abr
14
Postado em 14-04-2009
Arquivado em (Artigos) por bahiaempauta em 14-04-2009 08:52

Deu no jornal

O jornal CORREIO DA BAHIA traz em sua edição desta terça-feira (14), matéria assinada pela repórter Amanda Luz, com imformações sobre o incidente no Aeroporto Internacional Charles de Gaulle, em Paris, envolvendo a professora Solange França, da Universidade de Santa Cruz (Uesc), em Ilheus:

“Uma professora do curso de Agronomia da Universidade de Santa Cruz, em Ilhéus (a 446 km de Salvador), foi barrada ao tentar entrar na França pelo Aeroporto Internacional Charles de Gaulle, na capital Paris, na última sexta-feira (10). De volta à Bahia, a também gerente de pesquisa da Uesc, Solange França, falou nesta segunda (13) sobre a frustração de ser retida sem explicações e sem a ajuda da Embaixada do Brasil na França.

A docente contou que, presa em uma sala reservada e sem ventilação, o pior era não ter o direito de defesa. ”Quando pedi esclarecimentos, os policiais utilizaram tom de voz ameaçador e agressivo. Foi quando percebi que estava sendo expulsa e que não poderia pedir qualquer esclarecimento. Era melhor ser deportada do que ficar presa em território francês”, disse.

A professora saiu de Salvador com destino a Paris no voo TAM 8068 e chegou na França às 14h de sexta (10), onde passaria as férias e visitaria laboratórios de pesquisa.

Segundo Solange, a embaixada e o consulado brasileiros na capital francesa chegaram a ser contactados, mas ela não obteve ajuda dos órgãos. ”A Embaixada estava fechada e o telefone do consulado caía em uma secretária eletrônica. Eu estava presa no aeroporto de outro país, desesperada, precisando de ajuda oficial e só conseguia falar com uma secretária eletrônica”, relatou.

A professora informou que outras 14 pessoas voltaram no mesmo vôo com direção ao Rio de Janeiro, entre elas um estudante de Salvador, que ia se apresentar em um evento de Capoeira na Europa.

Leia mais no CORREIO DA BAHIA

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos