abr
07
Postado em 07-04-2009
Arquivado em (Artigos) por bahiaempauta em 07-04-2009 20:09

Pedro na Redação: Foto Arquivo: A Tarde


Nesta segunda-feira, 7 de abril, data em que se comemora o Dia do Jornalista, o repórter baiano, Pedro Souza foi sepultado no começo da tarde, no cemitério Quinta dos Lázaros. Pedro foi vitimado por um AVC (Acidente Vascular Cerebral ), que o atingiu à altura da ladeira de Brotas, quando se dirigia para sua residência, naquele bairro. Ele tinha 73 anos e estava aposentado do jornal A TARDE, onde trabalhou durante décadas, ao lado de várias gerações de jornalistas, inclusive este editor do Bahia em Pauta.

No começo, ainda na antiga séde do jornal na Praça Castro Alves, Pedro chamava a atenção pela maneira como se relacionava com a máquina de datilografia Remington. Usando apenas dois dedos da mão esquerda (ele perdeu parte do braço direito) conseguia ser mais ágil na elaboração de suas matérias que a maioria dos profissionais que enchiam a Redação naquela época. Em seguida, se evidenciava a sua eficiêcia de profissional polivalente, capaz de atuar com o mesmo desembaraço na cobertura de setores mais diversos – da Arquidiocese à Câmara de Vereadores. Ao lado do repórter policial Walmir Palma, formava dupla especial de um tipo de jornalistas que não se vê mais nas redações da Bahia.

Pedro, como Palma, sempre reagiu ao império do silêncio e da falta de diálogo nas redações com o advento da era dos computadores. Dotado de provocativo bom humor, mas sempre respeitoso com colegas e fontes, se destacava por seu jeito em geral sorridente e a voz suave e marcante de locutor do rádio baiano, onde se iniciou na profissão.

Pedro Souza trabalhou durante décadas, também, na Empresa Gráfica da Bahia, EGBA. Deixa viúva a professora Ieda Souza e dois filhos, Welton e Wellington. Além de muita saudade entre os que estiveram ao seu lado, no jornalismo e na vida.

(Vitor Hugo Soares)

Be Sociable, Share!
Deixe um comentário
Name:
Email:
Website:
Comments:

  • Arquivos