Pesquisa virou peça de propaganda barata. Isso não pode continuar”

Marina Silva, ambientalista candidata do PSB a presidente da República, derrotada no primeiro turno.No Twitter

out
24

Postado em 24-10-2014 00:33

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 24-10-2014 00:33

========================================================

DEU NO DIÁRIO DE NOTÍCIAS, DE LISBOA

Por Susana Salvador

Lindinalva Silva tem 58 anos e é a sexta dos dez irmãos do ex-presidente Lula da Silva, que considera ter sido “ótimo para o Brasil”. O problema, defendeu numa entrevista ao jornal A Folha de S. Paulo, é que Dilma Rousseff “não acompanhou” os passos do mentor. “Em quatro anos não fez o que prometeu”, explicou Lindinalva, justificando porque é que fez um vídeo no qual declara que vai votar este domingo no candidato do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), Aécio Neves.

“Não me sinto incomodada pensando desta forma. Lula lutou pela democracia e liberdade de opinião. Ele sempre deixou claro que não queria forçar nenhum irmão a seguir o que ele acreditava”, disse ao jornal. No vídeo, Lindinalva afirma acreditar que Aécio é “o melhor para o Brasil neste momento”. A irmã de Lula vive em Cuiabá, capital do estado de Mato Grosso, desde 1989. Filiada no Partido Trabalhista Brasileiro, Lindinalva chegou a tentar concorrer a vereadora da câmara municipal, mas só teve 188 votos. Evangélica, diz que os fiéis da sua igreja, a Comunidade Pão da Vida, têm medo “do comunismo” e que a maioria vai votar PSDB.

http://youtu.be/zwgZ1WA8eHQ

out
24

Uma das canções preferidas do editor do BP , na voz de um de seus melhores intérpretes, para começar a sexta-feira musical.

BOM DIA!!!

(Vitor Hugo Soares)

out
24

Postado em 24-10-2014 00:32

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 24-10-2014 00:32

=============================================================

DEU NO JORNAL ESPANHOL EL PAIS (EDIÇÃO DO BRASIL)

“Como explicar algo assim? Sentimos muito”. É tudo o que conseguiu dizer antes de começar a chorar Susan Bibeau, a mãe do jovem identificado como o agressor que, na quarta-feira, matou um soldado em Ottawa e invadiu atirando o Parlamento canadense até ser morto, em uma breve entrevista telefônica para a agência AP.

As perguntas se acumulam também em um Canadá que não consegue compreender o que levou um jovem criado nesse país, que gosta de se mostrar como multicultural e de consenso, a realizar um ato qualificado como “terrorista” pelo primeiro ministro, Stephen Harper, e que parece ter traços de terrorismo islâmico.

Algo que, pelo seu lado, também está causando questionamentos sobre a atuação das autoridades que estavam de sobreaviso sobre a progressiva radicalização do jovem.
mais informações

Tanto o jornal The Globe and Mail como a rede de tevê CTV News asseguram que as autoridades foram alertadas sobre sua possível radicalização – se converteu ao islamismo anos atrás – e que até o haviam marcado como “viajante de alto risco”, quando ou confiscaram seu passaporte ou negaram a emissão de um documento de viagem, segundo diversas versões da imprensa.

Além do mais, Zehaf-Bibeau, de 32 anos, não era um desconhecido da justiça.

Seus antecedentes criminais datam de 2001. A partir desse ano, cometeu pelo menos 11 delitos – de consumo de drogas a roubo e até posse de arma perigosa – pelos quais chegou a cumprir vários meses de prisão entre 2003 e 2004, segundo vários registros judiciais aos quais o jornal canadense The Star teve acesso. Seus atritos com a justiça continuaram pelo menos até 2012.

Zehaf-Bibeau nasceu em Quebec em 1982 e cresceu em Laval, ao norte de Montreal, onde estudou em escolas particulares.

Sua mãe, Susan Bibeau, é uma alta funcionária da Junta de Imigração e Refugiados do Canadá. Seu pai – ou padrasto, nisso a imprensa canadense também diferiu – é um empresário de origem libanesa, Bugasem Zehaf, que ao que parece combateu na Líbia em 2011, de acordo com o Globe. O casal se divorciou em 1999, ou seja, pouco antes de Zehaf-Bibeau começar a ter seus problemas com a justiça.

Segundo um perfil do Globe, que entrevistou um amigo do atirador, Dave Bathurst, Zehaf-Bibeau teria vivido um tempo na Líbia antes de se mudar para o oeste do Canadá, onde trabalhou como mineiro e outros serviços manuais.

Os dois homens se conheceram há três anos em uma mesquita em Burnaby, na periferia de Vancouver. Segundo Bathurst, naquela época Zehaf-Bibeau não parecia ter uma visão extremista ou tendência para a violência, ainda que admita que chegou a pensar que tivesse algum transtorno psicológico, pois frequentemente falava da “presença de Shaytan (termo árabe para demônio) no mundo”, disse para o jornal. Seu comportamento “errático”, relatou, levou os responsáveis pela mesquita a pedir que ele deixasse de frequentar o culto ali.

A última ver que Bathurst viu Zehaf-Bibeau foi em outra mesquita em Vancouver, há seis semanas. Segundo seu amigo, Zehaf-Bibeau lhe contou que queria viajar em breve para o Oriente Médio.

“Ele queria voltar para a Líbia e estudar”, disso Bathurst. Conforme assegurou para o Globe, pediu para Zehaf-Bibeau assegurar-se de que suas verdadeiras intenções eram estudar “e não outra coisa diferente”, e que este lhe respondeu que seu único objetivo era estudar o Islã e árabe. Planos frustrados pela negativa das autoridades em deixá-lo viajar.

out
23

Postado em 23-10-2014 22:25

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 23-10-2014 22:25

================================================================

SÃO PAULO – A Revista Veja divulgou na noite desta quinta-feira (23) em seu Facebook a capa de sua próxima edição que estará nas bancas logo mais, ainda na madrugada desta sexta-feira, 24, sendo antecipada por conta das eleições no domingo. E a prévia já promete uma bomba que pode afetar as eleições faltando apenas 2 dias para os eleitores irem às urnas.

A capa da publicação mostra Lula e Dilma em um fundo preto com a chamada “Eles sabiam de tudo”. Um texto separa o rosto dos dois petistas com os seguintes dizeres: “O doleiro Alberto Youssef, caixa do esquema de corrupção da Petrobras, revelou à Polícia Federal e ao Ministério Público, na terça-feira passada, que Lula e Dilma Rousseff tinham conhecimento das tenebrosas transações na estatal”.

Segundo trecho da matéria divulgado pela revista nesta noite, em determinado momento de sua conversa com a Polícia, Youssef teria sido questionado sobre o nível de envolvimento das autoridades brasileiras: “O Planalto sabia de tudo!”, respondeu o doleiro. “Mas quem no Planalto?”, perguntou o delegado. “Lula e Dilma”, completou Youssef.

out
23

Postado em 23-10-2014 17:40

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 23-10-2014 17:40

DEU NO UOL/FOLHA

Pesquisa Datafolha finalizada nesta quinta-feira (23) mostra a presidente Dilma Rousseff (PT) pela primeira vez à frente do senador Aécio Neves (PSDB) no segundo turno da eleição presidencial.

Conforme o instituto, Dilma tem 53% das intenções de votos válidos, enquanto Aécio tem 47%. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. A diferença entre eles, portanto, está além dos limites máximos da margem.

Nas quatro pesquisas anteriores do Datafolha neste segundo turno, a situação sempre foi de empate técnico. Nas duas primeiras, com o tucano numericamente à frente (ambas por 51% a 49%). Nas duas últimas, com a petista numericamente à frente (nos dois casos, por 52% a 48%).

Em votos totais, Dilma alcança 48%, Aécio atinge 42%. Brancos e nulos somam 5%. Outros 5% dizem não saber em quem votar.

A nova pesquisa Datafolha também investigou a avaliação do governo Dilma. Segundo o levantamento, 44% julgam a administração petista “boa ou ótima”, ante 42% do levantamento anterior.

Trata-se do melhor patamar desde junho de 2013. No mês das grandes manifestações de rua, a aprovação de Dilma despencou de 57% para 30%.

A pesquisa mostra ainda que 41% dos eleitores afirmam que não votam em Aécio “de jeito nenhum”. Em duas semanas, a rejeição dele subiu 7 pontos (era de 34% em 9 de outubro). Já a taxa de rejeição de Dilma está em 37% —6 pontos a menos do que o registrado há duas semanas (43%).

Por encomenda da Folha e da TV Globo, o Datafolha ouviu 9.910 pessoas na quarta (22) e nesta quinta (23). O nível de confiança do levantamento é 95% (significa que em 100 pesquisas com esta mesma metodologia, os resultados estarão dentro da margem de erro em 95 ocasiões). O registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) é BR-1162/2014.

out
23

Postado em 23-10-2014 17:25

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 23-10-2014 17:25

DEU NO PORTAL IG

Faltando três dias para o segundo turno, o Ibope divulgou na noite desta quinta-feira (23) nova pesquisa sobre a corrida presidencial. De acordo com o levantamento, a presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, tem 54% dos votos válidos contra 46% de Aécio Neves, presidenciável do PSDB.

Em votos totais, que levam em conta os eleitores ainda indecisos e votos em branco e nulos, a petista tem 49% e o tucano marca 41%.

Na pesquisa anterior, divulgada em 15 de setembro, os dois candidatos ainda apresentavam situação de empate técnico. Na ocasião, Aécio registrava 51% dos votos válidos contra 49% de Dilma. Nos votos totais, o tucano tinha 45% e Dilma, 43%.

A pesquisa Ibope mostrou ainda Aécio como o candidato mais rejeitado. 42% dos eleitores não votariam nele de jeito nenhum. O percentual de Dilma é seis pontos percentuais menor, 36%.

Sob encomenda da Rede Globo e do jornal O Estado de S. Paulo, o Ibope ouviu 3.010 eleitores em 203 municípios entre os dias 20 e 22 de outubro.


Thiago Silva:de volta depois do fiasco na Copa
===========================================================

DEU NO PORTAL IG

O técnico Dunga divulgou nesta quinta-feira os convocados para os amistosos de novembro da seleção brasileira contra Turquia e Áustria, dias 12 e 19, os últimos da equipe em 2014. Para não atrapalhar os clubes brasileiros que vivem decisões em novembro, nenhum jogador que atua no País foi chamado. A primeira final da Copa do Brasil será disputada no mesmo dia da partida em Istambul.

Destaque para a volta de Thiago Silva, capitão na Copa de 2014, convocado pela primeira vez por Dunga. “Temos que pensar na seleção brasileira, que representa muito o futebol brasileiro. Mas cada momento é especial. Mantivemos contato com muitos treinadores e presidentes de clubes, e somos sensíveis das responsabilidades. Chegamos ao momento oportuno de abrirmos mão de alguns jogadores brasileiros e abrirmos oportunidades para jogadores lá de fora. Era um momento oportuno, de cada um ceder”, disse Dunga.

As novidades da lista são Casemiro, do Porto, Roberto Firmino, do Hoffenheim e Luiz Adriano e Douglas Costa, do Shakhtar Donetsk. Lucas, do PSG, também foi lembrado. Eles ganham espaço depois das não convocações de Éverton Ribeiro e Ricardo Goulart, do Cruzeiro, Gil e Elias, do Corinthians, Souza e Kaká, do São Paulo.

Sem Jefferson, do Botafogo, Dunga convocou dois goleiros de clubes europeus: Neto, do Fiorentina, e Diego Alves, do Valencia.

Comandada quatro vezes pelo treinador desde seu retorno, a seleção brasileira tem aproveitamento de 100% e ainda não sofreu gols. O time enfrentou Colômbia e Equador em setembro e depois jogou contra Argentina e Japão em outubro. Venceu os dois primeiros jogos por 1 a 0, fez 2 a 0 nos argentinos e golearam os japoneses por 4 a 0.

O auxiliar pontual de Dunga para os jogos na Europa será o ex-zagueiro Oscar, que atuou nas Copas de 1978, 1982 e 1986. Antes dele, Mauro Silva, nos jogos de setembro, e Edu, nos de outubro, também auxiliaram o técnico.

out
23

Postado em 23-10-2014 09:53

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 23-10-2014 09:53


========================================================

DEU NO JORNAL ESPANHOL EL PAIS (EDIÇÃO DO BRASIL)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fortaleceu sua presença na reta final da campanha presidencial e se tornou o grande protagonista da apertada disputa entre Dilma Rousseff (PT) e o candidato Aécio Neves (PSDB). Nas últimas semanas, o sindicalista assumiu o papel de atacar com mais veemência o adversário, livrando Rousseff da tarefa e preservando a imagem da presidenta.

Na última terça-feira, Lula comparou os ataques verbais feitos pelos tucanos na campanha às agressões dos nazistas contra os judeus. “De vez em quando, parece que estão agredindo a gente [nordestinos] como os nazistas faziam durante a Segunda Guerra Mundial”, afirmou ele. “Eles são intolerantes. Outro dia eu dizia para eles: Vocês são mais intolerantes que Herodes, que mandou matar Jesus Cristo com medo de ele virar o homem que virou”, afirmou o sindicalista.

No mesmo comício, ocorrido em Recife, ele também criticou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que afirmou no último dia 6 que o PT tem os votos dos “menos informados”. “Lamento que um sociólogo não saiba a história para dizer que nós votamos em Dilma porque somos desinformados”. Ele também aproveitou para chamar Neves de “filhinho de papai” e “grosseiro”.

No último dia 18, em Belo Horizonte, berço político de Neves, Lula relacionou Neves aos interesses do capital financeiro, ao criticar a revista “The Economist”, que trouxe na última edição um editorial intitulado “Porque o Brasil precisa de mudança”, em que defendia a escolha de Neves para presidente.

“Não bastasse a imprensa brasileira, essa revista que defende os bancos não quer a Dilma, quer o Aécio. Qual a resposta que temos que dar? Que o Aécio é o candidato dos banqueiros, ótimo, porque a Dilma é a candidata do povo brasileiro”, disse ele.

Já no campo dos tucanos, o próprio Neves tem sido o autor das duras críticas ao PT. No último dia 16, por exemplo, ele já havia trazido o tema “nazismo” para a eleição, mas em uma alusão aos petistas. Ele comparou o marqueteiro do PT, João Santana, a Joseph Gobbels, o ministro da propaganda de Adolf Hitler. “A presidente pode fazer todo esforço que quiser. Ela pode seguir seu marqueteiro, que na verdade me parece discípulo de Gobbels, que dizia que uma mentira repetida mil vezes se transforma numa verdade. Mas aqui eu não vou deixar que isso aconteça”, afirmou ele, se referindo as acusações petistas contra o governo dele em Minas. Ele também chamou a presidenta de “leviana” e “mentirosa”.

A estratégia petista parece estar dando resultados. Uma pesquisa Datafolha divulgada nesta quarta aponta que para 36% dos eleitores entrevistados Aécio Neves tem se mostrado mais agressivo, enquanto Rousseff é a mais agressiva para 24%. Em meio a uma campanha acirrada e dividida, os ataques verbais ganharam destaque nesta reta final, o que tem gerado críticas entre os eleitores. A mesma pesquisa aponta que 71% dos eleitores não concordam com a agressividade que foi vista neste segundo turno.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem vetado propagandas consideradas mais belicosas dos dois candidatos. Em entrevista ao jornal “O Globo” nesta quarta-feira, o ministro Dias Toffoli, presidente do órgão, criticou o baixo nível das campanhas e disse que isso já está provocando episódios de intolerância entre os eleitores. “Isso traz um acirramento também dentro da base da sociedade (…) Se até eles que querem presidir a República estão num nível tão baixo, a pessoa se sente mais a vontade para agredir quem pensa diferente dela.”

As agressões verbais entre os eleitores têm se acirrado não apenas nas redes sociais, onde os votantes do PT do nordeste são ofendidos com injúrias racistas, mas também presencialmente. O blogueiro Ênio Barroso, cadeirante, afirmou ter sido agredido por eleitores de Aécio por estar usando um adesivo de Dilma. E o humorista Gregório Duvivier, que assumiu em uma coluna do jornal “Folha de S. Paulo” que votará em Rousseff, também foi abordado por um homem, em um restaurante no Rio, que disse que sairia do lugar porque acabaria “dando porrada nele”. Também circula na internet um vídeo que mostra um grupo de jovens que fazia campanha pró-Aécio levar cusparadas e ser xingado por uma mulher com adesivo de Rousseff.

out
23

Postado em 23-10-2014 00:08

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 23-10-2014 00:08

Nélson, a voz de um tempo inesquecível!

BOM DIA!!!

(Gilson Nogueira)