadas de saúde. O Bahia em Pauta publica trecho do artigo de Janio, cuja íntegra está na TB desta segunda-feira (20). Confira

(Vitor Hugo Soares)

——————————————————

ALGUÉM FICOU DE FORA

 Janio Lopo 

“Se eu disser que parece uma tentativa de cooptar juízes e desembargadores corro o iminente risco de ser duplamente processado. Primeiro, por suas excelências – algumas delas julgam que chegaram num grau de perfeição e nada que digam ou façam está sujeito a críticas ou censuras públicas. Segundo, pelas entidades de saúde suplementar da Bahia que têm, acho, ramificações nacionais. Para não correr o risco de, mesmo sem quaisquer motivos, ser chamado às barras dos tribunais, me recuso a revelar aqui, em primeiríssima mão, que a Associação dos Magistrados da Bahia (Amab) e as instituições de saúde privadas farão um seminário onde serão tratados temas como ética no setor de saúde. O evento ocorre entre os dias 23 e 26 no Hotel Ibero Star, em Praia do Forte. Posso garantir que não vou arcar com um centavo das despesas. Até a presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Sílvia Zarif, que teve uma semana atribulada ciceroneando os fiscais do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que teimam em colocar o Judiciário baiano como um dos mais deficientes do Brasil, foi convidada.
Há, claro, muito o que se fazer no encontro. Há, inclusive uma lista detalhada, uma espécie de roteiro, para que os magistrados sintam-se em casa. Vou parar por aqui porque não é do meu feitio comentar sobre a vida alheia, mesmo sabendo que é o destino da gente, pobres e indefesos mortais, que estará sendo debatido em última análise. Só vou dizer mais uma coisinha: os organizadores da mordomia ( retiro o que eu disse.Troco a expressão mordomia por trabalho árduo) tiveram o cuidado, baseado nos serviços prestados pelo hotel, de discriminar os itens com os quais serão contemplados os convivas, durante 24 horas: ” bebidas alcoólicas ( digo eu: se beber não dirija) e não-alcoólicas servidas em taças e/ou doses em nossos bares e restaurantes,alimentação (café da manhã buffet- almoço buffet em nossos restaurantes – jantar buffet ou a la carte em nossos restaurantes de especialidades conforme nossa política de reservas por noite – snacks em geral em nossos restaurantes), entretenimento com shows e atividades para adultos e crianças com nossa equipe de animação, hospedagem, minibar, (água, refrigerante e cervejas) no apartamento, reposta a cada dois dias, acesso às quadras de tênis, futebol e vôlei. Tem muito mais. Depois de muito custo (não quero me meter nisso de jeito nenhum) soube que os convidados pagariam uma taxa de R$ 1.350. São cerca de 70 inscritos, segundo os fofoqueiros de plantão. O custo total desse pessoal sairia por pouco mais de R$ 90 mil. Uma perguntinha à toa: quem vai pagar a conta: a Amab? Bem, não é da minha conta. Esqueçam que eu existo”.

Leia a íntegra na Tribuna da Bahia

 

 

Be Sociable, Share!

Comentários

Lena on 20 Abril, 2009 at 16:45 #

Esta atitude da AMB só vem confirmar o que intimamente já sabíamos; o povo (parte) que com tanto sacrifício paga esses planos privados de saúde caríssimos,e convenhamos, com um atendimento horroroso prá caramba,é que mais uma vez vai se danar. E as custas dessa “farra”toda, também sairão do bolso do povo? Não duvido nada. E como sempre,assistimos a tantas safadezas sem fazermos nada, a não ser falar,falar,…alguém vai escutar? Interessa a quem se fazer entendido do assunto?Só Deus, mesmo.


Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos