“Insulto não é argumento. Ofensa não é coragem. A falta de compostura nos envergonha perante o mundo. A marca Brasil sofre neste momento, triste dizer isso, uma desvalorização global. Somos vítima de chacota e de desprezo mundial”

Luis Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal e atual ministro presidente do Tribunal Superior Eleitoral-TSE.

ago
07

Postado em 07-08-2022 01:38

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 07-08-2022 01:38

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

O presidente estava acompanhado do ex-ministro do Turismo Gilson Machado, candidato a senador em Pernambuco

AE
Agência Estado
 

Bolsonaro durante motociata em Recife - (crédito: Reprodução/Twitter @jairbolsonaro)

Bolsonaro durante motociata em Recife – (crédito: Reprodução/Twitter @jairbolsonaro)

O presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), voltou a convocar seus apoiadores a saírem às ruas no dia 7 de setembro, quando se celebram os 200 anos da Independência do Brasil. Em discurso neste sábado, 6, em Recife, o chefe do Executivo repetiu ataques a governadores, disse que o País tem hoje “uma das gasolinas mais baratas do mundo” e acenou para o eleitorado conservador.

“Temos algo tão ou mais importante que a própria vida: a nossa liberdade. E a grande demonstração disso, eu peço a vocês, que seja explicitada no próximo dia 7 de setembro. Estarei às 10 horas da manhã em Brasília, num grande desfile militar, e às 16 horas, em Copacabana, no Rio de Janeiro”, declarou Bolsonaro, a uma plateia de apoiadores.

O presidente estava acompanhado do ex-ministro do Turismo Gilson Machado, candidato a senador em Pernambuco.

Nas últimas semanas, o chefe do Executivo tem tentado mobilizar sua base para a realização de atos no 7 de setembro, a menos de um mês do primeiro turno das eleições.

Bolsonaro tem dito que Marinha, Exército, Aeronáutica, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros vão participar do desfile em Copacabana, no Rio. Na sexta-feira, 5, contudo, o prefeito da cidade, Eduardo Paes (PSD), confirmou que a parada militar será na Avenida Presidente Vargas, como ocorre tradicionalmente.

“Esse movimento não é político. Esse movimento não é de A, nem de B, nem de C. É um movimento do povo brasileiro, que não abre mão da sua liberdade, que defende liberdade, a sua democracia e também de todos aqui no Brasil”, disse neste sábado Bolsonaro.

Enquanto o chefe do Executivo convoca para manifestações nas ruas, outras autoridades têm tentado acalmar os ânimos. Em evento da XP nesta quinta-feira, 4, em São Paulo, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse esperar que os atos de 7 de setembro sejam “ordeiros, pacíficos e respeitosos às instituições”.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), aliado de Bolsonaro, afirmou, no mesmo evento, que a celebração tem de ser uma festa “linda, cívica e tranquila”, sem ameaças.

Também nesta semana, Pacheco defendeu a confiabilidade das urnas eletrônicas e apelou por “pacificação” e “contenção de ânimos” no País, em meio ao aumento dos ataques de Bolsonaro à Justiça Eleitoral.

Em 7 de setembro do ano passado, Bolsonaro foi a manifestações antidemocráticas e chegou a afirmar que não obedeceria mais decisões do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). A declaração gerou uma crise institucional do País, apaziguada com uma carta pública de recuo divulgada por Bolsonaro e escrita pelo ex-presidente da República Michel Temer.

Neste sábado, Bolsonaro disse que o Brasil é “um dos melhores” países do mundo quando se fala de economia. “Basta ver os preços dos combustíveis, que estão altos ainda no mundo todo, e nós baixamos para ter uma das gasolinas mais baratas do mundo”, declarou, a apoiadores.

O presidente também aproveitou para criticar, como faz com frequência, os governadores. “Vamos, cada vez mais, impondo a nossa política no Brasil. Chega de governadores faturarem com o ICMS de vocês.”

Bolsonaro também voltou a reafirmar os valores conservadores que mantêm sua militância unida. Bolsonaro reiterou que é “a favor da família”, contra o aborto, a legalização das drogas e o que chama de “ideologia de gênero”. Nas ruas de Recife, Bolsonaro também fez uma motociata.

ago
07

Postado em 07-08-2022 01:34

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 07-08-2022 01:34

 

 
Imagem ilustrativa da imagem Charge do dia 06/08/2022
– Bruno Aziz do jornal A Tarde
 

ago
07

Postado em 07-08-2022 01:29

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 07-08-2022 01:29

“Y” , Luiz Miguel: Magnífico e raro bolero latino gravado por alguns dos maiores intérpretes mundiais do gênero, a exemplo de Eyddie Gourmet com Los Pancho. Aqui em esplendorosa interpretação do cantor espanhol Luiz Miguel, ao vivo, para um público acentuadamente de jovens.Vale a pena obsrvar a entusiástica reação da plateia. Vai dedicado a todos e todas que amam o bolero e  gostam da voz e jeito moderno de cantar de Miguél. Viva.

BOM DOMINGO!!!

(Vitor Hugo Soares)

ago
07

Postado em 07-08-2022 01:25

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 07-08-2022 01:25

 

DO CORREIO BRAZILIENSE

Marcelo Rebelo de Sousa não pretende aceitar eventual convite de Bolsonaro para assistir ao desfile militar de Sete de Setembro que o líder brasileiro está organizando no Rio

VN
Vicente Nunes
 

 (crédito: AFP)

(crédito: AFP)

Correspondente em Lisboa — O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, confirmou presença na cerimônia de comemoração dos 200 anos da independência do Brasil, em Brasília, mas dificilmente aceitará um eventual convite do presidente Jair Bolsonaro para assistir ao desfile militar de Sete de Setembro que o líder brasileiro está organizando em Copacabana, no Rio de Janeiro – o prefeito carioca, Eduardo Paes, já disse que não será possível transferir a tradicional parada da Avenida Presidente Vargas, no centro, para a orla da cidade. 

A orientação de assessores de Rebelo de Sousa é para que ele fique longe de atos políticos extremos e concentre sua agenda em eventos puramente comemorativos. O desfile na Avenida Atlântica, cartão postal do país, é visto como uma demonstração de força por parte de Bolsonaro e deve se transformar numa grande afronta às instituições democráticas.

O presidente português, que também participará de cerimônia dos 200 anos da independência no Congresso no dia 8 de setembro, voltará ao Brasil depois de ter sido esnobado por Bolsonaro, que cancelou um almoço entre os dois, depois de Rebelo de Sousa agendar encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, líder em todas as pesquisas de intenção de votos para a Presidência da República. As eleições estão marcadas para outubro próximo.

 
 

Por Alexandre Hisayasu, Rede Amazônica

PF prende mais três suspeitos de envolvimento na ocultação dos corpos de Bruno e Dom

 

 

PF prende mais três suspeitos de envolvimento na ocultação dos corpos de Bruno e Dom

Uma operação da Polícia Federal prendeu, neste sábado (6), cinco suspeitos de integrar uma quadrilha de pesca ilegal em áreas indígenas do Vale do Javari, na Amazônia. Três deles já tinham sido indiciados por envolvimento na ocultação dos corpos do indigenista Bruno Araújo Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips, assassinados em 5 de junho na região (veja mais no vídeo acima).

Entre os detidos detidos, há três familiares de Amarildo da Costa Oliveira, o Pelado. Preso desde 7 de junho, ele confessou participação no crime e é um dos réus no caso.

Agentes da polícia se infiltraram em uma festa em Atalaia do Norte, cidade onde fica a maior parte do território do Vale do Javari, para prender de madrugada Amarílio de Freitas Oliveira, de 21 anos. Conhecido como Dedei, ele é filho de Amarildo, que teve ainda dois irmãos detidos na operação deste sábado (veja detalhes abaixo).

Bruno e Dom foram mortos a tiros e tiveram os corpos queimados e enterrados. A investigação concluiu que o indigenista foi assassinado por combater a pesca ilegal no Vale do Javari, que é a segunda maior terra indígena do país e enfrenta conflitos típicos da Amazônia: tráfico de drogas, roubo de madeira e avanço do garimpo. O jornalista morreu porque estava junto com Bruno.

A dupla retornava de barco de uma comunidade ribeirinha quando sofreu uma emboscada no rio Itaquaí. A polícia afirma que Bruno e Dom foram perseguidos e alvejados por Amarildo e Jefferson da Silva Lima, que é conhecido como Pelado da Dinha, está preso desde 18 de junho e confessou participação no crime. Além deles, em 14 de junho foi detido Oseney da Costa de Oliveira, o Dos Santos, que é irmão de Amarildo e nega as acusações.

Os três são réus pelos crimes de duplo homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Outras cinco pessoas respondem em liberdade pelo crime de ocultação de cadáver.

Bruno era servidor licenciado da Fundação Nacional do Índio (Funai) e, segundo a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), recebia constantes ameaças de madeireiros, garimpeiros e pescadores.

Segundo o jornal britânico “The Guardian”, do qual Dom era colaborador, o repórter estava trabalhando em um livro sobre meio ambiente. Ele morava em Salvador e escrevia reportagens no Brasil fazia mais de 15 anos.

Quadrilha de pesca ilegal

Para a operação deste sábado, a Justiça Federal expediu ao todo sete mandados de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão nas casas de suspeitos de fazerem parte da quadrilha. Todos os suspeitos foram presos.

De acordo com a PF, a ação buscava integrantes de uma quadrilha que atua na pesca ilegal no Vale do Javari e se concentrou em comunidades ribeirinhas de Atalaia do Norte e Benjamin Constant, município vizinho que fica na fronteira com o Peru e perto da Colômbia.

Um dos alvos era o próprio Amarildo, além de dois de seus irmãos e de seu filho. Outro era Rubens Villar Coelho, o Colômbia, apontado como chefe do bando e preso em 8 de julho por uso de documento falso, ao se apresentar à PF para negar o envolvimento nas mortes de Bruno e Dom. Na ocasião, ele portava três identidades, cada uma de um país.

Amarildo e Colômbia passaram a responder pelo crime de pesca ilegal, da além da morte de Bruno e Dom.

Segundo as investigações, a quadrilha de Colômbia é suspeita do assassinato, em setembro de 2019, do agente da Funai Maxciel Pefeira dos Santos, ocorrido em Tabatinga. Parceiro de Bruno, Maxciel também combatia a pesca ilegal no no Javari e foi responsável por grandes apreensões de carregamentos de peixes, motivo pelo qual teria sido morto.

Segundo informações do blog da Andreia Sadi, as investigações apontam que Colômbia fornece barcos, motores e insumos como adiantamento do pescado ilegal no Vale do Javari.

As investigações apontam ainda que os envolvidos vivem da prática da pesca ilegal (principalmente de pirarucu e tracajá, inclusive durante a época de defeso) e andam armados. Depoimentos indicam que os integrantes do bando pressionam os pescadores que têm seus pescados apreendidos por fiscalizações e ações policiais.

Caso Cristal: tudo sobre a morte da adolescente em assalto no Campo Grande - Jornal Correio

Cristal Pacheco, 15 anos , morta na frente do Palácio da Aclamação na tragédia simbólica da insegurança na Bahia.

ARTIGO DA SEMANA

Elogio às armas e a morte da colegial no Palácio Aclamação

Vitor Hugo Soares

Diga-se a bem da verdade e de Sua Excelência o Fato – frase do estadista francês, Charles de Gaulle, que o falecido  político brasileiro, Ulysses Guimarães, costumava repetir – raramente um crime violento, de consequências trágicas (políticas, inclusive), impossíveis ainda de avaliar, foi capaz de reunir tantos elementos simbólicos da perda de rumos e da miséria moral e social que o país atravessa, quanto a morte, com um tiro no peito, da jovem Cristal Rodrigues Pacheco, de 15 anos, em Salvador, quando caminhava para a escola, no tradicional Colégio das Mercês. nas proximidades de sua casa, com a mãe e uma irmã de 12 anos. Uma assaltante, presa quinta-feira, 4, atirou na adolescente na calçada do histórico Palácio da Aclamação (de despachos e recepções do governo da Bahia), vizinho do Quartel dos Aflitos (QG da PM). Desgraçadamente, no mesmo dia, 2 de agosto, que os meios de comunicação repercutiam o elogio apologético ao aumento da venda de armas no Brasil, feito na véspera pelo mandatário do Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro.

Mas não param aí os elementos emblemáticos deste triste episódio que a sociedade, acuada e atônita, está sendo obrigada a suportar, quase imobilizada de horror. Embora – dignamente – Salvador viu acontecer o primeiro movimento expressivo de rua, contra a violência. Estudantes, colegas, amigos e parentes da colegial assassinada, e gente do povo protestaram nas na área do crime, contra a insegurança, desvario das ações criminosas, a venda de armas e em defesa do “Desarmamento Já”. Um alento de coragem e resistência da sociedade no meio do caos e da complacente impunidade vigente.

O fato jornalístico precisa ser contextualizado, para dar inteireza à informação e tornar o seu entendimento o mais completo possível, como ensinava o jornalista Juarez Bahia, mestre em teoria e prática da comunicação de várias gerações. Assim, acrescente-se: Quem conhece minimamente Salvador e seus pontos de atração (histórica, política, turística e cultural) sabe que o local onde Cristal foi baleada e morta –  “encostada na parede, caindo lentamente até o chão, segundo relato comovente da mãe, dona Sandra, à TV Bahia (Globo) – fica a cerca de 500 metros de distância de pelo menos seis sítios urbanos simbólicos da Cidade da Bahia (no dizer de Jorge Amado) e dos milhares de turistas do país e do mundo que a visitam. 

Nos fundos do histórico e majestoso Palácio da Aclamação fica o Passeio Público, antigo jardim do palácio, belo recanto de árvores centenárias e fauna protegida. Também o Teatro Vila Velha, que dispensa apresentação aos que vivem ou visitaram Salvador, nos últimos 50 anos, palco de memoráveis espetáculos de artistas da terra e nacionais, de memoráveis representações teatrais, e onde o revolucionário movimento Tropicalista deu os primeiros passos. Mais adiante está o Hotel da Bahia, pioneiro dos grandes hotéis do país, que hospedou grandes políticos, chefes de estado e celebridades estrangeiras e nacionais. Na lateral do hotel, localiza-se a Praça do Campo Grande, dos monumentos do Caboclo e da Cabocla, dos festejos ao 2 de Julho, heróis simbólicos  das lutas da Independência do Brasil na Bahia. Estes são os fatos, o cenário e o contexto em torno do assassinato de Cristal Pacheco, que tombou com um tiro da assaltante à caminho da escola. O resto o tempo, senhor da razão, dirá.
Vitor Hugo Soares é jornalista, editor do site blog Bahia em Pauta. E-mail: vitors.h@uol.com.br

“Não tenho medo da morte”, Gilberto Gil: no tributo do Bahia em Pauta ao talentoso mestre do humor, da escrita, da arte e da inteligência nacional, vai nesta sábado de enorme tristeza e luto, a canção do imortal baiano da Academia Brasileira, que impactou o Gordo e o público no encerramento do programa em que Gil deu esplêndida e profunda entrevista. Adeus JÔ.

Viva o Gordo. Saudades.

Vitor Hugo Soares

================================================

  “Não tenho medo da morte
Mas sim medo de morrer
Qual seria a diferença
Você há de perguntar
É que a morte já é depois
Que eu deixar de respirar
Morrer ainda é aqui
Na vida, no Sol, no ar
Ainda pode haver dor
Ou vontade de mijar
A morte já é depois
Já não haverá ninguém
Como eu aqui agora
Pensando sobre o além
Já não haverá o além
O além já será então
Não terei pé nem cabeça
Nem fígado, nem pulmão
Como poderei ter medo, hein
Se não terei coração?
Não tenho medo da morte
Mas medo de morrer, sim
A morte é depois de mim
Mas quem vai morrer sou eu
Derradeiro ato meu
E eu terei de estar presente
Assim como um presidente
Dando posse ao sucessor
Terei de morrer vivendo
Sabendo que já me vou
Aí nesse instante, então
Sentirei quem sabe um choque
Um piripaque, um baque
Um calafrio ou um toque
Coisas naturais da vida
Como comer, caminhar
Morrer de morte matada
Morrer de morte morrida
Quem sabe eu sinta saudade, hein
Como em qualquer despedida
Fonte: LyricFind
Compositores: Gilberto Passos Gil Moreira
Letra de Não tenho medo da morte © Sony/ATV Music Publishing LLC

ago
06

Postado em 06-08-2022 03:23

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 06-08-2022 03:23

Luto

Do Correio Braziliense

“Jô sempre fez bom uso do seu direito de livre expressão. Por muitas vezes teceu duras críticas contra mim, inclusive. Mas foi por viver num país livre, não em um regime autoritário, que ele pode exercê-lo integralmente”, comentou Bolsonaro

IS
Ingrid Soares

 (crédito: Reprodução)

(crédito: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) usou as redes sociais nesta sexta-feira (5/8) para lamentar a morte do apresentador, ator, humorista, jornalista e escritor, Jô Soares. O chefe do Executivo ressaltou que, ‘independentemente de preferências ideológicas, Jô Soares foi uma grande personalidade brasileira’. E postou uma foto ao lado dele em uma entrevista em 2007.

“Independentemente de preferências ideológicas, Jô Soares foi uma grande personalidade brasileira que conquistou a todos com seu modo cômico de discutir assuntos profundos. Que Deus conforte a família e o acolha com a cordialidade que o próprio Jô recebia a todos”, escreveu.

“Jô sempre fez bom uso do seu direito de livre expressão. Por muitas vezes teceu duras críticas contra mim, inclusive. Mas foi por viver num país livre, não em um regime autoritário, que ele pode exercê-lo integralmente. Essa é a beleza da democracia.”

“No fim das contas, as divergências pouca diferença fazem na hora de nossa partida para perto de Deus. O que fica são as nossas obras, e Jô Soares deixa para o Brasil um exemplo de postura, elegância e bom humor, e, por isso, tem o meu respeito”, completou.

ago
06

Postado em 06-08-2022 03:18

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 06-08-2022 03:18

DO GSHOW

Charges em homenagem a Jô Soares emocionam
 

Charges em homenagem a Jô Soares emocionam

Com a morte do nosso Jô Soares nesta sexta-feira, 5/8, as redes sociais não poderiam estar diferentes: homenagens e tributos emocionantes tomam conta! Além de amigos e famosos publicarem suas mensagens ao eterno humorista, desenhistas estão caprichando e deixando a todos emocionados com suas charges lindas e tocantes. Veja só!

Guilherme Bandeira cria charge em homenagem a Jô Soares — Foto: Reprodução/Instagram

Guilherme Bandeira cria charge em homenagem a Jô Soares — Foto: Reprodução/Instagram

ago
06

Postado em 06-08-2022 02:22

Arquivado em ( Artigos) por vitor em 06-08-2022 02:22

 

 

  • Arquivos

  • agosto 2022
    S T Q Q S S D
    « jul    
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031