jan
28
Posted on 28-01-2009
Filed Under (Artigos) by bahiaempauta on 28-01-2009

 

Foi um jogo duro e cheio de catimba em disputa da União das Prefeituras da Bahia, mas a empolgante e acirrada disputa voto a voto terminou com a vitória do candidato do PMDB, Roberto Maia, prefeito de Bom Jesus da Lapa, que bateu o petista de Camaçari, Luis Caetano por placar apertado: 188 votos do vencedor, contra 175 do derrotado. Houve um voto em branco, cinco nulos e 16 prefeitos preferiram o muro, abstendo-se da votação, no primeiro grande embate pela UPB, depois de anos de controle completo da entidade pelo carlismo  mais conservador. 

 

 

 Terminado o escrutínio das cédulas e anunciado o resultado final meia hora antes do horário previsto (19H), agora é a festa (grande) de quem ganhou, e o ranger de dentes (ainda maior) de quem perdeu. São muito dos dois lados, na capital e no interior, entre candidatos, articuladores e cabos eleitorais. Do lado vencedor, dois nomes se destacam de saída: o próprio candidato do PMDB que vai comandar a UPB, um dos mais ressonantes tambores da política local; e o seu principal padrinho, o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima .

 

Entre os vencidos, dois nomes de peso do PT com muito a lamentar, e cobrar talvez dos aliados: Caetano, que apostou quase tudo no pleito; e o governador Jaques Wagner, arrimo principal do candidato de Camaçari que, se eleito, poderia ser fundamental nos planos da reeleição em 2010.

 

Foquetes de um lado, cacos quebrados do outro, e Bahia que segue.

 

 

Por Vitor Hugo Soares

 

jan
28
Posted on 28-01-2009
Filed Under (Artigos) by bahiaempauta on 28-01-2009

 

As vaias e os aplausos dirigidos a João Henrique de Barradas Carneiro (PMDB), quando o prefeito de Salvador chegou ao Centro Administrativo, na manhã desta quarta-feira (28), para votar na eleição da nova direção da União de Prefeituras da Bahia, são sinais emblemáticos. Em ambos os casos, evidenciam um fato superior aos limites das aparências em que os políticos baianos (de todos os partidos, mas principalmente do PT e do PMDB) se esforçam para mantê-lo, embora não seja mais possível esconder a realidade: Bem mais que simples troca de comando na entidade , o pleito de hoje na UPB representa um lance estratégico crucial com vistas à sucessão estadual em 2010.

 

Na frente do ringue político medem forças Luis Caetano – polêmico e experiente prefeito petista de Camaçari – e Roberto Maia, o surpreendente prefeito peemedebista de Bom Jesus da Lapa, cidade da maior romaria do Estado, no vale do Rio São Francisco. Empurrando com força nos bastidores a candidatura de Caetano está o governador Jaques Wagner, amigo e aliado de longa data do atual administrador da rica e influente cidade da região metropolitana que abriga o Pólo Petroquímico, um dos maiores PIBs do País. Dando empurrões vigorosos ao carro de Maia, dirigente do interior rumo ao Centro Administrativo, está o influente ministro da Integração Nacional e aliado do governo Lula (e ainda de Wagner), Geddel  Vieira Lima , cujos projetos de vôos mais largos em 2010 ficam cada dia mais evidentes. Sem excluir até a possibilidade de disputar o Palácio de  Ondina, o que também já não é mais segredo para muita gente da política baiana.

 

Nos bastidores da eleição da UPB, portanto, esconde-se a questão vital, como no poema de Castro Alves: “Qual dos dois gigantes, morto, rolará?”. A resposta deverá sair das urnas ainda hoje.

A Conferir.

 

 

Por Vitor Hugo Soares

 

 

 

  • Arquivos

  • Janeiro 2009
    S T Q Q S S D
        fev »
     1234
    567891011
    12131415161718
    19202122232425
    262728293031