mar
28
Posted on 28-03-2009
Filed Under (Artigos) by bahiaempauta on 28-03-2009


E para terminar a noite deste sábado (28) ou começar a madrugada de domingo (29) a poesia essencial de um mestre: Carlos Drumonnd de Andrade. Aqui em uma de suas mais maravilhosas, eternas e (sempre) atuais criações: “E agora José?”. Mais bela ainda musicada neste vídeo e na interpretação singular de Paulo Diniz. Nada mais a dizer. Só ouvir e meditar. Boa noite.

(Vitor Hugo Soares)

mar
28
Posted on 28-03-2009
Filed Under (Artigos) by bahiaempauta on 28-03-2009

Dilemas da velha cidade

Perguntar não ofende.

Na véspera da cidade comemorar 460 anos de fundação, a pergunta que não quer calar:

Quem circulará primeiro: os carros sobre a ponte Salvador-Itaparica, ou os vagões sobre os trilhos do metrô de Salvador ?

(Vitor Hugo Soares)

mar
28
Posted on 28-03-2009
Filed Under (Artigos) by bahiaempauta on 28-03-2009

OPINIÃO

FÉ NO FUTURO

Aparecida Torneros

“Uma longa entrevista concedida em Salvador (Bahia Notícias), marcou a recente passagem do ex-Ministro José Dirceu pela Bahia, onde foi fazer o que sempre fez, com propriedade e talento: “política”.

Sua especialidade ao longo de décadas, ele não nega, e no ping-pong a que se submeteu, o Zé ( de novo cabeludo, como nos tempos da juventude, graças ao implante capilar) recupera sua verve eloquente e dá as cartas discorrendo sobre a aliança partidária que sempre defendeu, PT/PMDB.

Não se furta a indicar o nome da Ministra Dilma como um dos favoritos para a efetiva candidatura à Presidência da República em 2010, pelo PT.

Discorre, ainda, sobre sua postura pessoal de aguardar a decisão do Supremo Tribunal Federal, em processo onde busca inocentar-se do crime que lhe imputam de “chefe do mensalão” que, segundo ele, foi tema aproveitado como motivação de disputas internas dentro do Partido, o que foi mencionado até pelo Presidente Lula, há dois anos, nas comemorações do aniversário do PT, coincidentemente, na capital baiana, quando o chefe da nação mencionou a atitude de alguns petistas que não defenderam seus companheiros no momento exato.

A entrevista, longa e factual, detalha pensamentos e relata atitudes diante do processo histórico-político a que o entrevistado se vê atrelado, esclarecendo pontos e questionando outros tantos, mas, de um modo geral, é possível ler, nas entrelinhas da reportagem, a crescente preparação da volta por cima, dada pelo astuto político, não só quanto à sua projeção midiática, onde ele se declarou perseguido e injustiçado , nos últimos anos, mas, e sobretudo, o renascimento da liderança incontestável que o Zé Dirceu amadureceu a partir das suas enfáticas posições de comando ou de sua bem organizada rede de contatos políticos, aliada a uma disciplina voltada para a luta, que ele mesmo revela estar acostumado desde os tempos da Ditadura Militar.

Uma entrevista para ser lida, relida, guardada e conferida daqui a alguns anos, pois traz, em seu bojo, um verdadeiro tratado do que possa acontecer aos quadros políticos do Brasil nos próximos anos, com toques de leitura de um futuro anunciado, além de esclarecimentos pertinentes ao imaginário nacional sobre sua ligação com o Presidente Lula, sua dedicação ao Partido, seu caminho revolucionário, de ex-guerrilheiro, combatente, figura que é “prato cheio” para o banquete midiático.

Zé Dirceu continua sendo alvo do noticiário, sem mandato, pouco importa, o Zé, desde a Bahia, esbanjou fé no futuro, e, na terra do Axé, nada mais apropriado, até porque, fé na vida, para esse mineiro, paulistano por adoção, brasiliense por eleições, que já virou baiano, por crença no amanhã, certamente deve cantarolar a música do Gil : andar com fé eu vou, que a fé não pode faltar!

Aparecida Torneros, jornalista, vive no Rio de Janeiro. É autora do livro “A Mulher Necessária” e colaboradora do Bahia em Pauta.

mar
28
Posted on 28-03-2009
Filed Under (Artigos) by bahiaempauta on 28-03-2009


Neste sábado, 28 de março, a música para começar o dia vem do Chile, onde se realiza a cúpula de Chefes de Estado para incluir as questões sociais e o meio ambiente (o Verde) como alternativas progressistas para a crise econômica mundial. A canção escolhida é a empolgante “Se vás para Chile”, para muitos o verdadeiro hino dos chilenos. Aqui vai em vídeo gravado durante o famoso festival de Viña del Mar (local da cúpula deste sábado), no ano passado. Ouça e se emocione. Quem sabe você decide tomar o primeiro avião para conhecer um dos mais generosos, cultos e atraentes paises da América do Sul. Se for mesmo, peço que tomes uma La Vaina ou um bom vinho chileno por mim. Boa viagem!

(Vitor Hugo Soares)

mar
28
Posted on 28-03-2009
Filed Under (Artigos) by bahiaempauta on 28-03-2009

No magnífico balneário de Viña del Mar, costa chilena do Pacífico, Chefes de Estado e representantes de governo alinhados com políticos de centro-esquerda, entre eles o presidente Luis Inácio Lula da Silva, se reúnem neste sábado (28) na chamada Cúpula de Líderes Progressistas. Na pauta do encontro, do qual participa também o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, pontuam reivindicações por mais atenção às mudanças climáticas e questões sociais em meio à crise econômica mundial.
Assessores da presidente do Chile, Michelle Bachelet, anfitriã do encontro dos chefes de governo, revelaram ontem, na abertura da cúpula, que a sugestão de inserir estes temas na pauta da cúpula de Viña del Mar – que acontece há apenas uma semana do encontro dos chefes de Estado do G20 – pariu dos governos do Chile, Brasil, Argentina e Uruguai.
“Esperamos que esta reunião ajude a colocar o tema social e as mudanças climáticas no centro do debate sobre a crise internacional”, disse à BBC Brasil, Francisco José Diaz, assessor de Michelle Bachelet. Ainda segundo a BBC-Brasil, fontes ligadas ao Palácio de La Moneda afirmaram que a declaração final do encontro – cujo lema é “Uma resposta progressista à crise global” – deverá enfatizar também o repúdio ao protecionismo e a defesa de reformas e da ampliação da regulamentação sobre o mercado financeiro.

“(A declaração final mostrará que) não se trata de qualquer recuperação (econômica). Tem que ser verde, com empregos e políticas sociais”, disse uma fonte do governo chileno. A expectativa é que o encontro represente uma “declaração política” do grupo poucos dias antes da reunião do G20, no dia 2 de abril, em Londres. Esta é a primeira vez que a chamada Rede de Líderes Progressistas, criada em 1999, se reúne em um país da América Latina. Além de Lula, Biden e Brown, participam da cúpula no Chile a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, o primeiro-ministro da Noruega, Jens Stoltenberg, o primeiro-ministro da Espanha, José Luis Rodríguez Zapatero, entre outros.

mar
28
Posted on 28-03-2009
Filed Under (Artigos) by bahiaempauta on 28-03-2009

Dona da Daslu, sorridente, deixa penitenciária

ARTIGO

Vitor Hugo Soares

Enquanto não chega o 1º de abril, data anunciada do esperado confronto em que deverá constituir-se o depoimento do delegado Protógenes Queiroz na chamada “CPI dos Grampos”, o público das arquibancadas e gerais tem sido premiado com bons jogos “aperitivos”. No jargão futebolístico tão em voga na era Lula, estes encontros até poderiam ser qualificados de “clássicos” do debate sobre política, justiça, imprensa e ética no Brasil pós-Operação Satiagraha.

Esta semana entraram em campo elementos novos e incandescentes, a partir da prisão de 10 pessoas vinculadas à construtora Camargo Corrêa. Entre elas quatro diretores da segunda maior empreiteira do País, acusados de crimes financeiros e desvios de dinheiro. Para culminar, a Justiça condenou Eliana Tranchesi, dona da butique Daslu, a 94 anos de prisão, por formação de quadrilha para praticar “crimes financeiros de forma habitual e recorrente, mesmo após a denúncia do Ministério Público Federal”.Beneficiada por um Habeas Corpus, ontem mesmo, à noite, a empresária dos granfinos deixava o Carandiru ao volante de um desses carros de cinema, impecalvelmente vestida e com um sorriso difícil de se ver em pessoa gravemente doente, como dizem que ela está.

Grana, política e poder misturados em jogo pesado, que promete lances sensacionais nos próximos dias. Ainda assim, merece destaque a atuação do ministro-presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, terça-feira (24/03), na sabatina organizada pelo jornal “Folha de S. Paulo”, dois dias antes do presidente da República pedir o fim da pirotecnia retórica na PF, no Judiciário e no Ministério Público. O magistrado teve tratamento de “popstar” no Teatro Folha, e, em vários momentos da apresentação de duas horas de duração, mandou a moderação às favas.

O presidente do Supremo foi recebido com pompa e gala para ser entrevistado por profissionais do time principal do jornal (colunistas Mônica Bergamo, Eliane Cantanhêde, Fernando Rodrigues e Renata Lo Prete), além de felizes sorteados na platéia de 300 lugares, completamente lotada. Bem diferente do que se viu na sabatina do delegado Protógenes, feita por ouvintes ao telefone ou através de e-mails, além da dupla de apresentadores no estúdio modesto e precariamente iluminado da TV-UOL.

Que contraste, quando comparado com sabatina desta terça-feira! A cena mais emblemática do espetáculo de duas horas de duração foi, sem dúvida, a tumultuada saída do palco do presidente da Suprema Corte do País, transmitida igualmente pelas câmeras da TV-UOL. Vaias e aplausos explodiam do auditório dividido. Mal (ou bem) comparando, parecia o choque das torcidas de Corinthians e São Paulo, Flamengo e Fluminense, ou Bahia e Vitória, em dias de clássicos no Morumbi, no Maracanã ou Estádio de Pituaçu, o novo xodó dos baianos.

Em cima do palco, o ministro assinava autógrafos pedidos por fãs localizados na platéia, de onde partiam palmas de aprovação, gritos de protestos e insultos pesados contra o presidente do Supremo. O professor de geografia Mauricio Costa, por exemplo, que se identificava como “cidadão brasileiro revoltado”, gritava contra o silêncio do ministro nas questões relacionadas com o delegado Protógenes e o juiz De Sanctis. E, aos gritos, cobrava: “Porque o ministro concedeu os Habeas Corpus que deixaram em liberdade o banqueiro Daniel Dantas, e porque anda falando que o Movimento dos Sem-Terra no Brasil (MST ) recebe dinheiro público “para cometer ilegalidades?”.

O ministro Mendes não renegou a notoriedade de amante da política e da polêmica. Respondeu que o segundo pedido de prisão do banqueiro foi uma tentativa de desmoralizar a corte que ele preside. As intensas reações da platéia, a favor e contra, geraram eletricidade em alta tensão. Mendes não conseguia esconder o nervosismo em alguns momentos – bebeu quase um litro e meio de água nas duas horas de sabatina -, mas jogou como craque da retórica jurídica e política, com a língua afiada e solta.

Quando a jornalista Mônica Bergamo tentou contra-argumentar em favor da prisão de Daniel Dantas, o presidente do STF com um sorriso enigmático, respondeu com uma insinuação, marca mais recente do ministro do Supremo no diálogo com jornalista. No ar e na boca um travo de ameaça mal-disfarçada na resposta: “Eu entendo a sua torcida, Mônica”, disse o presidente do STF. Risos simpáticos de aprovação e aplausos da torcida a favor. Vaias sonoras da torcida adversária.

No final, a saída estratégica do ministro pela porta de trás, para evitar a manifestação de protesto de estudantes na rua em frente ao teatro da Folha. Ótima preliminar para o 1º de abril.

Vitor Hugo Soares é jornalista. E-mail: vitor_soares1@terra.com.br

  • Arquivos

  • Março 2009
    S T Q Q S S D
    « fev   abr »
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031